Palpites na gestação – Manual de Sobrevivência

Compartilhe:

 

Eis uma verdade: basta você anunciar que está grávida que a chuva de palpites começa. As pessoas gostam de opinar em tudo! No nome do bebê, no tipo de parto, na cor do quarto, na amamentação, na forma de educar. É uma infinidade de opiniões, achismos e histórias da filha da prima da vizinha que perturbam demais a vida da grávida. Mas acredite, é possível sobreviver a esse monte de palpites na gestação. Quer saber como? Preparei uma lista com algumas dicas importantes:

 

  • Se informe!

A melhor forma de não se apavorar com a quantidade de histórias pavorosas que espalham por aí é ler muito sobre a gestação, parto e pós parto (sim, aquela fase que costumamos ignorar e que as vezes dá um trabalhão pra superar). A informação será sua principal arma pra rebater alguns achismos e pra colocar um ponto final em uma discussão que parece não ter fim sobre os benefícios de marcar a cesárea, por exemplo.

Aproveite enquanto o bebê ainda está na barriga pra estudar bastante!

 

  • Procure fontes confiáveis para tirar suas dúvidas

O médico do pré natal pode até saber muito, mas ás vezes não sabe tudo. Então você pode e deve fazer pesquisas em outros lugares para se informar. Vale uma amiga que já passou pela gestação e pensa parecido com você, uma doula (me chama! S2), um grupo de apoio a gestação e ao parto, seja ele virtual ou presencial, sites e blogs de profissionais humanizados. Aqui na Casa da Doula temos uma infinidade de textos e indicações de estudos preparados por doulas do Brasil inteiro que te ajudarão muito!

  • Minta sobre a DPP (Data Provável do Parto)

Sério, talvez essa seja a melhor dica que eu vou deixar aqui. Não fale a verdadeira DPP pra ninguém! Estudos mostram que algumas gestações podem ir até as 42 semanas (cerca de 5%), outras podem se estender além das 41 semanas (aproximadamente 10%), mas quem ainda não saiu da Matrix continua acreditando que uma gestação só pode ir até as 40 semanas e vai atormentar a sua vida se esse bebê não nascer até a DPP! Além da barriga mais pesada, uma vontade imensa de ficar largada no sofá, a ansiedade difícil de controlar, você não vai querer conter a ansiedade do resto da família. Vai por mim, essa é uma mentirinha do bem que vai te poupar muito stress.

“Barriga tá alta. Barriga tá baixa. Ihhhhhh, não nasceu ainda? Cuidado que vai passar da hora!” Gente, quem guenta??????

 

  • Use e abuse da cara de alface

Sim, existe uma cara de alface! Sabe quando alguém te fala algo tão absurdo que você não tem nem reação? Então, é essa a cara. Quando alguém vier palpitar e você não estiver num bom dia, evite discutir e use a cara de alface como resposta. Porque realmente não vale a pena se desgastar por tão pouco

 

  • Evite falar sobre seu plano de parto

Na minha segunda gestação, decidi que a bebê nasceria em casa e escondi essa informação de todos. As únicas pessoas que sabiam que estava planejando um parto domiciliar era a equipe (óbvio!), meu marido e eu. Sabe por que fiz isso? Tinha certeza absoluta que seria criticada por essa escolha, mesmo que mostrasse estudos confirmando que o parto domiciliar planejado é seguro para gestações de baixo risco. Então, se você desconfia que também será criticada por sua escolha de parto, omita essa informação. Ou se alguém perguntar se vai ser parto natural/ normal, e já começar a ladainha de que isso é coisa de índio, pra encerrar o discurso fala que será cesárea. A pessoa vai sair com a resposta que queria, e você com algumas rugas a menos no rosto.

Maria Luiza ainda na barriga. E essa foto ficou escondida até ela nascer…hehehehehe Crédito da foto: Carla Santos
  • Se empodere das suas escolhas!

Você estudou, buscou alternativas, se informou da melhor forma possível para fazer as melhores escolhas para você e seu bebê, então não deixe que esses palpites te abalem. É claro que é difícil, principalmente porque muitas vezes as críticas vem de pessoas que amamos, mas se você está aqui lendo esse texto é porque se preparou pra viver esse momento, e arrisco dizer que a maioria das pessoas que querem palpitar na sua maternagem não fizeram isso, então seja firme e rebata as críticas que achar pertinentes! E se mesmo assim as pessoas não te respeitarem, use a frase: O FILHO É MEU E FAZER ISSO DESSA FORMA É IMPORTANTE PRA MIM!

  • Lembre-se: nem todo palpite é crítica! 🙂

As vezes a forma (meio estranha) que as pessoas têm de demonstrar amor por você e pelo bebê é justamente dando palpites achando que estão ajudando. Então respira fundo e pega leve! Aos poucos as pessoas vão passar a admirar o seu novo papel e verão o quanto você se esforça pra ser a melhor mãe para seu(s) filho(s).

Acredite: você é (será) uma mãe incrível!

 

Com carinho

Camila Medeiros, doula parto e pós parto

 

Para saber mais:

Nesse link você vai encontrar uma relação de indicações fictícias pra cesárea. Bom ler pra não se assustar cada vez que a vizinha vier contar uma história de parto anormal:

http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/indicacoes-reais-e-ficticias-de.html?q=circular+de+cord%C3%A3o

 

Um estudo sobre gravidez prolongada:

http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/estudando-gravidez-prolongada.html?q=tempo+de+gesta%C3%A7%C3%A3o

 

Aqui você encontra informações sobre o parto domiciliar planejado

https://www.maternidadeativa.com.br/artigo9.html

http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/estudando-parto-domiciliar.html?q=parto+domiciliar+seguro

Compartilhe:

2 respostas para “Palpites na gestação – Manual de Sobrevivência”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.