Nasce uma mãe, nasce uma Doula

Compartilhe:

Eu sempre fui apaixonada por gestação, partos e maternidade. Sempre sonhei com o dia em que eu iria parir meus filhos, eu literalmente sonhava com isso. Não sei dizer quantas vezes eu sonhei estar grávida ou parindo bebês. Sempre quando eu contava a alguém as pessoas achava engraçado, mas eu nunca tinha pensado que era o sinal da minha missão aqui na terra, da qual eu sempre me questionava.

Formei-me em Sistemas de Informação em 2012, não havia campo de atuação na cidade que moro na época e eu não tinha interesse em trabalhar fora então segui trabalhando no comércio local. Em 2014 me casei, nós fazíamos planos de ter filhos e nossa primeira filha veio em julho de 2017 em um intenso e maravilhoso parto humanizado hospitalar.

Um encontro com meu Eu


Quando finalmente me descobri grávida pela primeira vez logo comecei a pesquisar sobre o desenvolvimento fetal, a gestação e cuidados com a gestante (alimentação, exercícios, lazer). Quanto mais eu aprendia mais queria saber e compartilhar com minhas amigas grávidas e as pessoas do meu dia a dia. Desejava que as pessoas soubessem da verdade, de informação de qualidade, pois o que mais rodeia uma gestante são conversas equivocadas, mitos e principalmente muitas crenças ruins sobre o parto normal.

Aliás, o parto era um obstáculo para mim. Na cidade onde moro mulheres não tem a chance de ser a protagonista do seu parto, isso quando acontece um, pois a maioria é levada a uma cesariana eletiva. Sem contar nas violências obstétricas que era o que me assombrava.

Fiz meu pré-natal com uma médica particular e no quarto mês de gestação ela me informou que provavelmente não estaria na cidade na data provável do parto, então eu teria que escolher entre uma cesárea ou um médico substituto da cidade. Não escolhi nenhum dos dois, contratei uma enfermeira obstetra e com 38 semanas planejamos um parto humanizado no hospital da cidade vizinha.

Foram 20 horas e meia de trabalho de parto, passei a maior parte do tempo na minha casa, eu estava muito tranquila e confiante. Lavínia nasceu com 40 semanas e 1 dia, pelo SUS, cortei o cordão umbilical e tive uma assistência que todas as mulheres mereciam ter.

Foi a partir daí que a chave virou na minha vida. Eu vi, vivi e senti que era possível. Era possível ser respeitada, ser ouvida, ter meus desejos acolhidos, trazer uma nova vida com muito amor pra esse mundo e fazer a minha história. Precisava de alguma forma ajudar outras mulheres a terem uma experiência incrível como a minha. Foi então que conheci a função da Doula e descobri que eu já era uma mesmo sem o certificado (ainda).

E o que faz a Doula?

Até hoje quando digo que sou doula alguém sempre me pede: “O que é isso?”. Normal, afinal eu também não conhecia. A palavra “doula”, traduzida do grego significa: “mulher que serve”. É a profissional que irá servir a mulher durante a gestação, parto e pós parto, sendo seu suporte físico e emocional, trazendo informações baseadas em evidências científicas. De acordo com estudos, a presença da doula traz maior possibilidade de parto vaginal, menor duração de trabalho de parto, menor número de intervenções e maior satisfação com a experiência do parto à mulher.

Então foi em março de 2019 a oportunidade de tornar meu sonho em realidade. O curso para formação de doulas me trouxe muito mais do que um aprendizado profissional, me trouxe a certeza de que eu estava no lugar certo, que tudo aquilo era pra mim, trouxe um aprendizado para a vida. Foi transformador!

E agora?


Minha segunda filha nasceu há poucos dias, Alana veio de um parto tranquilo e rápido com apenas 20 minutos de fase ativa. Um parto domiciliar planejado no aconchego da minha casa junto da minha família. Tivemos a assistência da Equipe Manjedoura pela segunda vez e pela primeira vez o acompanhamento de uma doula.

Hoje sou muito mais feliz e realizada com a certeza de que estou no caminho certo. Faço parte da equipe Ventre Vida em Assis, uma equipe de doulas que está começando a dar seus primeiros passos e que você pode conhecer melhor acessando o site: www.ventrevida.com.br . Também participo dos encontros mensais do grupo de mães da Roda do Despertar.

Quero proporcionar as mulheres que passarem pela minha vida um momento digno, de apoio e confiança para que possam renascer de forma respeitosa como realmente merecem. Acompanho gestantes e famílias durante o pré-parto, parto e pós-parto, levando informação e respeitando as escolhas das famílias. Se você quiser conhecer mais sobre mim e fazer parte de um grupo VIP de atendimento se inscreva aqui.

Referências

O papel da doula na assistência à parturiente http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/380

Evidências qualitativas sobre o acompanhamento por doulas no trabalho de parto e no parto http://www.scielo.br/pdf/csc/v17n10/26.pdf

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.