Hospital Sofia Feldman: o SUS que dá certo

Compartilhe:

O Hospital Sofia Feldman é uma instituição de suma importância para nós; mulheres, bebês e famílias. Atende não só a população do seu Distrito Sanitário, mas toda a população belo-horizontina, demais cidades do interior de Minas Gerais, outras cidades do Brasil e até de outros países. O Sofia é referência nacional e internacional em humanização do parto e nascimento.

Que ele é o queridinho das ativistas da humanização e das mulheres e famílias que buscam assistência baseada em boas práticas, muitos já sabem. Sua filosofia de atendimento humanizado, em que se incentiva o protagonismo da mulher no parto é a chave de ouro. Mas você conhece a história dessa instituição? É uma belíssima história de construção e resistência junto à comunidade.

Sofia Feldman, o SUS que dá certo
Hospital Sofia Feldman: compromisso com a vida. Foto: Alquimia/Fabricio Mendes

Um pouco de história

Os movimentos iniciais para a construção do Hospital Sofia Feldman ocorreram em 1974, quando o Sr. José de Souza Sobrinho, confrade de um órgão da Sociedade São Vicente de Paulo (SSVP) propôs a construção de um hospital em um espaço doado à instituição no bairro Tupi, periferia de Belo Horizonte/MG. A doação foi feita pela família de Sofia Feldman e era uma exigência que a obra levasse o seu nome.

Tendo sua proposta rejeitada pelos vicentinos, o confrade solicitou permissão para se responsabilizar pela construção do hospital e passou a buscar recursos em subvenções federais, estaduais, municipais, além de doações. Quando a primeira parte da obra foi concluída, aliaram-se à ele dois jovens médicos: Dr. Ivo de Oliveira Lopes (obstetra) e Dr. José Carlos da Silveira (pediatra), ambos até hoje na instituição.

O Hospital Sofia Feldman foi fundado e construído em regime de mutirão pela comunidade do bairro e começou a operar para atender a população que dependia da caridade para ter acesso aos serviços básicos de saúde. O ambulatório foi inaugurado em 1978 e o hospital em 1982, com seis leitos na maternidade em sistema de alojamento conjunto e seis leitos de clínica pediátrica, também com internação conjunta mãe e filho. Até 1986 funcionou com trabalho voluntário e doações da comunidade, quando, através de um movimento comunitário, foi incluído nas Ações Integrais de Saúde, programa precursor do Sistema Único de Saúde (SUS).

A partir de então, passou a receber verbas regulares permitindo a ampliação progressiva da área física e o aumento dos serviços ofertados. Em 1987, o convênio passou de Ações Integrais de Saúde para Autorização de Internação Hospitalar e em 1988 se desvinculou da Sociedade São Vicente de Paulo, tornando-se Fundação de Assistência Integral à Saúde.

A parceria com a comunidade é contínua e foi formalizada através da criação da Associação Comunitária de Amigos e Usuários do Hospital Sofia Feldman (ACAU/HSF) e do Conselho de Saúde do Hospital Sofia Feldman. É o controle social dentro da instituição.

O Hospital

O Hospital Sofia Feldman é uma instituição filantrópica, 100% SUS. É a maior maternidade da Rede SUS do Brasil em número de partos (foram 10.947 partos em 2017) e a maior Unidade Neonatal de Minas Gerais (com 80 internações mensais no mesmo ano). Uma instituição “portas abertas”, que segue recomendação do Ministério da Saúde, oferecendo “vaga sempre” para mulheres e famílias que o procuram.

Sofia Feldman, o SUS que dá certo
Nasce um município por ano no Sofia. Foto: Tom Adriaenssen, Wikimedia Commons.

Desde sua fundação, tem a humanização como princípio e a garantia de respeito aos fundamentos do SUS (universalidade de acesso, integralidade da assistência, equidade na assistência à saúde, participação da comunidade e descentralização político-administrativa). Até hoje conta com voluntários, que atuam em vários projetos coordenados pela ACAU/HSF, como: Amiga da Família – mulheres da comunidade que dão apoio às mães no pós-parto; Ouvidoria – voluntárias que apresentam o hospital para as gestantes e acompanhantes, acolhem críticas e elogios; e Educadores do Controle de Infecção – orientam quanto à higienização das mãos na prevenção das infecções.

