Meu marido não quer doula

Compartilhe:

Uma queixa muito comum das gestantes é sobre a não aceitação dos companheiros com relação a presença da doula. E os motivos são muitos:

  •  não acreditam na necessidade/ utilidade da doula durante a gestação, trabalho de parto e pós parto;
  • confusão sobre o papel da doula e dos outros profissionais da assistência (parteira, obstetriz, enfermeira, obstetra);
  • consideram o valor alto, ou acham que seria melhor empregado em outra coisa;
  • acham que a doula vai tirar seu lugar durante o trabalho de parto, deixando-o de lado;
  • acham que o trabalho da doula pode ser substituído por ele ou por alguém da equipe/família;
  • não se conectam com a doula de escolha da gestante.

É sempre importante lembrar que, quando há um companheiro, e quando ele deseja participar ativamente da gestação e do trabalho de parto, ele precisa estar tão bem informado e empoderado quanto a mulher. Quando a mulher estiver imersa no estado alterado de consciência que o trabalho de parto proporciona, o companheiro é quem será a voz dos desejos e escolhas do casal para aquele momento, e só ele poderá ser.

Por isso, é um motivo muito comum de preocupação e atrito quando há dificuldade do casal em se comunicar e encontrar um consenso sobre as decisões acerca do nascimento. Isso está acontecendo com você? Vem comigo!

Te convido para respirar fundo, e dar um passo atrás. Distancie-se um pouco dos problemas, veja de outro ponto de vista. Permita-se.

Fonte: giphy

À mulher: a gravidez é algo tão intenso para o casal. Para a mulher, ela sempre terá uma profundidade e complexidade maiores, e nem sempre é fácil explicar aquilo que vivemos com clareza. Faça o exercício de escolher um dia tranquilo para ambos, e dividir com seu parceiro sua experiência, seus medos, inseguranças. Fale sobre aquilo que teme sobre a gestação, sobre o parto, sobre a descoberta da maternidade. Deixe ele saber que você está vulnerável, e que precisa de seu apoio.

Ao companheiro: às vezes pode ser bastante difícil colocar-se no lugar da mulher, e entender seu próprio papel nessa jornada. Suas necessidades nem sempre serão as mesmas, e compreender a intensidade das mudanças que acontecem com ela, física e emocionalmente nesse momento são um desafio um tanto abstrato. E é como é, pois só ela poderá saber como é gerar uma vida. E lhes digo, queridos amigos – não é fácil fazer um ser humano a partir de duas células. É desafiador de todas as maneiras imagináveis. Precisamos de vocês neste momento. Apoio, acolhimento, compreensão, paciência. Nada será como antes. Mas acredite, poderá ser muito melhor se nos permitirmos o mergulho, e se formos juntos.
Divida com sua companheira suas dúvidas, medos, angústias, inseguranças. Homens também podem sentir isso tudo. Dividir deixa tudo mais leve, e permite que ela entenda que a paternidade também tem enormes desafios, e que também não é fácil pra você.

Quando nos permitirmos não só dividir com o outro nosso íntimo, mas também nos colocarmos no papel de quem ouve, sem julgamentos, sem pré concepções e sem resistência aquilo que o outro coloca, nos abrimos para a realidade do outro. Nos abrimos para o diálogo e nos comunicamos de forma efetiva. A partir disso, cada um pode falar de suas próprias necessidades.

Katia e William no nascimento do Ravi
Fonte: acervo pessoal, compartilhadas com autorização do casal
Eles tiveram, além da equipe humanizada, duas doulas – Carol Beltrami e eu, Carol Falco (ainda antes de fazer minha formação) <3

Informação

Agora, de forma mais prática, informação de qualidade é a maior aliada para que possamos tomar uma boa decisão. Então, segue aqui uma lista de sugestões para que o casal explore – juntos ou individualmente, para poder optar ou não pelo acompanhamento de uma doula, estando bem informados:

 

  • No youtube você encontra muito conteúdo independente sobre o trabalho da doula e muitos relatos de famílias que tiveram doulas. Também é uma fonte bacana pra quem prefere algo mais dinâmico e menos formal do que a leitura tradicional/ científica. Procure por “doula”, vá refinando sua busca conforme o interesse, e divirta-se.

 

 

Outras sugestões para mulheres que gostariam de ter o apoio do parceiro na escolha pela doula:

  • Garanta que estejam bem esclarecidos sobre o papel de cada profissional do parto – doula, enfermeira obstetra, obstetriz ou parteira, médica(o) obstetra. Converse muito, indique fontes, mande links, textos, vídeos.
  • Marque um encontro sem compromisso com uma doula e seu companheiro. Deixe ela saber que você está tendo dificuldade em receber este apoio. Nosso trabalho também é explicar o que fazemos e a importância disso.
  • Tente encontrar um amigo próximo que já tenha passado pela experiência de ter uma doula, ou que não tenha tido mas que sinta que faria diferente numa próxima vez. Sugira um encontro pra falarem sobre isso.
  • Frequente rodas de gestantes da sua cidade com ele – as doulas estão sempre por lá, assim como pessoas que escolheram ter seu acompanhamento. Relatos de outros pais podem ser bastante encorajadores. As rodas no geral são abertas e gratuitas – e você pode inclusive usar o blog da Casa da Doula pra encontrar uma doula da sua cidade e pedir ajuda pra achar uma roda bacana.
  • Mostre que as evidências científicas estão a favor, estimule a busca por informações em sites de artigos científicos, como Scielo e Cochrane.
  • Se estiver dentro da sua realidade, encontre uma equipe humanizada, que apoie a presença da doula, e converse com eles sobre isso. É muito importante ser assistido por uma equipe bem preparada e alinhada com aquilo que buscamos, isso nos aproxima ainda mais do parto que desejamos.
Viviane e Fred no nascimento do Tiago. Fonte: acervo pessoal, compartilhada com autorização do casal

Depoimento

Pra finalizar, compartilho aqui com vocês o depoimento e opinião de um pai que teve a assistência de uma doula no nascimento de seu filho.

