Cinco coisas que você precisa saber sobre parto humanizado

Compartilhe:

Muito se fala sobre o parto humanizado, mas a impressão que passa é que pouco se sabe sobre o que realmente significa ter um parto humanizado de verdade. Então, para simplificar ao máximo, vamos a lista de cinco itens principais para que o parto seja, de fato, humanizado. São eles:

1 – RESPEITO

flickr

Vamos começar pelo principal. Respeito ao que você deseja para o nascimento do seu filho(s) é o mínimo e essencial para a humanização do parto. Antes de discutirmos  com a equipe sobre como as coisas serão feitas, precisamos entender a necessidade individual de cada mulher. Sua história de vida, se já houve alguma frustração em relação ao parto em outra gestação e entender como o respeito a essa história pode ser crucial para o desenrolar ideal do trabalho de parto.

2 – INFORMAÇÃO

O trabalho de busca de informações nem sempre é eficiente quando se está sozinho. Porém, é outro ponto crucial para que você saiba como vai desenrolar as possibilidades de parto. Seja qual via for. E se preparar para isso, através da busca de informações em sites e fontes confiáveis, baseadas em evidências científicas. Achismos nesse campo, podem levar a decisões tomadas por impulso, medo e acabar atrapalhando seu objetivo.  Existem grupos confiáveis em redes sociais, que permitem acesso a esse tipo de informação e proporcionam a troca de experiências com outras mulheres que passaram por isso. Ler relatos, questionar sempre que não entender, são atitudes necessárias. A humanização é um caminho que exige um pouco de dedicação por parte da gestante.

3 – DOULA

Acervo pessoal

A doula é uma profissional treinada para auxiliar a gestante antes, durante e depois do parto. Ela auxilia na busca de informações, ajuda a mulher a escapar de algumas “armadilhas” pelo caminho do tão sonhado parto, justamente pela experiência e a rede de apoio que já construiu.

Ela também é importante para ajudar a mulher a passar pelas dores, aliviando com técnicas de alívio sem uso de medicação e trabalha o emocional da gestante ao longo da gestação, para que o parto ocorra da melhor forma possível para essa mulher.

A doula é uma profissional da mulher e, por causa disso, deve ser isenta. Ela fica  ao lado da gestante, para auxiliar emocionalmente em caso de violência obstétrica, porém ela não tem poder de interpelar a equipe. A doula é da mulher e deve (ou deveria) ser contratada sem estar envolvida com equipes médicas.
Doulas podem se utilizar de aromaterapia, técnicas de rebozo, massagens relaxantes, etc Além de trabalharem com educação perinatal ao longo da gestação e auxiliar com a amamentação logo após o parto. E em alguns casos, cuidam da gestante no pós parto ao longo do puerpério.

4 – EQUIPE

Uma equipe humanizada, apesar de ser algo mais fácil de se encontrar atualmente, é uma equipe que leve em conta os três itens acima como essenciais ao bom andamento do trabalho de parto.
A equipe é quem vai prestar o suporte técnico a essa mulher. Eu costumo dizer que uma boa equipe é aquela que precisa intervir o mínimo necessário para o bom andamento do parto. Aqui vale perguntar sobre todos os profissionais envolvidos, verificar no plano as taxas de cesárias (caso vc não pretenda ter uma), ver relatos de mulheres que foram atendidas por essa equipe e desconfiar das equipes que não trabalham com doulas.
Durante o trabalho de parto, todos tem suas funções bem definidas. E todos são importantes. A equipe muda de configuração dependendo do ambiente que a gestante escolheu para ter seu bebê. Em um parto domiciliar, você costuma ver enfermeiras obstétricas, pediatra e doula. Nesse cenário, a gestante acaba montando a equipe. Já em ambiente hospitalar, entra nesse cenário a obstetra, a auxiliar, instrumentadora e a anestesista.

5 – VOCÊ

SIM, você! Todo esse caminho aqui feito culmina na pessoa mais importante desse evento: a mulher que gesta.

Entenda que aqui temos apenas uma protagonista e por ela e seu bem estar é que trabalhamos. Porém, depende exclusivamente da gestante a busca pelo seu parto e pelo tipo de humanização que deseja para ele.

Por mais que a gente venha aqui e fale tudo sobre humanização, sobre como tudo pode ocorrer, isso só tem validade se vier de você! As doulas, a equipe, a família, enfim… todo os atores envolvidos ficam dependentes da vontade da mulher. Claro, em um cenário ideal.

E para esse cenário ocorrer, a mulher precisa se empoderar. E como você faz isso? Procurando entender o que é o parto ideal para você.  E a partir disso, procurar todos os itens acima. Buscar quem respeite sua vontade, buscar as informações que justifique sua vontade ou te mostre que seus medos são infundados (ou não), uma doula que te ajude a trilhar esse caminho e prepare seu espírito para o que vai vir e, finalmente, uma equipe que esteja de acordo com o que você espera.

Você, mulher, é a chave para todo esse processo. Empodere-se! Você pode!

 

Referências:

The doula: an essential ingredient of childbirth rediscovered https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1651-2227.1997.tb14800.x

Medicalização x humanização: o cuidado ao parto na história  http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=BDENF&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=14568&indexSearch=ID

MÉTODOS NÃO FARMACOLÓGICOS PARA ALÍVIO DA DOR NO
TRABALHO DE PARTO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA 

https://www.redalyc.org/html/714/71416100022/

A utilização do rebozo durante o trabalho de parto  https://comum.rcaap.pt/handle/10400.26/18979

Compartilhe:

Uma resposta para “Cinco coisas que você precisa saber sobre parto humanizado”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.