Dar ou não chupeta para o bebê?

Compartilhe:

Na hora de fazer o enxoval, já vem aquela dúvida… oferecer ou não a chupeta ao bebê?

Dizem que os bebês se acalmam quando chupam chupeta, será mesmo? E como fica com relação a amamentação? Atrapalha? Não interfere?

A chupeta e a saúde bucal

O ato de mamar no peito, faz com que o bebê fortaleça os músculos orofaciais. Faz com que ele exercite a coordenação dos movimentos de respiração e deglutição, contribuindo para o correto desenvolvimento dos maxilares favorecendo, mais tarde, até o posicionamento dos dentes. Os minerais presentes no leite materno também favorecem a formação do esmalte dos dentes.

Em repouso, a língua deve se posicionar encostada no céu da boca e os lábios fechados. A chupeta provoca um abaixamento da língua e mantém os lábios entreabertos, só pelo fato de estar na boca, mesmo quando o bebê não está sugando.

Além disso, chupar chupeta, utiliza músculos diferentes da amamentação. Isso faz com que os ossos da face cresçam de forma desarmônica.

Modificações orais causada pela chupeta. (foto da pág CVM)

A chupeta acalma o bebê?

O bebê nasce com uma grande necessidade de sucção. Sugar alivia a dor, traz conforto, ajuda a dormir.

Por volta dos 3 meses, quando termina o período de Exterogestação (leia mais aqui) essa necessidade diminui.

Assim, se o bebê tem essa necessidade de sugar suprida pelo peito, após esse período, tudo fica mais tranquilo.

Foto ilustrativa (Pexels)

A chupeta protege da Síndrome da Morte Súbita?

A Síndrome da Morte Súbita é quando um bebê, de menos de 1 ano, aparentemente saudável, morre durante o sono, sem causas aparentes.

Alguns profissionais recomendam o uso da chupeta como forma de proteger o bebê. Porém estudos comprovam que a amamentação reduz o risco da Síndrome da Morte Súbita em 50%. Como a chupeta aumenta o risco de desmame precoce, seu uso não deveria ser encorajado para esse fim.

Foto ilustrativa (Pexels)

Chupeta e desmame precoce? Como assim?

Como já explicado anteriormente, o uso da chupeta (e outros bicos artificiais) promove uma mudança no posicionamento da língua e demais músculos faciais, fazendo com que o bebê comece a se confundir na hora de mamar.

Além disso, a chupeta muitas vezes é usada para acalmar o choro do bebê. Se o bebê chora é porque sente alguma coisa, quer sinalizar alguma coisa. Será que não é fome? E quando colocamos a chupeta, deixando de levar o bebê ao peito, deixamos de estimular a sucção e a produção do leite.

E aí, podem ocorrer outros problemas. O bebê ganha menos peso que o esperado, o pediatra recomenda complemento, entra outro bico na jogada (o da mamadeira) e a amamentação corre um grande risco de se perder.

 

Comparativo da posição da língua com a chupeta ortodôntica e tradicional. (Foto pág CVM)

 

A chupeta e a confusão de bicos

Por toda essa modificação que ocorre na sucção, nas estruturas orofaciais e língua pelo uso da chupeta, pode acontecer de o bebê começar a desaprender a mamar.

Estudos comprovaram que crianças que desmamaram precocemente usam bico com mais frequência do que as que mamam por tempo prolongado.

Os bicos de borracha, da chupeta e da mamadeira, não se adaptam tão bem a boca do bebê como o bico do peito. O bico do peito é capaz de se “esticar” até 3 vezes.

Quando a confusão de bicos começa a acontecer, o bebê vai para o peito e chora. Se estica, se joga pra trás, começa a recusar o peito como forma de consolo ou quando sente sono. Além disso, por se confundir, pode começar a mamar de maneira incorreta machucando o peito da mãe ou não conseguindo esvazia-los corretamente (podendo até causar um ingurgitamento mamário, leia mais aqui).

Ilustração da posição da língua em repouso, durante a amamentação e com bico artificial (Foto da pág CVM)

 

Comparativo da posição da língua com o bico do seio e com bicos artificiais (Foto da pág CVM)

Mesmo assim, quero dar chupeta!

A decisão da mãe é soberana. Suas escolhas devem ser respeitadas.

Agora que você sabe dos riscos do uso da chupeta, principalmente com relação a amamentação, o ideal é tomar alguns cuidados.

Dê preferência por oferecer a chupeta somente depois da amamentação bem estabelecida.

Use a chupeta pelo menor período possível. Retire o mais rápido possível, antes que atrapalhe o crescimento dos dentes. Evite usar a chupeta como forma de calar o choro do bebê. Tente entender o que o bebê precisa, o que ele está tentando comunicar.

Esterilize (ferva) a chupeta diariamente e guarde num recipiente fechado, a chupeta pode também funcionar como carregador de fungos e bactérias.

 

Quer saber mais?

Sociedade Brasileira de Pediatria – https://www.sbp.com.br/

Unicef – https://www.unimed.coop.br/viver-bem/pais-e-filhos

Portal Trocando Fraldas – https://www.trocandofraldas.com.br/uso-da-chupeta-dar-ou-nao-dar-eis-a-questao/

Cientista que Virou Mãe – https://www.cientistaqueviroumae.com.br/blog/textos/chupeta-o-que-toda-mae-e-pai-deveria-saber-antes-de-oferecer-uma-para-seu-bebe-por-andreia-stankiewicz

Livro Manual Prático do Aleitamento Materno – Carlos Gonzales e Maria Bernardes

Artigo: Uso de Chupeta e Aleitamento Materno Exclusivo – Marcela de Oliveira Demitto, Luciana Olga Bercini, Robson Marcelo Rossi – 2012

 

 

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.