Coronavírus: saiba como se proteger na gravidez

Compartilhe:

A gravidez é uma época de redobrar os cuidados com a saúde. Qualquer doença que, para outra pessoa não passa de algo simples, durante uma gestação, pode significar uma preocupação a mais.

O surto de infecções por coronavírus, declarado pela Organização Mundial de Saúde como pandemia, preocupa ainda mais as grávidas. Para se prevenir, é importante saber o que é o coronavírus e o que ele causa. Usar óleos essenciais pode ser uma excelente estratégia para reforçar a imunidade.

O que é o coronavírus?

Coronavírus são famílias de vírus que se parecem com coroas. Foto: biblioteca Canva
Coronavírus são famílias de vírus que se parecem com coroas. Foto: biblioteca Canva

São vírus com formato semelhante a uma coroa, quando vistos em microscópios. Eles atacam seres humanos e animais, provocando infecções respiratórias. O coronavírus é uma família de vírus que pode causar desde resfriados leves até um tipo de pneumonia conhecido como SARS (em inglês Severe Acute Respiratory Syndrome) ou Síndrome Respiratória Aguda Grave, em português. De acordo com a OMS, o Covid-19 causa um novo tipo de Síndrome, a SARS-Cov-2. Nos últimos 20 anos foram registrados quatro surtos mundiais de infecções respiratórias causadas por coronavírus (2002, 2012, 2015, 2019-2020).

Por que esse coronavírus é diferente?

Os primeiros casos foram registrados na China
Os primeiros casos foram registrados na China

Ao longo da vida, a maioria das pessoas vai se infectar por coronavírus comuns, ter um resfriado leve, ficar boa e nem vai saber que foi contaminada por um coronavírus. Pelo menos cinco tipos de coronavírus já foram registrados:

  • Alpha coronavírus 229E e NL63.
  • Beta coronavírus OC43 e HKU1
  • SARS-CoV (causador da Síndrome Respiratória Aguda Grave ou SARS).
  • MERS-CoV (causador da Síndrome Respiratória do Oriente Médio ou MERS).
  • Covid-19: novo tipo de vírus do agente coronavírus, chamado de novo coronavírus, que causa a SARS-Cov-2.

O novo coronavírus foi descoberto no fim de dezembro de 2019, após ter casos registrados em Wuhan, na China. Segundo o monitoramento da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, foram registrados, em todo o mundo, 1.289.380 casos, com 70.590 mortes pela doença, até 06 de abril. Dessas, 15.887 ocorreram na Itália, país com o maior número de mortes até o momento. No Brasil, até 5 de abril, foram registrados 11.281 casos, com 487 mortes.

Como o novo coronavírus é transmitido?

A transmissão dos vírus se dá de pessoa a pessoa ou através do contato com a saliva ou secreções contaminadas. Você pode pegar o coronavírus se tiver contato com gotículas de saliva e catarro, através da tosse, espirro, contato pessoal próximo (aperto de mão, beijo no rosto ou na boca), contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Quais são os sintomas da infecção por coronavírus?

Febre, tosse e dor de garganta são os principais sintomas da infecção por coronavírus. Foto: biblioteca Canva
Febre, tosse e dor de garganta são os principais sintomas da infecção por coronavírus. Foto: biblioteca Canva

O coronavírus pode ficar incubado de 2 a 14 dias antes de aparecerem os sintomas. As pessoas infectadas costumam apresentar febre seguida de dificuldade para respirar, tosse ou dor de garganta. Muitas vezes, a infecção por coronavírus pode ser confundida com um resfriado.

Como saber se estou com infecção por coronavírus?

Se você apresentou dois mais dos sintomas da infecção pelo coronavírus, tente lembrar se você foi à China, Europa, Estados Unidos, Argentina ou teve contato com quem chegou do País a menos de 14 dias. Se sim, procure um médico para avaliação.

O diagnóstico do novo coronavírus é feito a partir da coleta de duas amostras de catarro ou saliva. As amostras serão encaminhadas com urgência para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), que vai enviar uma amostra para o Centro Nacional de Influenza (NIC) e guardará a outra amostra para análise de metagenômica.