Jonas, marido da Katiuscia, pais do Miguel, que tiveram a Erica Lima como doula

O Jonas relata que tinha resistência à contratação da doula por achar que ela seria uma espécie de parteira. Com o avanço da tecnologia, ele acreditava que não era necessário correr o risco de uma assistência sem médicos e hospitais e que a doula seria parte de uma assistência arcaica e ultrapassada. Ao ser questionado se mudou de ideia no decorrer da gestação e porque, Jonas disse: “Sim, no processo acabei mudando de ideia em relação ao trabalho de uma doula. Percebi que não tinha noção do que essa profissional realmente fazia e acabei compreendendo a função que a doula possui. Mas para eu conseguir entender demorou um pouco. E nesse processo as rodas de conversa foram muito importantes. As conversas, depoimentos (de mães, pais e doulas), ensinamentos e a experiência demonstradas pelas profissionais foram cada vez dando mais segurança e conhecimentos sobre o trabalho envolvido. Além é claro de me situar o local que a doula se encaixa no processo do parto.  Outro ponto que foi decisivo foi o empoderamento de minha esposa. Ela estava tão segura e certa que acabava me contagiando com esse sentimento também. Outro ponto reparado foi o ambiente de respeito envolvido, onde nada era imposto se não houvesse necessidade. Algo extremamente diferente do ambiente numa consulta médica convencional, onde muitas vezes somos bem tratados e tal mas não realmente respeitados.”

Sobre a experiência com a presença da doula no parto de Miguel, Jonas disse: “Foi ótima. A Érica é uma excelente profissional. Sempre passou segurança e conhecimento durante nossos encontros e no dia do nascimento do Miguel não foi diferente. Estando sempre ao lado não só da minha esposa mas do meu também. Foi essencial no meu ponto de vista. A calma e segurança que ela passava tanto pra mim como para futura mamãe foi essencial. Só tenho a agradecer a ela.”

Vídeo do nascimento do Miguel – Exibido com autorização da família

 

Agradecimentos especiais a todos os pais e mães que participaram com depoimento e/ou autorizando o uso das fotos e vídeo. Gratidão pela generosidade e partilha!

Referências

Estudando sobre doulas (II), Melania Amorim, Leila Katz, 2012 – http://estudamelania.blogspot.com/2012/08/estudando-sobre-doulas-ii.html?q=doula

Continuous support for women during childbirth, 2017 – https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD003766.pub6/full Acessado em 06/04/2018

Evidências qualitativas sobre o acompanhamento por doulas no trabalho de parto e no parto – http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232012001000026&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Doulas: definição e benefícios segundo as evidências científicas – https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/cssf/arquivos-de-eventos/audiencia-publica-2018/audiencia-publica-debater-o-pl-8363-2017-que-dispoe-sobre-o-exercicio-da-profissao-de-doula/apresentacao-maira

O renascimento do Parto – I, II e III – Netflix

Aquela que serve – Documentário sobre doulas –https://www.youtube.com/watch?v=Ze6r1BKH8Ao&feature=youtu.be

O que a doula não faz – https://blog.casadadoula.com.br/2018/02/20/o-que-a-doula-nao-faz/

O que significa doula – https://blog.casadadoula.com.br/2018/05/23/o-que-significa-doula/

Como escolher a doula perfeita pra você? – https://blog.casadadoula.com.br/2018/04/19/como-escolher-a-doula-perfeita-para-voce/

Qual a diferença entre EO e doula – https://blog.casadadoula.com.br/2018/11/22/qual-a-diferenca-entre-eo-e-doula/

Deu Match! 5 dicas essenciais para você encontrar uma Doula –

Deu Match!  5 dicas essenciais para você encontrar uma Doula

Ter ou não ter uma doula? Eis a questão! – https://blog.casadadoula.com.br/2018/09/21/ter-ou-nao-ter-uma-doula-eis-a-questao/

Scielo – https://scielosp.org/

Cochrane – https://brazil.cochrane.org/

 

 

Doulas recomendam:

Relato de Parto da Débora, nascimento da Helena &#... Relato de parto normal Dia 04/11, pesando 3340kg medindo 48cm chegou minha pequena Helena. As 20:30 da sexta feira 03/11 com 37+2 sinto um líqui...
A mãe que fui/sou; a doula que quero ser Eu tenho uma confissão a fazer: este post me custou uma noite de sono e uma sessão de análise. Mas, calma, não estou jogando isso na sua conta, cara l...
O cuidado da mulher no pós-parto No período em que está gestando um bebê uma mulher passa por grandes transformações. Neste momento de espera, semeando sonhos e expectativas ela se pr...
Puerpério: dicas práticas de como sobreviver O puerpério é um período de adaptação da mãe, do bebê e da família, também conhecido como resguardo ou quarentena. É um período delicado, em que grand...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *