O que é Ingurgitamento Mamário?

Compartilhe:

Seu bebê nasceu há uns dias, você começou a sentir os peitos cheios, duros e doloridos, e então alguém diz: é ingurgitamento mamário! Mas, afinal, o que é ingurgitamento mamário?

Ingurgitamento mamário é o que conhecemos popularmente como “leite empedrado”. É quando a mama está tão cheia de leite que o peito fica duro e dolorido – podendo até vazar!

Apesar da vibração pela fartura de leite para o bebê, é bom estar atenta, pois um peito cheio e duro é difícil para o bebê e para quem amamenta, podendo tornar o amamentar uma guerra.

Nesse texto você entenderá o que é ingurgitamento mamário, o que causa o ingurgitamento mamário, como prevenir o ingurgitamento mamário e como desempedrar leite da mama.

O que é ingurgitamento mamário?

ingurgitamento mamário, @maludoula
Na foto, Paula relata dor, leite vazando e só sorria pelas brincadeiras da irmã (que registrou o momento).

No sentido literal das palavras, ingurgitar significa “encher até transbordar” e mamário é referente a mama (peito). E é exatamente isso: o ingurgitamento mamário é quando o peito está tão cheio que poderia transbordar – e às vezes o faz, vazando e molhando o sutiã!

O ingurgitamento mamário pode ser natural ou patológico. O natural é uma consequência da apojadura (descida do leite), que ocorre nos primeiros dias após o nascimento do bebê e que passa sozinho.

Leia sobre Apojadura clicando aqui.

Já o patológico é aquele que traz desconfortos significativos, além de causar vermelhidão em áreas da mama, inchaço, pele brilhosa, peito dolorido, há febre e mal estar, não passa sozinho e precisa de cuidados.

O que causa o ingurgitamento mamário?

O que causa o ingurgitamento mamário é o acúmulo e permanência do leite em um peito cheio. Segundo o Ministério da Saúde, o que pode causar essa situação é “leite em abundância, início tardio da amamentação, mamadas infrequentes, restrição da duração e frequência das mamadas e sucção ineficaz do bebê favorecem o aparecimento do ingurgitamento”.

Como dito no tópico anterior, o ingurgitamento pode ser natural ou patológico:
O natural é um processo normal da apojadura e que é controlado pela dinâmica entre quem produz o leite e quem o mama. Ou seja, o bebê consegue mamar o suficiente para que, entre uma mamada e outra, exista espaço dentro do peito para a quantidade de leite produzida normalmente por ele. O peito enche, mas não “até transbordar”.

Já o patológico acontece quando a dinâmica entre quem produz o leite e quem o mama não mantém um equilíbrio. Ou seja, o bebê não consegue mamar o suficiente para aliviar a mama e abrir espaço suficiente para o novo leite produzido – gerando um acúmulo de leite no peito. Esse excesso de leite no peito deixa a mama “no limite” e provoca todos os incômodos descritos no tópico anterior.

por pixabay

Por mais que pareça genial ter um peito bem cheio de leite, ele dificulta a pega do bebê, que por sua vez dificulta a quantidade de leite que ele consegue tirar do peito, que prejudica a amamentação como um todo. É como uma grande bola de neve em forma de leite: se não se dá atenção corretamente, problemas mais sérios podem aparecer, como a mastite.

Como prevenir o ingurgitamento mamário?

Você pode prevenir o ingurgitamento mamário com condutas para facilitar a regularização da produção de leite. As condutas mais favoráveis na prevenção do ingurgitamento mamário são:

  • Amamentar na primeira hora de vida (hora de ouro);
  • Amamentar em boas condições: pega do bebê no peito está correta, o posicionamento está correto e se foi identificado dificuldades anatômicas, pessoa que amamenta e/ou bebê receberam atenção específica de qualidade;
  • Livre demanda, ou seja, deixar o bebê mamar durante o tempo que ele desejar, na frequência que desejar;
  • Evitar o uso de complementos até os 6 meses de vida: leite artificial, chá, água e sucos;
  • Evitar o uso de bicos de silicone, como chupeta e mamadeira.

Como desempedrar leite na mama ou como lidar com o ingurgitamento mamário?

Se seu peito está ingurgitado, é preciso de atenção especial. Você precisa facilitar e garantir a saída eficaz do leite. Essas são técnicas e práticas simples que podem te ajudar:

ingurgitamento mamário. @maludoula
Foto: Malu, dias após o nascimento, com as mamas ingurgitadas, ajustando a amamentação de Carlos.
  • Amamentar em livre demanda (isso mesmo, ajuda na prevenção e no tratamento);
  • Massagear a aréola e áreas mais doloridas, para amolecê-las e facilitar a ejeção do leite e a pega do bebê: usando as almofadinhas de dois ou três dedos da mão, faça movimentos circulares ao redor de toda a aréola. Isso ajuda a fluidificar o leite e facilita sua saída. Massagear por si só não resolve: O leite precisa sair. Para isso, dê o peito ao bebê ou faça a ordenha;
  • Ordenhar o leite para facilitar a pega do bebê ou para aliviar a mama, caso o bebê não tenha mamado o suficiente para isso. Você precisa massagear a aréola do peito seguindo os passos acima. Em seguida, com a mão em “C”, use a ponta dos dedos polegar e indicador, acima e abaixo da aréola (na divisa onde a pele muda de cor), fazendo dois movimentos ao mesmo tempo: movimento 1 – apertar um dedo contra o outro, como se tentasse tocá-los por trás da aréola, e movimento 2 – pressionar o peito contra o tórax (empurrar o peito pra si mesma).

Lembre:

  • Se está difícil, procure ajuda profissional. Amamentar não deve doer e ser sofrido;
  • Evite uso de compressas e remédios sem a orientação correta de profissionais especializados em amamentação, como consultoras e apoiadoras em aleitamento ou equipe de banco de leite humano de referência;
  • Massagear ajuda, mas não resolve: é preciso que o leite saia do peito: seja mamado ou seja tirado na mão ou com uso de bomba extratora;
  • Se tudo está correto: seios amolecidos, bebê bem posicionado, pega aparentemente correta, e ainda assim há desconfortos e dificuldade para amamentar, procure ajuda profissional. Às vezes, existem fatores como movimento da língua do bebê, sua forma de sugar, e até o freio lingual curto que dificultam o processo. Essa avaliação deve ser feita por profissional capacitado.

E se você é de Pernambuco e precisa de ajuda com amamentação, fala comigo (aqui) ! Além de doula, sou apoiadora em aleitamento.

Referências:

Dez etapas para o sucesso da amamentação (revisado em 2018). Organização Mundial da Saúde. (Clique aqui)

Cadernos de Atenção Básica, Aleitamento Materno e Alimentação Complementar. Ministério da Saúde. (Clique aqui)

Iniciativa Hospital Amigo da Criança. UNICEF (Clique aqui)

Promovendo o Aleitamento Materno. UNICEF, Ministério da Saúde. (Clique aqui)

Problemas comuns na lactação e seu manejo. Jornal de Pediatria. Elsa R. J. Giugliani. (Clique aqui)

Compartilhe:

4 respostas para “O que é Ingurgitamento Mamário?”

  1. Ótimo texto , Malu. A amamentação é uma fase super importante, mas difícil às vezes. É bom está cercada de informações. Bjs. Parabéns

    1. Obrigada! Se amamentar está difícil, é preciso procurar ajuda qualificada. 😘 Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.