Livre demanda: Vale a pena?

Compartilhe:

Muitos podem se perguntar, se realmente vale a pena realizar amamentação em Livre Demanda.

Aqueles palpites camaradas que ouvimos:

  • O bebê fica pendurado na mama da mãe o dia todo?
  • O bebê vai fazer seu peito de chupeta!
  • Desse jeito você não conseguirá organizar sua vida!
  • Oferecer toda hora fará com que você não tenha tempo para nada.

    Aquele palpite “camarada”

Cansa só de ler não é mesmo?

Mas vamos entender o universo do bebê, o que é a Livre Demanda, quais as suas vantagens para depois decidir o que será melhor para você, seu bebê e sua casa.

O Que é Livre Demanda?

 

Livre Demanda significa que seu bebê irá mamar toda vez que sentir fome e necessidade, sem limitar frequência e tempo das mamadas, ele irá mamar até se sentir satisfeito.

Ao ler este parágrafo posso ter a ideia de que quem manda na amamentação é o bebê. Porém eu encaro a amamentação como um relacionamento, ou seja, envolve 2 pessoas. Logo a vontade da mãe também deve ser levada em conta nesse processo.

www.publicdomainpictures.net

O dr. Carlos Gonzales comenta em seu livro: “O Manual Prático do Aleitamento Materno, que os recém nascidos, após as 12 primeiras horas de nascimento, deveriam mamar entre 8 a 10 vezes em 24 horas.

Hormônios da Amamentação

 

Existem 2 hormônios essenciais para a amamentação.

Um deles é a prolactina, responsável pela produção do leite materno.

É estimulada pela sucção do bebê na mama da mãe. Então um bebê que mama garante a produção de leite. Por isto também, que não é interessante oferecer bicos artificiais ao bebê. O bebê realiza sucção nutritiva e não nutritiva; tem uma necessidade grande de sugar, quando ofertamos bicos artificiais deixamos de estimular a mama da mãe e isso reduz o estímulo para a manutenção e produção do leite materno.

Outro hormônio é a ocitocina, responsável pela ejeção do leite.

Este hormônio é conhecido como hormônio do amor e da gratidão. Está presente durante a relação sexual e no trabalho de parto; fazendo as contrações uterinas.

É um hormônio um tanto quanto exigente, caminha junto com os sentidos. Por isso que na amamentação, só de ouvir o choro do bebê o leite é ejetado da mama, “vaza”. Por conta desse funcionamento, é inteligente escolher um ambiente tranquilo para amamentar.

Os picos desses hormônios se dão no período da noite e madrugada, logo entendemos o porque alguns bebês acordam nesse período. Justamente para garantir a manutenção do leite. A fisiologia humana é realmente inteligente.

Entendendo o universo do seu bebê

 

Para entender o porquê a Livre Demanda é uma boa possibilidade, é interessante conhecermos o universo do nosso bebê. Isso realmente facilita nossa compreensão e o exercício da paciência e empatia com esse novo ser.

  • Ele estava num ambiente confinado, com contato na maior parte do seu corpo o tempo todo;
  • Nasce neurologicamente imaturo, dependendo de um cuidador 24 horas;
  • Os nutrientes estavam sempre disponíveis;
  • Sugavam a mão que se encontrava próxima do seu rosto.
  • De repente saem para esse mundo gigante, espaço pra dar e vender,  e sem ter capacidade motora de levar a mão a boca;
  • Novas sensações começam a ser percebidas como fome, frio, desconforto.

Quanta mudança em um curto intervalo de tempo.

Já notaram também que agimos com a criança de uma forma muitas vezes que não agiríamos com um amigo? Esperamos de um ser imaturo atitudes que muitas vezes nem nós adultos maduros conseguimos ter e manter.

A Teoria da Exterogestação  (em outro momento podemos falar só sobre ela) nos revela que o nascimento não encerra a gestação. Por conta da biomecânica da nossa pelve e do nosso cérebro especializado, nós humanos nascemos “antes do tempo”, na verdade neurologicamente imaturos. Um cérebro adulto com ossos do crânio fundidos não passaria pela pelve de uma mulher. Por isso que  o bebê demanda tanto de seus cuidadores.

Pixabay

 

Por conta dessa imaturidade o bebê não produz um hormônio que nos auxilia a dormir, a melatonina. Logo ele necessita de ajuda para adormecer. Sabe onde encontramos substância indutora do sono? No leite materno.

Como citamos acima os bebês tem uma necessidade de sugar, sucção nutritiva que é a necessidade de saciar a fome e sucção não nutritiva que é a necessidade de contato e de se sentir seguro.  E também já sabemos que a sucção do bebê na mama da mãe é o que garante que o leite continue sendo produzido. Natureza fantástica a nossa. Olha como amamentar é importante!

 

A vida intrauterina era uma vida “apertadinha”. Ao amamentar acolhemos o bebê de uma forma onde promovemos bastante contato com o corpo dele, logo ele se sente seguro e se acalma.

commons.wikimedia.org

Percebe o quanto eu posso acolher o meu bebê amamentando em Livre Demanda? Esse acolher gera um ser mais seguro  e não dependente como dizem alguns. Promover essa segurança desde pequeno, faz com que a criança consiga enfrentar de uma maneira mais tranquila as adversidades que enfrentará na escola por exemplo.

Concluindo

 

A amamentação em livre demanda pode contribuir nos seguintes aspectos:

  • Garante a produção e qualidade do leite;
  • Faz a transição do meio intrauterino para o meio extrauterino de maneira mais harmônica;
  • Auxilia o bebê a dormir;
  • Acalma o bebê;
  • Promove segurança.

Não posso deixar de mencionar que mesmo que você opte pela Livre Demanda, alguns fatores devem ser observados constantemente para constatar se o bebê está mamando de forma eficiente. Observe quantas fraldas de xixi você troca, se o bebê está ativo e como está o ganho de peso dele.

Sei que, especialmente no início, a Livre Demanda pode exigir bastante empenho da mãe. Mas somos o adulto desse relacionamento. Isto quer dizer que temos condições de entender a situação e agir de forma benéfica para todos. Porém não quer dizer que a mãe precisará abrir mão de si mesma e viver única e exclusivamente para o bebê.

Uma rede de apoio é importante para que a mãe que cuida, possa também ser cuidada.

pixabay

Meu intuito não é convencer ninguém, mas sim informar. Desta forma tomamos decisões mais conscientes e acertadas para nossa casa.

Foto: Joyce Kamo fotografia

Referências

Manual Prático de Aleitamento Materno – Dr. Carlos Gonzales

Sintonia de mãe – Andressa Bortolasso

O Bebé mais feliz do Mundo – Harvey Karp

SAÚDE DA CRIANÇA: Nutrição Infantil Aleitamento Materno e Alimentação Complementar – Ministério da Saúde 2009

Práticas educativas segundo os “Dez passos para o sucesso do aleitamento materno” em um Banco de Leite Humano – Ciênc. saúde coletiva vol.22 no.5 Rio de Janeiro maio 2017 – Cristianny Miranda e Silva, Ana Luiza Rodrigues Pellegrinelli, Simone Cardoso Lisboa Pereira, Ieda Ribeiro Passos, Luana Caroline dos Santos.

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.