Trabalho de parto: fases e faces!

Compartilhe:

Você sabia que os bebês não nascem do nada?! O trabalho de parto é um processo pelo qual as mulheres passam para parirem seus bebês!

Não há consenso entre os estudos sobre o que desencadeia o trabalho de parto, mas sabe-se que podem ser um conjunto de eventos fisiológicos, como: a liberação de substâncias que indicam que o pulmão do bebê está maduro (o sistema respiratório é o último a se formar); o cérebro da mulher entende que o bebê quer nascer, então há liberação do hormônio ocitocina (responsável pelas contrações uterinas) e da substância prostaglandina (responsável pelo amolecimento do colo uterino, que propiciará a dilatação).

Para o nascimento via vaginal acontecer, é necessário um conjunto de fatores: dilatação do colo uterino + contrações uterinas efetivas (durar bastante tempo e ter boa frequência) + descida e rotação do bebê pelo canal de parto. Para que esse conjunto aconteça, é necessário paciência e tempo! O bebê e o corpo da gestante não conhecem o tempo como nós, contados em horas e no relógio. Eles tem o tempo deles e por isso não tem como saber quanto tempo durará seu trabalho de parto.

Descida+dilatação+rotação=nascimento!

Perceba que os bebês além de descer pelo canal de parto, eles precisam fazer rotações para conseguir atravessar as diferentes partes da bacia materna. Eles giram em busca do maior diâmetro, ou seja, eles buscam acomodar-se de forma que o corpo (cabeça e ombros) vá se encaixando e se adequando ao tamanho da bacia. A primeira rotação é a interna para auxiliar a descida e saída da cabeça; já a segunda rotação é a externa para ajudar na saída dos ombros.

Durante a gestação, a partir da 25ª semana, aproximadamente, você pode sentir a barriga “ficar dura”. Essa sensação é a famosa contração de treinamento ou contrações de Braxton Ricks. Elas são irregulares, indolores e esporádicas. 

seu útero e seu corpo estão treinando para o parto!

Pródromos

Antes do trabalho de parto existe a fase de pródromos. Aqui as contrações uterinas são parecidas com as de treinamento, mas junto delas há um desconforto como cólicas ou pontadas no baixo ventre. As contrações duram pouco tempo, são irregulares e não são capazes de dilatar o colo uterino. 

Não há regra de quanto tempo essa fase pode durar, ou seja, pode durar algumas horas, dias ou até semanas.

Segue a vida!

Você pode aproveitar esse momento para se despedir da barriga, fazer um passeio em família, escrever cartas para você e seu bebe!

 

O trabalho de parto e nascimento são divididos em estágios e suas subfases:

Primeiro estágio do trabalho de parto

Sua/seu bebê quer nascer!

Fase latente

Aqui ela ainda estava super tranquila conversando com familiares no telefone, tranquila, rindo e brincando!
Foto Arquivo Pessoal

O corpo começa a demonstrar que algo está para acontecer. A fase latente é marcada por contrações uterinas dolorosas e alguma modificação no colo uterino.

As contrações são irregulares, não tem boa frequência e não duram muito. As contrações podem acontecer a cada 10 minutos e durar apenas 30 a 40 segundos. 

Nessa fase você ainda conseguirá interagir com as pessoas e fazer as atividades do dia-a-dia. 

  • Seria interessante que você descanse e relaxe o máximo possível. Para isso, busque ambientes calmos e tranquilos!
  • Mantenha-se alimentada e hidratada. Coma alimentos leves e tome líquidos! Não fique sem comer, o alimento será a energia necessária para as próximas fases!
  • Você pode testar métodos de alívio não farmacológicos para dor e algumas posições: tente utilizar a compressa quente para a dor; adote posições (de joelhos no chão, agachada…) que aliviem a dor.
  • Tome um banho morno/quente demorado, de 40 minutos a 1 hora. O banho ajuda a relaxar e ele é um bom indicador da evolução do trabalho de parto: sé parar as contrações após o banho, pode ter sido apenas um alarme falso; se continuar, o trabalho de parto vai engrenar.

Fase ativa

É iniciada a partir dos 5cm de dilatação cervical. Aqui as contrações uterinas são mais intensas e frequentes. Elas contrações são regulares, duram mais tempo e vem com mais frequência, ou seja, 3 ou mais contrações em 10 minutos, que duram 50 segundos ou mais cada uma.

