6 Funções da Doula na Cesárea

Compartilhe:

Você já se perguntou sobre o papel da doula na cesárea? Muito se fala da sua importância no parto normal, mas e a atuação da doula na cesárea? É disso que eu vou falar aqui: vou te contar 6 funções da doula na cesárea.

Foto Ize Souza (@izefotografia). Letícia e Felipe na chegada de Valentina. Doula Malu Moraes (@maludoula)

A Doula

A doula é uma profissional que dá suporte para pessoas grávidas e famílias que desejam vivenciar uma experiência mais positiva e respeitosa na chegada de seus filhos ao mundo.

O jeito que esse suporte é dado varia com o perfil de cada profissional, mas de forma genérica o trabalho da doula é dar apoio informacional, emocional e físico.

  • Informação para que a grávida e quem lhe acompanhar saibam o que eles desejam, aceitam e recusam durante a assistência ao parto. Isso aí, você pode dizer que não aceita procedimentos e condutas dos profissionais. É um direito seu. Para isso, você precisa estar ciente do que está falando.
  • Apoio emocional para saber lidar com os processos. Cada pessoa tem sua história e ela tem uma influência na hora do nascimento, é bom ter uma doula que esteja ciente e te ajude a passar pelas dificuldades, que te ajude a se conectar consigo mesma e te ajude a encontrar o gás que tu precisa.
  • Apoio Físico para lidar com os processos do nascimento. Enjoo, posição, técnicas não-medicamentosas para auxiliar nesse processo.

Parece que eu só falei de parto normal, né? Mas presta atenção, eu disse “nascimento”. Isso tudo que falei se aplica a cesárea também!

A cesárea

A cesárea é uma cirurgia de grande porte que quando bem indicada salva vidas. Segundo a Organização Mundial de Saúde,  de 10 a 15% dos nascimentos devem acontecer por cesárea. Ou seja, existem pessoas que precisarão de uma cesárea e ela será a melhor via de nascimento para quem está dando a luz e para seu filho.

a doula na cesárea
Foto: Ingreti Santos (@poringretisantos). Cínthia e Thiago (a mão) na chegada de Pedro. Doula Malu Moraes (@maludoula)

Ou seja, de 100 partos, 15 deles podem ser cirurgias bem indicadas. Dentro da humanização a cesárea é uma forma de nascer muito útil quando o parto normal se torna arriscado para gestante e bebê. Nessa situação, a doula na cesárea mantém sua atuação de apoio e acolhimento.

Extra: No Brasil, a taxa de cesáreas está nas alturas: mais de 50% dos nascimentos são cirúrgicos. Só na rede particular chegamos a mais de 80% fácil. E não, essas cesáreas não são todas bem indicadas.

A Doula na Cesárea

Como dito antes, a doula está preparada para todas as vias de nascimentos, e uma boa profissional vai te preparar para isso também!

Aquele suporte na gravidez serve para isso: para que na hora do nascimento nada seja uma surpresa assustadora. Nesse ponto, o plano de parto é uma ferramenta muito importante.

O plano de parto é um documento feito pela grávida informando o que aceita ou não que seja feito consigo e com seu bebê durante a assistência ao nascimento – inclusive em caso de cesárea.

Além de um bom plano de parto, a presença da doula na cesárea faz toda a diferença. O jeito que a doula atua vai de acordo com sua personalidade e sua formação. Mas quando a cirurgia está mais palpável e se torna uma via de nascimento provável, a doula na cesárea:

Foto Ingreti Santos (@poringretisantos) Eu, Cínthia e Thiago nas últimas contrações antes da cesárea. Doula Malu Moraes (@maludoula)

1 Explica a rotina básica da cesárea para a gestante e acompanhante: internamento, vestimenta, anestesia, profissionais envolvidos, possíveis efeitos colaterais, seus direitos e o contexto daquela assistência;

2 Entra com a gestante e acompanhante no centro cirúrgico (em estados e cidades com Lei da Doula normalmente é garantida a presença de doula e acompanhante);

3 Informa o que está acontecendo ao seu redor de maneira calma: a equipe assiste a uma cesárea de maneira segura e prática, mas para a família aquilo tudo é novo. Entender os termos falados, os barulhos e cheiros de um centro cirúrgico de uma forma segura e tranquila é um diferencial.

4 Ajuda a lidar com efeitos colaterais da anestesia: ali na hora, cada profissional está monitorando uma área da saúde da gestante. As vezes, tranquilizar, ajudar a posicionar a cabeça e limpar um vômito no rosto não estão inclusos no papel. Nem ajudar a pessoa a respirar fundo quando a sensação de falta de ar bate. A doula faz tudo isso;

5 Auxilia no contato com o filho ainda durante a cirurgia: por mais que não se fale, é possível e importante o contato pele a pele com o filhote durante a cirurgia. Bebê deitado sobre o peito da mãe, a mãe podendo segurá-lo, uma manta para aquecê-los e tantos outros cuidados;

6 Permanece ao lado da gestante até a sua saída do centro cirúrgico: algumas vezes, quando não se consegue conversar sobre a permanência do bebê no centro cirúrgico, ele é encaminhado para o berçário e quem acompanha é o acompanhante. Após a cirurgia, a equipe de assistência inteira sai e fica apenas as auxiliares para limpar a gestante e encaminhá-la ao quarto – e elas cuidam de muitas coisas. A doula está ali com e para a gestante;

E mais: Quando a cesárea não é bem indicada, mas a família não consegue desviar dela, ou ainda quando tem indicação, mas a família não aceita tão bem ou não foi tão bem assistida, a doula auxilia na significação da experiência após o nascimento. Isto é, a doula cria espaços seguros e sem julgamentos para a família se expressar sobre a chegada de seu filho;

Foto Ize Souza (@izefotografia). Letícia e Felipe (de verde) no nascimento de Valentina. Doula Malu Moraes (@maludoula)

A doula na cesárea é tão importante quanto em um parto normal. Seu apoio físico e emocional faz a diferença na experiência desde a gravidez.

A doula em toda via de nascimento é a primeira a chegar e a última a sair.

Vale lembrar que:

– ter uma doula na cesárea por si só não torna a experiência humanizada;

– na humanização existe cesárea, e ela é feita quando bem indicada;

– cesárea necessária NÃO QUER DIZER que alguém morrerá ou precisará de suporte à vida.

– bebês nascidos por cesárea podem ter contato pele a pele e amamentação durante a primeira hora de vida, salvo exceções.

– frequentar roda de conversa é um diferencial na preparação para a chegada do bebê. Em Recife, você pode participar das Rodas Itinerantes, rodas de conversa que eu conduzo junto com Itamisse Ferreira e Luiza Falcão. É só clicar aqui .

Referência bibliográfica:

Caderneta da gestante. Ministério da Saúde. 3ª edição. 2018. (clique aqui)

Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas. WHO. 2018. (clique aqui)

Diretrizes de Atenção à Gestante: a operação cesariana. Ministério da Saúde. 2016 (clique aqui)

Estudando sobre doulas. Melania Amorim e Leila Katz. 2012. (clique aqui)

10 pedidos numa cesárea respeitosa. Gabriella Santoro. 2019 (clique aqui)

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.