A instituição atende a uma população superior a 400 mil pessoas dos Distritos Sanitários Norte e Nordeste, de Belo Horizonte. Possui 185 leitos: 87 obstétricos, 41 em Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTI), 45 em Unidade de Cuidados Intermediários Neonatais (UCI), e 12 de outras clínicas.

Inovação e Pioneirismo

Com projetos inovadores, o Hospital Sofia Feldman se tornou referência para a mudança de modelo na assistência humanizada à mulher, recém-nascido e família no Brasil. A instituição, referência para os Programas Rede Cegonha e Parto Adequado, do Governo Federal, participa do processo de aprimoramento de profissionais e gestores de todo o país – do SUS e da Rede Suplementar de Saúde – que passam frequentemente pelo Hospital em visitas técnicas e outras atividades.

A Casa da Gestante Zilda Arns, o Espaço de Sofias e a Casa do Bebê, iniciativas pioneiras do Sofia, inspiraram o Ministério da Saúde, na criação da Casa da Gestante, Puérpera e Bebê no Programa Rede Cegonha, do SUS.

Outra iniciativa pioneira do Sofia que também está sendo replicada nas maternidades brasileiras é o projeto Doulas Comunitárias, mulheres que dão conforto e apoio emocional às parturientes no trabalho de parto. O projeto teve início com o trabalho voluntário e em 2014 as voluntárias passaram a compor o quadro de funcionárias da instituição.

Sofia Feldman, o SUS que dá certo
Curso para Doulas Comunitárias, 2011. Foto: Anderson Martins, Prefeitura de Belo Horizonte.

O Registro de Nascimento emitido pela Unidade Interligada de Registro Civil ainda no momento de internação mãe/bebê é mais uma prática pioneira do hospital, tendo iniciado com o projeto piloto em 2013.

Entre os diversos reconhecimentos que coleciona, em 1995, o Hospital Sofia Feldman foi o primeiro em Minas Gerais a receber o título de “Hospital Amigo da Criança”, de apoio, incentivo e promoção do aleitamento materno. Em 2014, foi credenciado como Hospital de Ensino pelo MEC (Ministério da Educação) e MS (Ministério da Saúde). Atualmente, oferece Residências Médicas em Ginecologia e Obstetrícia e em Neonatologia; em Enfermagem Obstétrica; e Multiprofissional em Neonatologia.

Ultrapassando as fronteiras do Brasil, nos últimos anos recebeu profissionais da Ásia, África, Caribe e América Latina, no Programa de Treinamentos para os Terceiros Países, realizado pela parceria Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) e Agência de Cooperação do Brasil/ABC/Ministério das Relações Exteriores. Em outra parceria com a Organização Panamericana de Saúde – OPAS Brasil e OPAS Argentina, ofereceu capacitação para profissionais da província de Mendoza, Argentina.

Maternidade e casa de parto

Contando com equipe multi e interdisciplinar, o Hospital Sofia Feldman oferece atenção humanizada, buscando favorecer o estreitamento dos laços mãe, filho e família através de ações como: o resgate da imagem do parto normal como uma forma prazerosa, segura e saudável de parir; o empoderamento da mulher pela informação de seus direitos; o envolvimento do pai no processo de nascimento; a valorização da presença de um acompanhante de escolha da mulher durante o trabalho de parto e parto; a atenção da(o) enfermeira(o) obstetra; a segurança e o apoio das Doulas Comunitárias; o oferecimento de métodos farmacológicos e não-farmacológicos de alívio de dor; a promoção do aleitamento materno; a criação e a manutenção de uma rede de proteção social ao recém-nascido; a internação para mães e filhos, sem berçário, em alojamento conjunto; e o planejamento familiar – inclusive cirúrgico.

