O que é placenta prévia?

Compartilhe:

Você já ouviu falar sobre a placenta prévia?

Giphy

 

Placenta prévia é implantação da placenta no útero, mas sobre o orifício interno (OI) do colo do útero ou próximo dele. Dizemos que a gestante tem placenta prévia ou placenta de inserção baixa, quando este órgão está posicionado em um local que provoca obstrução total ou parcial do colo do uterino, que é por onde o bebê passará durante o parto vaginal.

Na maioria das gestações, a placenta localiza-se na parte posterior alta, que é uma região oposta ao colo do útero.  Muito embora a placenta não toma um lugar fixo em uma localização única durante toda a gravidez, portanto durante o crescimento uterino e da placenta, esta tende a mudar de posição.

Quais os tipos de Placenta Prévia?

Existem três tipos de placenta baixa ou prévia e cada um com seus riscos e suas particularidades em estágios diferentes:

                                       

Placenta Marginal: Tipo de placenta prévia que apenas se aproxima do colo uterino não oferecendo nenhum empecilho ou maior problema para a gestante. Esse tipo de placenta prévia não impede que o parto normal aconteça.

  • Placenta Parcial: Tipo de placenta prévia que cobre parcialmente (um pedaço) o colo do útero. Esse tipo de placenta pode sim impedir um parto normal.
  • Placenta Total: O tipo de placenta prévia que mais proporciona preocupação para os médicos em relação ao parto e outros problemas que uma placenta prévia pode trazer. Nesse caso a placenta cobre por completo o colo uterino e nem com o crescimento do útero foi trazida para cima em sua localização.

Quais são os fatores de risco?

A placenta prévia ocorre em 1 de 200 gestações. A maioria das mulheres que apresenta placenta prévia não tem nenhum fator de risco específico, mas é mais comum em mulheres que têm:

• Cesárea (risco 4,5 x maior);
• Intervenções uterinas anteriores (miomectomia, curetagem);
• Gemelaridade;
• Tabagismo;
• Multiparidade/ Intervalo interparto curto;
• Idade materna avançada.

Quais os sintomas? E como pode ser diagnosticado?

Cerca de 1 a 6% das mulheres apresentam placenta prévia entre a 10ª e 20ª semana de gestação. O diagnóstico é habitualmente feito através da ultrassonografia obstétrica. A maioria destas mulheres é assintomática, e em 90% dos casos, a placenta deixa de ser prévia espontaneamente conforme o útero vai crescendo.

O sintoma mais comum e principal da placenta prévia é sangramento repentino da vagina, sem dor. Algumas mulheres também têm cólicas. Com frequência, o sangramento começa próximo ao término do segundo trimestre ou início do terceiro e pode ser grave. Pode interromper-se sozinho, mas recomeçar após alguns dias ou semanas.

É possível ser desencadear o trabalho de parto após alguns dias de sangramento intenso. Algumas vezes, o sangramento pode não ocorrer antes do início do trabalho de parto.

E por fim, pode ser, no entanto, que não haja nenhum sintoma, e a condição só seja descoberta durante os ultrassons de rotina.

Existe tratamento?

O tratamento da placenta prévia depende de alguns fatores, sendo os mais importantes:

  • Se a paciente tem sangramentos abundantes ou com grande frequência.
  • A idade gestacional
  • O tipo de placenta prévia
  •  Ao primeiro sinal de sangramento, procure seu médico imediatamente para ter um diagnóstico precoce e evitar complicações.
  • É importante evitar toques vaginais

É indicação de cesariana?

Suspeitando-se de uma placenta prévia, deve ser realizada uma ultrassonografia no terceiro trimestre da gestação. Um diagnóstico de placenta prévia centro-total ou centro-parcial com 36 semanas ou mais, resulta na indicação da operação cesariana a ser programada,  uma vez que a
placenta oclui total ou parcialmente o canal cervical no momento do parto e é
evidente o risco de hemorragia e morte fetal caso o trabalho de parto progrida nessa circunstância, podendo ocorrer o óbito materno. Os demais tipos de placenta prévia (inserção baixa ou marginal) não se constituem por si só indicações para realização da cirurgia cesariana. 

DICAS:

  1. Aproveite o repouso: Como você precisará ficar em repouso, aproveitar esse tempo para planejar a chegada do bebê, organizar o plano de pós parto, cuidados com o bebê, visitas..
  2. Cuide-se: Faça coisas que alegram, como ler um bom livro ou ouvir uma música que você ama.

  3. Permita-se: Durante a gestação nos sentimos muito sensíveis e vulneráveis, busque se conectar com o bebê, conversar com ele e estar próximo de pessoas que querem o bem de ambos.

Se você conhece alguém, já passou por essa experiência, compartilha conosco. Gostaria de saber mais sobre assistência da Doula nesse e em vários momentos da gestação, parto e pós parto?  Me segue no IG @rafaelaidoula ou acesse meu formulário pelo https://linktr.ee/rafaelaidoula

 

REFERÊNCIAS

DESENVOLVIMENTO HUMANO http://www.ufrgs.br/livrodeembrio/ppts/5.desenvhumano.pdf

PLACENTA PRÉVIA
Rotinas Assistenciais da Maternidade Escola
da Universidade Federal do Rio de Janeiro – http://www.me.ufrj.br/images/pdfs/protocolos/obstetricia/placenta_previa_atu1.pdf

https://www.msdmanuals.com/pt-br/profissional/ginecologia-e-obstetr%C3%ADcia/anormalidades-na-gesta%C3%A7%C3%A3o/placenta-pr%C3%A9via

Placenta prévia: fatores de risco para o Acretismo – http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032001000700002

Evolução das Características Ecográficas da Placenta, da Posição e da Apresentação Fetal em Gestações Normais. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72031999000900002

http://www2.ebserh.gov.br/documents/214336/1109086/PRO.OBS.020+-+REV1+INSER%C3%87%C3%83O+BAIXA+DE+PLACENTA.pdf/1ae0fddc-13be-4277-8218-b5e20b445179

Ministério da Saúde – Secretaria de Políticas de Saúde – G E S T A Ç Ã O D E A L T O R I S C O

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/gestacao_alto_risco.htm

Diretrizes de Atenção à Gestante: http://conitec.gov.br/images/Consultas/Relatorios/2016/Relatorio_Diretrizes_Cesariana_N179.pdf

Revista da Sociedade Brasileira de Ultrassonografia  https://sbus.org.br/wp-content/uploads/2015/09/rbus-marco-de-20101.pdf

Tudo sobre placenta prévia e sua relação com a prematuridade

https://www.prematuridade.com/index.php/interna-post/tudo-sobre-placenta-previa-e-sua-relacao-com-a-prematuridade-6686

 

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.