SLING! O que é, de onde veio, como usar e quais as vantagens. (Parte II)

Compartilhe:

Os tipos mais comuns de Slings

Na primeira parte do texto eu mostrei diversos tipos de Slings desenvolvidos pelos anos, respeitando as necessidades culturais e principalmente ambiental de cada população.

Nas regiões mais frias, os carregadores tradicionais também traduziam a preocupação de aquecer o corpo do bebê para além da capacidade de troca de calor pelo contato com o adulto, já em regiões de clima tropical essa não era uma preocupação tão presente.

Porém, aqui, vou concentrar esforços nos Slings mais modernos e facilmente encontrados no Brasil, ok!?

Sling de Argola

Foto: Ana Ferrari_Flickr

São muito rápidos de vestir e colocar o bebê, além de fáceis de aprender como usar. Quando dobrados, ficam pequenos e por isso fáceis de transportar na bolsa.

Permitem movimentar o bebê sem tira-los do carregador ou tirar o Sling do seu corpo e também podem ser confeccionados em diversos tecidos, de acordo com a necessidade climática de cada região.

Os principais cuidados são referentes a qualidade das argolas x peso do bebê e por não deixarem a criança tão presas quanto outros modelos, nossas mãos não ficam totalmente livres o tempo todo. Devemos ficar alertas ao tempo de uso, pois o peso se concentra em um ombro só.

Wrap Sling

Foto: Kristi Devlin_Flickr

Normalmente envolve uma escolha entre tecidos com capacidade elástica ou puro algodão, ambos tendem a ser macios e confortáveis, acessíveis financeiramente e fáceis de lavar.

Permitem diversos tipos de amarração, algumas que podemos deixar pré-prontas, para facilitar a rotina e também para poderem ser retirados do corpo sem movimentar tanto o corpo do bebe, o que ajuda bastante caso ele já esteja dormindo.

O bebê fica bem seguro na maioria das amarrações o que aumenta a eficácia em deixar nossas mãos realmente livres para outras atividades.

Os maiores cuidados são relacionados a vida útil, pois principalmente os que possuem elástico na composição podem ceder na estrutura com o tempo, no caso dos que são feitos de algodão, as diferentes opções de tecido podem interferir na experiencia, por exemplo, se for uma cidade muito quente e o tecido de trama mais fechada. 

O tamanho do Sling aberto também pode assustar em um primeiro instante, mas coragem pois é exatamente isso que permite variar as formas de uso. Você consegue!

Pouch Sling

Foto: Cotton Slings_Flickr

São extremamente simples de usar, pequenos quando dobrados, por isso fáceis de transportar na bolsa. Eles se adaptam bem para bebês que já andam, o que pode ser um desafio nos modelos anteriores.

Os modelos de malha podem ser usados na praia ou na piscina e são frescos para regiões mais quentes.

Os maiores cuidados são relativos ao tamanho correto para o corpo do adulto, pois permitem pouco ou nenhum ajuste nesse sentido. Precisam de um pouco de prática e ajuste de tamanho para oferecer um bom suporte para recém-nascidos.Também exigem cuidado no sentido de deixar as mãos livres, para abaixar o corpo ou se curvar, segurando o bebê.

Devemos ficar alertas ao tempo de uso pois o peso se concentra em um ombro só.

Estilo Mochila

Foto: Claudio Brandão

São provavelmente os mais fáceis de usar e costumam vir com acessórios diversos, como gorros, ganchos, bolsos e outras praticidades para a mobilidade da mãe e bebê.

Podem ser usados na frente ou nas costas, porém são mais indicados para bebês sentantes ou crianças maiores.

Os maiores cuidados são relativos a evitar o uso desse carregador com recém-nascidos. Tendem a ser mais caros e de manutenção mais trabalhosa (lavar, secar, ressecamento das partes plásticas) e algumas mulheres podem ter dificuldade de amamentar com o bebê dentro da mochila.

Cuidados gerais ao utilizar o Sling

  • Nunca permita que o rosto do bebê seja totalmente coberto, pois pode fazer com que ele respire o mesmo ar por diversas vezes ou tenha dificuldade em respirar de maneira geral.
  • Não corra, pule, pratique atividades físicas intensas ou movimente-se bruscamente, pois movimentos bruscos não seriam seguros à coluna e ao cérebro do bebê.
  • Cozinhar com um bebê no colo ou em um Sling pode não ser uma ideia muito segura, nesses momentos prefira deixar o bebê com outro adulto ou longe de objetos quentes.
  • Verifique sempre as costuras, acessórios, argolas e tecidos antes de cada uso.
  • Fique atenta às coisas que o bebê pode alcançar, principalmente quando carregá-lo nas costas.
  • Pesquise e se informe bem com os fornecedores sobre as amarrações e possibilidades de posicionamento do bebê dentro dos Slings.

Como Amarrar o Sling

Aqui eu selecionei alguns vídeos explicativos sobre como utilizar alguns dos modelos que expus nesse texto, mas não deixe de assistir a outros vídeos e de perguntar bastante aos fornecedores, sobre todas as dúvidas que você tiver!

 

Certifique-se que está segura antes de dar esse passo e se você não se adaptar, tudo bem também!

Existem muitas combinações de mães, bebês, tipos físicos, condições climáticas, disponibilidade financeira e necessidades, de modo que nada precisa ser uma unanimidade, ok!?

Você pode entrar em contato comigo pelo
e-mail: contato@carolrodrigues.com.br
ou  Whatsapp:  21 99155-0328

 

Referencias:

Comparação de diferentes formas de carregar o bebê: Uma abordagem Biomecânica –  http://citrus.uspnet.usp.br/biomecan/ojs/index.php/rbb/article/viewArticle/155

Analise comparativa da Fadiga Muscular nos adultos apos o transporte de bebês com ou sem auxílio de Carregadores –  http://tede.udesc.br/bitstream/tede/1948/1/118436.pdf

Uso da Bolsa Canguru em bebês a termo saudáveis: A relação com a Amamentação e Percepção Materna – https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/7368

Método Mãe Canguru: aplicação no Brasil, evidências científicas e impacto sobre o aleitamento maternohttp://www.scielo.br/pdf/jped/v80n5s0/v80n5s0a09

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.