  • Centro de Parto Normal David Capistrano da Costa Filho

O Centro de Parto Normal David Capistrano da Costa Filho foi criado em 2001, com recursos do Ministério da Saúde e é a primeira Casa de Parto de Minas Gerais. Local seguro, acolhedor e confortável, onde é oferecida assistência humanizada e de qualidade à parturiente e ao recém-nascido de baixo risco. Funciona como unidade peri-hospitalar e a assistência é realizada por enfermeira(o) obstetra.

Possui 2 quartos com banheira, onde a mulher pode permanecer acompanhada durante o pré-parto e parto. Local onde a mulher tem livre escolha para a posição no trabalho de parto e parto, acesso ao parto na água e aos métodos não farmacológicos para alívio da dor. A Casa de Parto conta, também,  com  três quartos para alojamento conjunto, com 2 leitos em cada quarto.

Sofia Feldman, o SUS que dá certo
Hospital Sofia Feldman: atenção centrada na mulher e na família. Casa de parto. Foto: Alquimia/Aline Teixeira

 

Converse com as Doulas da casa, no nosso grupo no Facebook

 

  • Centro de Parto Normal Helena Greco

O Centro de Parto Normal Helena Greco foi inaugurado em 2011 e conta com 5 quartos, sendo 3 deles com banheira. É a maternidade, que atende as parturientes transferidas da casa de parto, as que não desejam ir para a casa de parto ou as que estão classificadas fora do baixo risco.

É uma unidade intra-hospitalar e oferece assistência multi e interdisciplinar, atenção humanizada, alojamento conjunto, favorecimento da presença do acompanhante em tempo integral, incentivo ao parto normal e oferecimento de métodos farmacológicos e não-farmacológicos de alívio de dor.

Na atenção à mulher, o Hospital Sofia Feldman conta ainda com:

  • Unidade de Gestação de Alto Risco (UGAR)
  • Casa da Gestante Zilda Arns: unidade de cuidado vinculada ao hospital destinada ao acolhimento e acompanhamento de gestantes que apresentam agravos na gravidez. Oferece, desde outubro de 2007, a essas mulheres condições de permanência, alimentação e acompanhamento pela equipe de referência, composta por enfermeira obstetra, médico obstetra e técnico de enfermagem, podendo, ainda, contar com o apoio da psicologia, da terapia ocupacional, do serviço social, educadora física e nutricionista, que integram a equipe multiprofissional.
  • Núcleo de Terapias Integrativas e Complementares (NTIC): desde meados de 2005, reúne ações estratégicas voltadas à humanização da assistência, onde recursos naturais e terapêuticos são utilizados para prevenir agravos, recuperar e promover a saúde de usuárias, usuários, trabalhadoras e trabalhadores.
Sofia Feldman, o SUS que dá certo
Núcleo de Terapias Integrativas e Complementares – Hospital Sofia Feldman. Foto: Alquimia/Fabricio Mendes
  • Doula Comunitária: voluntárias da comunidade oferecem apoio físico e emocional às usuárias e suas famílias durante o pré-parto e parto. Referência multiplicada pelo Ministério da Saúde em maternidades públicas de várias regiões do país e do município de Belo Horizonte.

Na atenção ambulatorial, contam com serviços de pronto atendimento, pré-natal, planejamento familiar, laboratório e serviço de imagenologia.

Neonatologia

Na atenção ao neonato, o Hospital Sofia Feldman é referência para Belo Horizonte, Região Metropolitana e para outros municípios do interior do estado de Minas Gerais.

A Neonatologia é também um espaço de assistência multi e interdisciplinar com incentivo ao aleitamento materno e desenvolvimento de estratégias de humanização voltadas à integralidade do cuidado: cuidado mãe/pai canguru, internação conjunta na UCI, Espaço de Sofias, incentivo à presença do pai, à participação da família, Casa do Bebê, apoio da Amiga da Família e acompanhamento ambulatorial, após a alta, do recém-nascido de risco.

