Saco vazio não para de pé!

Compartilhe:

Como manter o corpo ativo se o corpo não se alimenta?

foto Fabiola Coutinho
Energia e vitalidade

As “Diretrizes Nacionais de Nacionais de Assistência ao Parto Normal” – versão resumida – orienta que a dieta para mulheres em franco trabalho de parto deve ser líquida. Ou seja, ela deve ingerir alimentos leves para que se mantenha em atividade. Diferente do que se pregava há tempos atrás (e infelizmente até hoje em alguns lugares), que toda mulher em TP (Trabalho de Parto) deveria ser submetida a dieta zero – sem qualquer tipo de alimentação, incluindo água.

“Se a mulher desejar, você pode oferecer água, chá, sucos ou sopa durante o trabalho de parto. Isso evita que a mulher fique desidratada ou perca suas forças.”

Posição, movimentação e depois…

Para nos movimentarmos é preciso que tenhamos disposição: caminhada, agachamento, mudanças de posição, a própria força do expulsivo…. Então, a alimentação, além nos dar mais disposição, também nos ajuda a reunir forças para a fase final do trabalho de parto: expulsivo e dequitação da placenta. 

“A mudança referente à oferta de alimentos durante o trabalho de parto foi percebida positivamente e houve a constatação que a ingestão de alimentos, naquele momento, além de não causar nenhum transtorno durante o parto, propiciou às mulheres melhores condições físicas para fazer força no período expulsivo.”

Caminhando no TP

Depois de toda energia dispendida no trabalho de parto, não podemos esquecer que precisamos de forças e energia também para o pós-parto, fase em que amamentaremos nosso bebê, que poderemos tomar um banho para relaxar e a hora maravilhosa de poder comer sólidos. Ninguém é de ferro ne? Depois de uma jornada dessa, nada melhor que um lanche reforçado.

“A melhor condição física da mulher, tanto no parto, como no pós-parto, foi atribuída à alimentação recebida durante o trabalho de parto. O fato de ter ficado em jejum no parto anterior foi apontado como responsável pela fraqueza vivenciada, além da necessidade de maior aporte medicamentoso para sua recuperação física.”

Ah, não precisa ser só água ou sucos. Podemos ingerir caldos, sopas e mel, e tantas outras coisas que nos dê energia e água na boca. Afinal, de amago e sem graça já basta o sistema obstétrico do nosso País, ne?!

Você vai precisar de energia para apertar e morder seu acompanhante, se você for dessas rsrsrs

foto Fabiola Coutinho
Amamentação após nascimento

Como a alimentação mudou a vivência TP

Mulheres que receberam o auxilio da alimentação líquida durante o trabalho de parto falam de suas experiências:

“[…] da outra vez, eu fiquei com fome, não deram nem água [parto anterior]! Dessa, me deram sopa. O chá da tarde eu já não quis mais, porque já estava doendo muito e a água eles deixaram tomar à vontade, foi bom […] [parto atual] (E1).”

[…] no meu caso, tinha só tomado café na minha
casa, então, quando foi à noite, pedi qualquer coisa, nem
que seja água, estava morrendo de fome. Me deram chá,
bolacha e chocolate. Foi bom, porque eu estava morrendo
de fome [parto atual]. Na época do meu outro filho,
fiquei em jejum […] [parto anterior] (E30).

“[…] dessa agora já teve essa modificação [parto

atual], que, das outras vezes, não tinha, não davam
água nem alimentação nenhuma, até ter o parto [parto
anterior]. Agora não: teve o café, teve o almoço, eles não
cortaram nada. Dessa vez, foi diferente. É bom porque
eu achei que ia ter uma diferença na hora do parto, mas
foi tudo normal, tudo a mesma coisa. É melhor você se
alimentar pra ter mais força do que você ficar enfraquecida
[…] [parto atual] (E19).”

Então, dito tudo isso, deixe claro no seu plano de parto que você sabe dos benefícios da alimentação durante o TP e que não só deseja como sabe que é direito seu.

É importante lembrar que, para que a mulher não sofra intervenções desnecessárias, numa gestação de baixo risco, é importante que a internação no hospital, ou casa de parto, aconteça somente na fase ativo do trabalho de parto.

Referências:

Diretrizes Nacionais de Assistência ao Parto Normal:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf

Movimentação e dieta durante o trabalho de parto: a
percepção de um grupo de puerpéras

http://www.index-f.com/textocontexto/2011pdf/20-717.pdf

Livro da Parteira Tradicional – Ministério da Saúde:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/livro_parteira_tradicional.pdf

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.