Meditação na gravidez: descubra os benefícios que a prática oferece

Compartilhe:

“A meditação é um treinamento mental capaz de produzir integração entre a mente e o corpo. Sua prática ajuda a pessoa a conquistar equilíbrio, relaxamento e autocontrole além de desenvolvimento da consciência. É um instrumento de autorregulação do organismo, promovendo inúmeros benefícios para a saúde. Classificada, hoje em dia, como uma técnica complementar e integrativa, tem formado uma parceria significativa quando associada a tratamentos médicos convencionais”.  (SAMPAIO, 2013)

A meditação é uma prática de auto-regulação da mente e do corpo. Não há contra indicação nem risco algum envolvido para gestante ou para o bebê. A meditação auxilia no processo de autoconhecimento, relaxa, controle dos pensamentos, aumenta o foco, melhora a conexão e passa boas energias e bons pensamentos para o bebê.

Ooommmmm
giphy.com

Confira outros benefícios da meditação:

  • Proporciona relaxamento, calma, sensação de bem estar e plenitude. Contribuindo para uma gestação mais tranquila.
  • Diminui a ansiedade (ajuda a equilibrar as emoções) e tensão muscular.
  • Melhora a qualidade do sono (principalmente no final da gestação, quando pode haver dificuldade em encontrar uma posição favorável para dormir – dificultando pegar no sono).
  • Melhora a concentração, raciocínio, memória, atenção.
  • Auxilia no aumento da conexão/sintonia da mãe com o bebê –  tudo que a mãe sente o bebê sente. Assim o bebê também sentirá a tranquilidade da mãe e as boas energias que a meditação proporciona.
  • Estimula o sistema imunológico (na gravidez há muitas alterações hormonais e a prática da meditação ajuda a baixar os níveis dos hormônios que causam estresse). Além de atuar no controle da insônia, fobia, depressão e outras doenças psicossomáticas. É uma prática aliada ao tratamento médico convencional.
  • Melhora o humor.
  •  Promove o autoconhecimento.

Agora que você já sabe os benefícios que a meditação proporciona, vamos praticar?

Se conecte!
giphy.com
  • Escolha um momento mais tranquilo do seu dia  e que não haja interferência externa. A vida é mesmo corrida, mas procure tirar uns minutos do seu dia para essa prática. Os benefícios são inúmeros, como você poderá observar.
  • Coloque o celular no silencioso, desligue a tv… Prepare seu ambiente.
  • Sente-se de uma maneira confortável, com a coluna ereta, ombros alinhados. Feche os olhos.
  • Respire profundamente e lentamente. Inspire pelo nariz e expire pela boca. Quantas vezes achar necessário.
  • Preste atenção na sua respiração, em como seu corpo está reagindo. Tente manter os melhores pensamentos. Coloque as mãos na barriga e transmita ao seu bebê todo o amor que você sente, todo desejo de paz e tranquilidade.
  • Imagine uma luz no seu coração, que vai expandindo. E cada vez que aumenta te inunda de paz, amor e harmonia. Essa luz vai crescendo e descendo pelo seu corpo até chegar em seu ventre. E agora seu bebê está envolto em pura luz. Luz de amor, de cuidado, de cura, de paz, de harmonia… E essa luz se expande cada vez mais e toma conta de todo o seu corpo. Trazendo uma enorme sensação de paz para você e pro seu bebê. Deixe essa sensação transbordar, respire, relaxe. Transmita todo o seu amor ao seu bebê.
  • Fique nessa sensação de paz e esteja aberta ao que seu bebê te enviar de volta. Caso deseje, pode dizer a ele algumas afirmações positivas: o quanto é amado, bem vindo e esperado….
  • Quando sentir que deve, traga seus pensamentos de volta para o seu corpo, sinta seus pés, seus braços… Vai voltando lentamente ao aqui e agora. E siga seus dias com essa luz no seu coração, transmitindo as melhores vibrações pro seu bebê.

 

Pratique todos os dias por pelo menos 5 minutos – se tiver mais tempo melhor ainda, não é mesmo? Você pode aumentar gradativamente, de acordo com sua possibilidade ou necessidade.

 

Há também nas plataformas digitais, as meditações audioguiadas. Você pode procurar por “meditação na gravidez” por exemplo. Prepare seu ambiente e ouça a meditação.

 

É uma prática simples que fará muita diferença na sua gestação e até mesmo na visão de mundo.

 

Vamos lá?!

 

Pratique e depois venha me contar como se sentiu.

 

Referências:

BAPTISTA  Menezes, Carolina; DALBOSCO Dell´Aglio, Débora. Os efeitos da meditação à luz da investigação científica em Psicologia: revisão de literatura. Psicologia Ciência e Profissão [en linea]. 2009, 29(2), 276-289[fecha de Consulta 16 de Diciembre de 2019]. ISSN: 1414-9893. Disponible en: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=282021772005

NOGUCHI, M. S. Meditação, Saúde Coletiva e Fonoaudiologia: um diálogo em construção. Revista Distúrbios Comunicação. São Paulo, Setembro, 2015. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/dic/article/view/2218622186. Acesso em: 16 dez. 2019.

Demarzo, Marcelo. (2011). Meditação aplicada à Saúde [Meditation for Health]. PROMEF. 1-18. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Marcelo_Demarzo/publication/310842352_Meditacao_aplicada_a_Saude_Meditation_for_Health/links/5861287008ae329d61fefa08/Meditacao-aplicada-a-Saude-Meditation-for-Health.pdf. Acesso em : 16 dez. 2019.

SAMPAIO, Cynthia. A prática da meditação como instrumento de autorregulação do organismo. VOLPI, José Henrique; VOLPI, Sandra Mara (Org.).Anais.18º CONGRESSO BRASILEIRO DE PSICOTERAPIAS CORPORAIS. Curitiba/PR.. Disponível em: http://www.centroreichiano.com.br/artigos/Anais_2013/SAMPAIO-Cynthia-A-pratica-da-meditacao-como-instrumento-de-autorregulacao.pdf. Acesso em: 16 dez. 2019.

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.