Sofia Feldman, o SUS que dá certo
Legal é nascer no Sofia! Foto: Eveline Dias
  • Espaço de Sofias: um espaço intra-hospitalar que oferece condições de repouso, alimentação e acompanhamento pela equipe multiprofissional de saúde para facilitar e estimular a presença das mães de recém-nascidos internados na UTI neonatal.
  • Casa do Bebê: espaço apropriado para internação do  bebê que necessita alcançar peso ideal, idade adequada ou de fototerapia para receber alta. Possui um alojamento conjunto que permite a presença da mãe durante todo o período de internação do recém-nascido.
  • Amiga da Família: voluntárias da comunidade que atuam junto às mães dos recém-nascidos da Unidade Neonatal apoiando e auxiliando-as quanto ao aleitamento materno e encorajando-as a assumirem alguns cuidados com o bebê, antes realizados pela voluntária ou pela enfermagem.
  • Banco de Leite: inaugurado em junho de 2017, dando condições de reverter todo o leite humano doado ao hospital para os bebês internados na neonatologia e possível ampliação de coleta, alcançando um número maior de doadoras.

Parto Domiciliar

Mais uma iniciativa pioneira da instituição, o Hospital Sofia Feldman passou a oferecer o parto domiciliar no final de 2013. O parto acontece em casa, com assistência de enfermeiras obstetras, tendo retaguarda de obstetra, pediatra e de toda a estrutura hospitalar. É o único serviço prestado pelo SUS no Brasil e desde a sua inauguração, já atendeu 136 famílias.

Sofia Feldman, o SUS que dá certo
Hospital Sofia Feldman é único hospital a oferecer parto domiciliar pelo SUS. Foto: Alquimia/Fabricio Mendes

O parto domiciliar requer uma condição primordial, que a gestação seja de baixo risco. Ou seja, gravidez única, posição cefálica do bebê, feto em crescimento regular, gestação acima de 37 semanas, ter o líquido amniótico normal, não ter cesárea prévia, não ter pressão alta ou diabetes, não ter mais de 18h de bolsa rota e não ter estreptococos positivo. A casa deve estar localizada a, no máximo, 30 quilômetros do Sofia.

As consultas de pré-natal no hospital e orientação para o plano de parto fazem parte da assistência que antecede o parto em casa. No dia do parto, a equipe leva todo o material de assistência, inclusive equipamentos de apoio, como banheira para parto na água e banquinho para parto de cócoras. Caso seja necessária a transferência, uma ambulância e equipe do hospital são a referência da assistência. Vinte e quatro horas depois do parto, a equipe retorna ao lar para realização dos testes do coraçãozinho, olhinho e bilirrubina.

Crise e greve dos trabalhadores

Diante de um subfinanciamento crônico, o Hospital Sofia Feldman vem enfrentando grave crise financeira. Os funcionários estão em greve desde o início de fevereiro de 2018 e trabalham em escala mínima.

Várias ações estão sendo feitas em defesa do Sofia. Além de ações do próprio hospital, estão ocorrendo mobilizações de trabalhadores do hospital, profissionais e ativistas da humanização, famílias assistidas pelo Sofia e comunidade. Existem até campanhas virtuais para arrecadação de doações.

O Sofia precisa urgentemente de uma solução definitiva e adequada de sustentabilidade financeira para continuar prestando assistência de excelência à comunidade.

Vamos nos juntar à essa luta! Defender o Sofia é defender o SUS!

Entenda mais sobre a atual situação do Hospital Sofia Feldman e apoie a nossa luta!

Referências:

Vídeos:

Compartilhe:

12 respostas para “Hospital Sofia Feldman: o SUS que dá certo”

  1. Bacana a história do Sofia!
    Já o via como uma esperança para a humanidade, por desviar dos rumos antinaturais que a medicina vem arrastando o nascimento, tratando-o -como uma doença.
    Bela matéria!

    1. Sofia é um verdadeiro exemplo de que a assistência ao parto e nascimento pode ser humanizada.
      Obrigada pelo retorno, Antônio!

