5 dicas para aliviar a dor no parto

Compartilhe:

Muito se fala da “temida” dor no parto. Algumas mulheres relataram ser a dor da

aaaaah, a dor!

“morte” e outras não se incomodaram tanto com ela durante o trabalho de parto.  Porque há tanta divergência?

A dor, durante a o trabalho de parto, é uma resposta fisiológica, complexa, subjetiva e multidimensional aos estímulos sensoriais gerados, principalmente, pela contração do útero. 

Durante a contração, há a hipóxia da musculatura uterina, o estiramento cervical, vaginal e perineal durante o período expulsivo.

Outras respostas fisiológicas são o estresse (níveis aumentados de glicocorticóides e catecolaminas) e o limiar baixo de tolerância à dor (baixos níveis de endorfina, fadiga e doença).

Não podemos esquecer que cada mulher e cada corpo são únicos, sendo a dor, portanto, algo muito individual de cada uma.

Para lidar melhor com essa dor hoje nós dispomos de dois tipos de métodos de alívio:

Os farmacológicos (remédios) que são de responsabilidade da equipe médica. São as analgesias e anestesias. Por ser uma grande intervenção devem ser discutidos riscos e benefícios previamente.

Temos também os métodos não-farmacológicos de alívio da dor e é especialmente sobre 5 deles que eu quero focar hoje! São modos acessíveis e ter uma Doula com você pode fazer toda a diferença para uma experiência positiva de parto.

1. Ah, o Calor…

O calor tem papel importante papel no alívio da dor, dilata os vasos sanguíneos e ajuda no relaxamento muscular. Podemos usar compressas quentes, bolsa de sementes, bolsa de água quente ou de gel na região onde a parturiente estiver sentido dor, normalmente na região lombar ou abaixo da barriga.

Foto: Carolina Campos.

  Outro ótimo aliado no alívio da dor é o chuveiro com água morna e ajuda a mulher a lidar com as ondas das contrações. Uma ótima opção é usar a bola Suíça para ficar se movimentando enquanto deixa a água morna bater na lombar.

Ainda com o calor temos o banho de imersão, a famosa banheira, que permite uma maior liberdade de movimentos.

2. Massagem

Tem mulher que vai querer ser tocada durante o trabalho de parto e mulher que não! Tá tudo bem, viu? Respeitamos a individualidade de cada mulher e não se acanhe em dizer o que você quer. A massagem é um ótimo aliado no alívio da dor por proporcionar conforto, diminui a frequência cardíaca, diminuir o nível de cortisol, ajuda a parturiente a relaxar.

Arquivo pessoal.

3. Respiração

Concentrar na respiração, inspirar e expirar devagar aumenta a oxigenação e consequentemente leva a gestante a um estado de maior relaxamento e desconexão do ambiente. Os estudos também apontam que exercícios de respiração ajudam a diminuir o tempo do período expulsivo.

4. Vocalização

O ato de vocalizar as vogais A O ou U ajudam no alívio da dor, e também a dilatar!

Ina May Gaskin, parteira norte-americana escreveu no seu livro “guide to childbirth” sobre os esfíncteres que são responsáveis por trazer a seu bebê ao mundo. Se eles estão fechados, o parto não progride e você sente mais dor.

A idéia é que o esfíncter anal, o cervical (colo do útero) e o vaginal funcionam melhor em um local de privacidade (vamos combinar que só mães – e não todas – conseguem fazer cocô com platéia). Eles também não respondem bem a situações de estresse, a adrenalina atua como um inibidor da abertura desses esfíncteres.

Ina May também pontua que o estado de relaxamento da boca e a mandíbula está diretamente relacionado a abertura do colo do útero, da vagina e do ânus. Ou seja, boca aberta = colo do útero aberto.

Faça um teste agora mesmo:

  • Abra a boca, relaxe a mandíbula e a garganta. Sente suas nádegas relaxarem?
  • Cerre os dentes e contraia a musculatura da mandíbula. Sentiu como seu corpo todo se enrijece?

5. Bola Suíça e Posições

A bola pode ser usada para ajudar a encontrar posições que sejam mais confortáveis e que tragam menos dor durante as contrações e aí vale tudo! Sentar-se com a bola embaixo do chuveiro, apoiada na cama (é um ótimo jeito de tirar cochilos entre as contrações), ficar de quatro apoios apoiando na bola, encostar-se nela, o céu é o limite e você pode e deve explorar todas as posições.

Lembre sempre que posições que não pressionem a pelve são bem mais confortáveis na hora da contração, logo, quanto mais verticalizada você ficar, menos dor vai sentir.

Foto: Carolina Campos.

E aí, pronta para usar e abusar desses métodos durante o seu parto? Gostou das dicas e quer saber mais? Se inscreva AQUI no nosso grupo de apoio virtual.

 

Referências:

Métodos não farmacológicos para alívio da dor no trabalho de parto: uma revisão sistemática.

Efetividade de estratégias não farmacológicas no alívio da dor de parturientes no trabalho de parto

Utilização de técnicas de respiração e relaxamento para alívio de dor e ansiedade no processo de parturição

Effectiveness of breathing exercises during the second stage of labor on labor pain and duration: a randomized controlled trial

GASKIN, Ina May – Guide to Childbirth.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.