Nessa fase, normalmente você preferirá falar menos e raciocinará menos. As dores ficam mais intensas, então:

  • A dor já era forte, contrações bastante frequentes... o silêncio, a bolo e o chuveiro aliviavam!
    Foto Aquivo Pessoal

    Mantenha o ambiente calmo e tranquilo: se você gostar de música/mantras, aromaterapia, massagens, chuveiro serão bem vindos! Se preferir o silencio, ele também é bem vindo!

  • Exercícios como andar, agachar, rebolar e manter posições verticais ajudam na descida do bebê e na dilatação do colo uterino
  • Manter a hidratação e ingerir alimentos que são ricos em energia é importante, porém, nessa fase é muito comum as náuseas e vômitos, não se preocupe! É a forma do seu corpo lidar com a dor… Coma alimentos leves, devagar e pouca quantidade por vez!
  • É nessa fase em que se recomenda ir para o local de parto!

Segundo a Organização Mundial da Saúde a duração do primeiro estágio ativo (a partir de 5 cm até a dilatação cervical completa) geralmente não se estende além de 12 horas nas nulíparas (quem nunca pariu), e geralmente não ultrapassa 10 horas nas multíparas (quem já pariu). – ATENÇÃO! Essa é uma estimativa de tempo e se refere a fase ativa do trabalho de parto.

Calma, está perto!

Fase de transição

Essa é a fase mais desafiadora e intensa do trabalho de parto. Aqui as contrações vem com bastante frequência, diminuindo o intervalo de descanso.  Você pode ficar inquieta e pode sentir ondas de calor! 

  • A respiração pode ser uma ótima aliada: “inspire cheirando uma flor e expire soprando uma vela”. A respiração auxilia na concentração e alivia a dor!
  • O chuveiro ou banheira podem te ajudar!
  • Se sentir necessidade, você pode vocalizar: sons de “aaaaaah! uuuuh!”, gemidos, gritos, podem te ajudar a lidar com a dor!

Segundo estágio do trabalho de parto

A duração desse estágio varia de uma mulher para outra. Entre as primíparas, o parto é geralmente concluído dentro de 03 horas, enquanto nas multíparas, o parto geralmente é concluído em 02 horas.

Período expulsivo

Na hora da contração, o puxo!
Foto Arquivo Pessoal

Essa fase inicia quando você atinge os 10cm de dilatação! Começam os puxos, ou seja, uma vontade involuntária de empurrar e fazer força durante a contração uterina.

Seu bebe está nascendo!

Nessa fase, os bebês fazem o “movimento de báscula”: quando a mulher faz a força, a cabeça sai um pouquinho e quando passa a contração, a cabeça volta, até que ela exterioriza na vulva e não volta para dentro da vagina mais… ela só tende a sair cada vez mais! Não tem um tempo específico que eles fazem esse movimento, é o tempo necessário para preparar o assoalho pélvico para a passagem do bebe.

A mulher de 4 apoios na cama e bebê fazendo a báscula!
Foto Arquivo Pessoal

Além disso, no final do expulsivo, você também pode sentir o chamado “Círculo de Fogo”, momento em que o períneo se estica ao máximo possibilitando a passagem da cabeça do bebê.  Você terá uma sensação de queimação e ardência!

  • Posições verticais são recomendadas já que elas propiciam uma maior abertura no diâmetro da pelve, o que facilita a saída da cabeça do bebê.  Adote a posição mais confortável! 
  • Se concentre no seu processo! 
  • Respire calmamente: “inspire cheirando uma flor e expire soprando uma vela”! É importante que esse processo aconteça de forma suave, devagar pois diminuem-se as chances de laceração.

O expulsivo termina com o nascimento!

Bebê nasceu e foi colocada direto no top para contato pele a pele!
Foto Arquivo Pessoal

Terceiro estágio do trabalho de parto

É o período desde o nascimento até a saída da placenta ou dequitação. 

Agora, a placenta vai nascer!
  • Bebê no contato pele a pele e amamentação enquanto aguarda a saída da placenta!
    Foto Arquivo Pessoal

    Você continuará tendo contrações para que a placenta desgrude do seu útero e desprenda, saindo pela vagina.

  • Durante este período é recomendado que os bebês estejam no contato pele a pele com a mãe e sejam amamentados. A amamentação e contato pele a pele liberam ocitocina, o hormônio do amor! A ocitocina fará a contração uterina que auxiliará no desprendimento e saída da placenta.

 

Referencias Bibliográficas

Livro: “O Parto é da Mulher! Guia de preparação para um parto feliz”. Cristina Balzano, 2019. 

WHO recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience, 2018.

Quais são as fases do trabalho de parto e como reconhecê-las 

 

 

Compartilhe:

Uma resposta para “Trabalho de parto: fases e faces!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.