Como evitar a cesárea desnecessária?

Compartilhe:

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há motivos que justifiquem proporções de cesáreas superiores a 15%. No entanto, a cesariana tem apresentado tendência mundial de aumento em relação ao parto normal, ocasionando elevação nos custos dos serviços de saúde e nos riscos de morte de mães, fetos e recém-nascidos.

No ranking internacional, o Brasil aparece como um dos líderes em realização de cesáreas desnecessárias. Dados de 2018 mostram que, somente no Sistema Único de Saúde (SUS), a taxa de cesáreas alcança 42% do total de partos. Nos hospitais particulares, os números chegam a 80%. Existe ainda no país uma tendência à recusa do parto vaginal e essa é uma questão importante de saúde pública.

Por que não fazer a cesárea agendada?

Em algumas regiões do Brasil, como apontam algumas pesquisas, o parto por cesárea se tornou um sinal de status social, bem como um fator de conveniência para mães e médicos, que agendam o parto em determinados horários e dias da semana.

A cesariana marcada representa uma chance três vezes maior de morte tanto para a mãe quanto para o bebê. Além disso, há maiores chances de hemorragia, infecção, trombose, além dos riscos relacionados à anestesia.

A importância do parto normal ou parto vaginal

Fonte: Pixabay

Dar à luz um bebê é um ato natural, um processo fisiológico que requer pouca intervenção médica. Dessa maneira, a OMS recomenda que o profissional de saúde intervenha no nascimento de uma criança somente quando necessário.

A cesárea, cirurgia de médio porte, é recomendada em casos de complicações reais para a mulher e para o bebê e necessita, portanto, de indicação.

Para a criança, a principal consequência é a prematuridade e a imaturidade pulmonar. De acordo com dados do Ministério da Saúde, as cesáreas agendadas também aumentam em 120 vezes a probabilidade de problemas respiratórios para o recém-nascido e se trata da principal causa do encaminhamento de bebês para UTIs neo-natais. A única prova existente de que um bebê está pronto para o nascimento é o trabalho de parto.

Fungindo da DesneCesárea

Quando a mulher escolhe uma equipe ou um hospital para sua assistência durante o parto, ela escolhe também os seus protocolos e condutas. Sendo assim, é fundamental buscar dados sobre as taxas de cesárea e parto normal da equipe com quem deseja realizar seu parto.

Além disso, é de suma importância que a gestante elabore seu Plano de Parto, documento no qual a mulher escrever seu desejos, preferências e expectativas para o momento do parto.

Esse documento é uma importante ferramenta para orientar a equipe no acompanhamento do seu parto. Ao elaborar o Plano de Parto é importante que a gestante discuta com a equipe de assistência a escolha pelo parto mais adequado, com base no histórico de saúde da mulher e o grau de risco identificado criteriosamente no pré-natal. Por isso o acompanhamento pré-natal é superimportante.

A doula é uma profissional que atua com base em evidências científicas e pode auxiliar você na busca de informações sobre a realidade obstétrica de sua cidade e ainda auxiliar na elaboração do seu Plano de Parto.

Fonte: Pixabay

 Eu vou dar à luz no SUS, e aí?

Se você planeja dar à luz em uma instituição ligada ao Sistema Único de Saúde (SUS), o Ministério da Saúde informa ter criado um sistema online em março de 2018 com o objetivo de acompanhar a quantidade de partos cesáreos pelo site da Secretaria de Vigilância em Saúde. Verifiquei no dia de publicar este post e o link no site não estava funcionando e não havia outra opção disponível.

Sugiro, no momento, que você procure grupos de apoio ao parto normal em sua cidade e busque relatos de parto de mulheres que viveram suas experiências na instituição que você escolheu.

Ah! Entre também na ouvidoria do SUS e questione, reclame para que esse monitoramento esteja disponível.

E o Plano de Saúde?

Se você optou por uma instituição ou equipe vinculada a um plano de saúde, essa organização tem a obrigação de informar aos pacientes as taxas de cesárea e parto normal dos médicos e hospitais do plano em até 15 dias, de acordo com a Resolução da ANS (06/07/2015). Acesse aqui.

Como obter informações sobre Médicos Particulares?

Se o seu médico é particular, é importante saber nos hospitais que trabalha se ele/ela só marca cesárea ou se costuma fazer parto normal por lá. Você pode fazer uma consulta também aqui https://www.consultacrm.com.br/, com nome e o CRM do médico.

Fonte: Canva

Para todas as opções acima, os grupos de apoio ao parto normal em sua cidade são um recurso super importante. Busque relatos de parto de mulheres que viveram suas experiências com a equipe ou instituições que você escolheu. Faz toda a diferença!

Você pode contar também com o apoio de uma doula para saber mais sobre o cenário obstétrico de sua região, obter informações sobre grupos de apoio ao parto normal, realizar seu plano de parto e ter assistência profissional durante o trabalho de parto e após o parto também. Para obter mais informações sobre o trabalho que realizo, entre em contato pelo whatsapp (11) 975579721.

Cadastre-se AQUI e receba informações sobre eventos, grupos de apoio e outros trabalhos que realizo, presenciais e à distância. Você pode me acompanhar também nas redes sociais @flavia.arone.terapias.

Referências:

Assistência ao parto: história oral de mulheres que deram à luz nas décadas de 1940 a 1980http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-07072013000100020&script=sci_arttext&tlng=pt

Diretrizes Nacionais de Assistência ao Parto Normal: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf

Humanização do parto: https://static.scielo.org/scielobooks/pr84k/pdf/maia-9788575413289.pdf

Parto: novas recomendações da OMS: https://www.sns.gov.pt/noticias/2018/02/20/parto-novas-recomendacoes-da-oms/

Taxas de partos cesáreos por operadora de plano de saúde: http://www.ans.gov.br/planos-de-saude-e-operadoras/informacoes-e-avaliacoes-de-operadoras/taxas-de-partos-cesareos-por-operadora-de-plano-de-saude

Ministério da Saúde fará monitoramento online de partos cesáreos no país: http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/42714-ministerio-da-saude-fara-monitoramento-online-de-partos-cesareos-no-pais

WHO recommendations Intrapartum care for a positive childbirth experience: http://febrasgo.mccann.health/childbirth_experience_2018.pdf

Você conhece as recomendações da OMS para parto normal? https://www.unasus.gov.br/noticia/voce-conhece-recomendacoes-da-oms-para-o-parto-normal

Suporte contínuo para mulheres durante o parto: https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD003766.pub6/full

Parto normal fortalece a saúde do bebê e tem melhor recuperação: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/35088-parto-normal-fortalece-a-saude-do-bebe-e-tem-melhor-recuperacao

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.