Parir é: Uma busca? Uma construção? Uma luta?

Compartilhe:

Parir deveria ser, só parir!

https://midwifeandlife.com/wp-content/uploads/2015/09/11892061_387585984779679_2917080120095654006_n.jpg
Parir (https://midwifeandlife.com/wp-content/uploads/2015/09/11892061_387585984779679_2917080120095654006_n.jpg)

Para o sistema obstétrico o parto é instrumentalizado/tecnicista e não fisiológico. É isso que as mulheres enfrentam todo dia. Se você busca por respeito no trabalho de parto, na hora de parir e na recepção do seu bebê terá que lutar por tudo isso. Infelizmente temos que “bater o pé” para garantir o direito de parir. E parir com respeito. Parir sem intervenção; sem mãos o tempo todo “orquestrando” o períneo; parir no tempo do seu corpo; parir sem ninguém te mandar fazer “força comprida” ou “segurar a força”; ser alimentada durante o trabalho de parto; parir sabendo da evolução do seu parto; ter liberdade para movimentar-se; ter a liberdade de escolher a posição e o lugar para parir…

E o pai? O pai/o (a) acompanhante precisam estar cientes de suas vontades, tranquilos do processo, informados sobre a evolução, justificados quando da (real) necessidade de alguma intervenção. Que isso não aconteça porque é uma desculpa para acelerar e você “parir no meu plantão”.

A busca por garantir o direito de parir não ocorre apenas no parto! Como fez Adeliana, 24 anos e em busca de um parto com respeito. Ela foi em busca de seus direitos e me aceitou em sua caminhada. E foi lindo vê-los empoderados, cientes de seus direitos. Ela e seu companheiro, Diego, buscaram protocolar o plano de parto no hospital, meses antes de Oliver nascer, e o que conseguiram foi um resistente “não”. Estar com “cartas na manga” como ambos estiveram é essencial para a segurança do que a mãe deseja no trabalho de parto. E ser teimoso, como Diego foi, que não desistiu no primeiro “não” e encaminhou protocolo no Ministério Público da cidade que residem, o que gerou respeito ao apresentar o plano para o médico plantonista, assegurando o que a Adeliana queria durante seu trabalho de parto. Vale se informar melhor!

Diga adeus ao GO “fofo”

Os profissionais envolvidos na cena do seu parto seguem protocolos próprios ou da instituição. Portanto, conheça as opções que você tem. Conheça as instituições e converse com os profissionais que irão te acompanhar. Saiba a conduta do seu obstetra na hora do parto. Saiba o que ele de fato respeita e o que ele “não abre mão”. Se essas condutas não vão de encontro a um parto fisiológico, procure outro. Também não se apegue ao profissional que fez seu pré natal! Como assim? Sim, você confia nele(a). Mas ele irá te respeitar? Duvide. É o seu bebê, o seu momento, é o seu parto, é sua busca, é sua luta. E o parto é só o começo. Ainda tem a amamentação e a falta de apoio da sociedade…

O parir

Você precisa saber que isso é possível e acreditar na sua capacidade! Você precisa de concentração e silêncio para conseguir ouvir o que seu corpo está pedindo. Por isso, muitas falas e direcionamentos mais atrapalham do que ajudam nessa hora… saber o que quer e o que vai acontecer é uma fundamental segurança. A desinformação é um dos maiores possibilitadores de intervenções no trabalho de parto! Conhecer as fases e entendê-las, esperá-las e aceitá-las é a chave para a conexão que você precisa.

O expulsivo é aquele momento em que a mãe está prestes a nascer, precisa ultrapassar o medo, o cansaço, a dor e encontrar dentro de si as forças necessárias para colocar seu bebê no mundo.

Get ooooutt!!

Nessa fase do parto da Adeliana, tivemos a chance de observar e respeitar o momento dela. O médico estava ciente das vontades do casal, graças a persistência de ambos, e assim Oliver nasceu e foi direto para os braços da mãe que acabara de nascer.

Diego, Adeliana e Oliver – Plenos (Foto Arquivo pessoal)

Só você pode fazer isso

É hora de bater no peito, soltar aquele grito (interna ou externamente) e fazer o seu parto! Sem segurar nada, agora você precisa soltar tudo, se soltar, relaxar e soltar o seu bebê.

Você irá perder o controle do seu corpo, é preciso que isso aconteça!

Entregue-se! Confie! Agradeça!

Doula Gil Costa

Referências bibliográficas:

Teste seu médico:

https://www.youtube.com/embed/jhHey1HdOkQ

OMS orientações positivas para o parto normal

https://news.un.org/pt/story/2018/02/1611011

Golden hour ou hora de ouro, a primeira hora de vida do bebê

https://blog.casadadoula.com.br/2018/07/03/golden-hour-ou-hora-de-ouro-a-primeira-hora-de-vida-do-bebe/

Relato de Parto da Adeliana

https://www.facebook.com/pg/gestarondon/photos/?tab=album&album_id=2206143259414191

Plano de Parto

https://blog.casadadoula.com.br/2019/02/12/como-fazer-seu-plano-de-parto/

Doulas recomendam:

Círculo Feliz Parto em Jacareí – 23 de fever... E mais uma vez eu venho trazendo uma notícia maravilhosa: O Círculo Feliz Parto está de casa nova!! Dia 23 de fevereiro, realizaremos nosso encontr...
CAMILA MEDEIROS – MULHER, MÃE E DOULA   Olá, sou a Camila, mãe do João Pedro e da Maria Luiza, tenho 32 anos e sou doula. Descobri a doulagem e o movimento de humanização do part...
Parto Humanizado: Tudo que você sempre quis saber Parto Humanizado é um assunto que sempre surge em rodas de gestantes ou na espera de consultórios médicos. Muita gente acha que o parto humanizado ...
Contato pele a pele na primeira hora de vida   Dentro do contexto da humanização da assistência ao parto, o contato pele a pele durante a primeira hora de vida é algo fundamental. É uma f...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.