  2. Boa noite,sou gestante moro no interior de Minas,a 400km… gostaria que meu BB nascesse no Sofia , tem um telefone k eu possa ligar e me informar melhor? desde já agradeço…

    1. Olá, Silvana! Será um prazer poder ajudá-la!
      Você pode entrar em contato diretamente com o Sofia Feldman ou no meu celular (que também é WhatsApp).
      Fique à vontade!
      Aline Teixeira – Doula e coautora do blog Casa da Doula
      (31) 99407-5939

    1. Olá, Tamara!

      Oriento minhas doulandas para levarem alguns itens que podem ser muito úteis na hora do parto e que devem ser providenciados por elas. Abaixo um lista de alguns desses itens e mais alguns outros que podem ser importantes durante a permanência da família no local de parto.
      Para uso da parturiente:
      ● roupas confortáveis para utilizar durante o trabalho de parto
      ● roupa de banho (biquíni) ou top
      ● elásticos de cabelo, tiaras, toucas plásticas para o chuveiro
      ● chinelo que possa molhar (e se puder também um seco para usar após o parto)
      ● meias quentes
      ● lentes de contato / óculos
      ● óleo preferido para massagem (a doula possui óleo, mas a gestante pode preferir escolher o aroma)
      ● 3 toalhas de banho e/ou roupão
      ● Bolsa de água quente
      ● travesseiro
      ● camisola/vestido pro pós-parto, calcinha firme grande para usar com o absorvente ou calcinha absorvente descartável, absorventes noturnos.
      Para uso do acompanhante:
      ● roupas confortáveis (pelo menos uma troca)
      ● calção de banho para acompanhar a parturiente no chuveiro ou banheira
      ● travesseiro, roupa de cama, toalha de banho
      Para o bebê:
      ● roupinha – pelo menos umas 3 trocas (sugestão: body manga longa, calça, macacão), meias, luvas, touca, manta/vira-manta, cobertor, fraldas, escova/pente de cabelo.
      ● bebê conforto para voltar pra casa no carro
      Para o ambiente e outros:
      ● aparelho de som CD player e cds de relaxamento (ou equivalente)
      ● incenso e/ou velas caso deseje
      ● máquina fotográfica e/ou filmadora e cartões de memória
      ● carregadores de baterias/pilhas/celulares
      ● lista de número de telefones para avisar os amigos e parentes
      Para uso de todos (reposição de energia é importante para que todos se mantenham dispostos mesmo após muitas horas de trabalho de parto):
      ● balas, mel, chocolates
      ● suco/gatorade
      ● frutas, água de côco
      ● barras de cereais, biscoitos
      ● garrafinha de água
      ● frutas secas, nozes, castanhas

      Espero tê-la ajudado! É possível encontrar outras listas na internet também. Uma maravilhosa experiência de parto pra você!

  3. Olá,bom dia
    Ainda se faz esse tipo de parto no Sófia?
    Vi os 3 videos Renascimento do parto
    Achei estressante, isso parto e pago pelo sus?

    1. Olá, Adriana! Que tipo de parto você se refere? Como você leu no texto e viu no Renascimento do parto, o Sofia atende somente SUS e está sempre de portas abertas para todas as gestantes que o procuram. Se quiser saber um pouco mais, estou à disposição! Pode me chamar no whatsapp (31)99407-5939.

    1. Oi, Serafina! Não sei sobre a realidade de todos os hospitais públicos, mas aqui em BH os hospitais possuem as doulas comunitárias que prestam serviço voluntário e também aceitam a entrada das doulas escolhidas pelas gestantes. Temos uma lei que garante a livre escolha da mulher e a entrada das doulas em qualquer hospital do município. Pelo que eu saiba, somente o Sofia tem doulas contratadas na sua equipe.

    1. Olá, Adriana! Tudo bem?
      As casas de parto são excelentes locais para assistência ao parto e nascimento, indicadas para mulheres em gestação de risco habitual, ou baixo risco. Qual a sua dúvida? Como posso te ajudar? Se quiser, pode me chamar pelo whatsapp (31)99407-5939. Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.