Qual é o tratamento para o novo coronavírus?

A Síndrome Respiratóia Aguda Grave pode ser causada por coronavírus. Foto: biblioteca Canva
A Síndrome Respiratóia Aguda Grave pode ser causada por coronavírus. Foto: biblioteca Canva

Como a maioria das viroses, não existe um tratamento específico para infecções causadas por coronavírus humano. No caso do novo coronavírus, o tratamento é feito com repouso, bastante água e alimentos que reforcem a imunidade.

Se os sintomas estiverem muito fortes, você pode procurar o seu obstetra para indicar um medicamento permitido na gestação. Geralmente se indica o uso de remédios para dor e febre.

O uso de umidificador no quarto ou a nebulização com soro podem ser legais pra aliviar os sintomas respiratórios. Tomar banho quente também pode aliviar a dor de garganta e a tosse.

De acordo com o Ministério da Saúde, os casos suspeitos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Referência para isolamento e tratamento. Os casos mais leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS), com medidas de precaução domiciliar.

Como se prevenir do coronavírus na gravidez?

Na gravidez, cuidados com o coronavírus devem ser redobrados
Na gravidez, cuidados com o coronavírus devem ser redobrados. Foto: biblioteca Canva

Os coronavírus apresentam uma transmissão menos intensa que o vírus da gripe, por isso, a contaminação é mais fácil de ser evitada. A melhor forma de se prevenir é evitando contato e aumentando suas defesas. Veja algumas formas de evitar o contágio:

  • evitar contato com pessoas que estejam com infecções respiratórias agudas;
  • lavar bem as mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou desconhecidas;
  • usar lenço descartável para limpar o nariz;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Usando a aromaterapia para se prevenir do coronavírus na gravidez

Oléos essenciais podem ser usados para evitar contaminação por coronavírus na gravidez. Foto: biblioteca Canva
Oléos essenciais podem ser usados para evitar contaminação por coronavírus na gravidez. Foto: biblioteca Canva

Ainda não existem estudos específicos sobre o uso de óleos essenciais para o combate ou a prevenção específica do coronavírus. Porém, alguns óleos essenciais são comprovadamente eficazes na atividade de prevenção antiviral. Ou seja, ajudam a prevenir não apenas coronavírus, mas todas as infecções de causa viral.

Alguns óleos essenciais, no entanto, não devem ser usados na gravidez ou pedem cautela. Abaixo listei alguns dos óleos essenciais mais eficazes contra vírus e quais podem ou não ser usados na gestação:

Óleos essenciais antivirais

Liberados

Capim Limão
Cipreste
Eucalipto
Gengibre
Limão
Louro
Melaleuca
Manjericão-doce (qt linalol)
Pau rosa
Orégano
Ravintsara (qt cineol)
Tomilho (qt tuianol)

Proibidos (neurotóxicos e/ou abortivos)

Anis Estrelado
Alecrim-verdadeiro (qt cânfora ou verbenona)
Hortelã-pimenta
Manjericão (qt cânfora)
Sálvia

Referências

Tariq S, Wani S, Rasool W, et al. A comprehensive review of the antibacterial, antifungal and antiviral potential of essential oils and their chemical constituents against drug-resistant microbial pathogens. Microb Pathog. 2019;134:103580. doi:10.1016/j.micpath.2019.103580
https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31195112-a-comprehensive-review-of-the-antibacterial-antifungal-and-antiviral-potential-of-essential-oils-and-their-chemical-constituents-against-drug-resistant-microbial-pathogens/

BAUDOUX, Dominique. O Grande Manual da Aromaterapia. Belo Horizonte:
Editora Laszlo, 2018.

CLIFFORD, Frances. Aromatherapy during your pregnancy. Cambridge: Daniel Company Limited, 1997.

FESTY, Danièle. Aromaterapia para grávidas. Belo Horizonte:
Editora Laszlo, 2019.

PRICE, Shirley. Aromatherapy for Women. London: Lorenz Books, 2001.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.