O papel do (a) parceiro (a) na gestação, parto e pós parto

Compartilhe:

Então vcs sonharam, desejaram (ou não) mas o positivo veio, para a mulher que esta gestando normalmente as mudanças físicas e emocionais começam logo cedo, muitas descobrem a gravidez por essas mudanças, mas e o (a) parceiro (a) como se achar nesse novo mundo?

Na gestação

Presença do pai na gestação

Tudo bem que para você nada mudou ainda, a ficha demora um pouco mais pra cair mesmo, mas enquanto parceiro(a) você pode participar:

  • Do pré-natal – Mesmo que não consiga comparecer em todas as consultas, ultrassons etc, mas estar por dentro, acompanhar a evolução do bb a cada semana gestacional;
  • Participar dos cursos de gestante – Normalmente as instituições hospitalares promovem esses tipos de cursos abordando tudo o que envolve a gestação, as mudanças físicas e hormonais, os tipos de parto, cuidados com recém-nascido, entre outros, PARTICIPE!
  • Busque Informação – Hoje existem muitos meios, blogs, sites, redes sociais, que trazem informações em relação ao parto, amamentação, converse com profissionais, quanto mais conhecimento maior será sua empatia quando precisar.
  • E acima de tudo apoiar a decisão da sua mulher;

 

No trabalho de parto e parto:

Nascimento do Lucca julho/2018

Ahh o parto, nesse momento o (a) companheiro (a) tem papel fundamental, pai não importa qual o tipo de parto o casal escolheu, onde ele será, nem quem mais participará, o que a mulher precisa nessa hora é de apoio do (a) seu (ua) parceiro (a). E nessa hora, ele (a) deve atuar sendo realmente um(a) companheiro(a) Os casais que vivenciam dessa experiência juntos relatam sair mais fortalecidos para o que está por vir. O que você deve fazer:

  • Mantenha a calma, respire fundo e concentre-se;
  • Anote a frequência e a intensidade das contrações (hoje tem aplicativos para isso, babycenter é um que eu recomendo;
  • Ao iniciar os sinais de trabalho de parto informe os profissionais que estarão com vocês nessa jornada (médico, enfermeira, doula,etc);
  • Garanta que a gestante esteja confortável e tranquila;

Se o parto for hospitalar certifique-se de pegar tudo o que for preciso para ir ao hospital (bolsa da maternidade, os documentos, roupas da mulher e de preferência já coloque no carro;

  • Cuidar da parte burocrática de internação, autorizações, pagamentos, etc. Você que fará isso, portanto, procure se informar sobre tudo que vai ser preciso;
  • Certificar-se de que o plano de parto de vocês está sendo seguido;
  • Dar suporte emocional à gestante (palavras de incentivo e força são bem-vindas) e nunca criticar o comportamento da mulher;
  • Depois do nascimento, se o bb for levado para longe da mãe para pesar, medir etc, é vc quem deve acompanha-lo;

No pó parto:

pai pós parto

O pós parto ou puerpério é um momento delicado para para a mulher, pois ela sofre um turbilhão hormonal ao mesmo tempo que ainda está fragilizada em função do parto, ou em caso de cesária, recuperando-se de uma cirurgia, além disso ela tem um novo ser aos seus cuidados e a responsabilidade pesa, o medo bate e se ela não tiver a quem se apoiar as coisas podem se complicar, então no papel de parceiro (a) o que você deve cuidar:

Ser o cuidador – Nesse momento você passa a ser o (a) cuidador (a), no ambiente hospitalar, em casa, de tudo! A mulher precisa estar 100% voltada para o bb, Para os homens talvez esse seja um dos maiores desafios, visto que a grande maioria foi cuidado a vida inteira, ou pela mãe, ou pela esposa,

Responsabilizar-se pelas coisas práticas da casa – Os afazeres domésticos, a comida, as compras, fazer ou designar a tarefa a alguém, essa é sua responsabilidade no pós parto.

Zelar pela privacidade – Logo que a vocês chegarem em casa  é muito comum toda a família desejar ver o bebê, pegar, etc.. A prioridade nesse momento é sua parceira e seu filho, por isso, se for necessário, diga NÃO as visitas, peça pra vir outro dia, enfim

Gerar sensações positivas– Todos os sentimentos que a mãe sente podem ser transmitidos para o bebê mesmo após o nascimento. Ou seja, quanto mais sua parceira estiver recebendo estímulos positivos como amor, carinho e segurança mais seu bebê também se sentirá amado, acolhido e seguro.

Presença – Esteja presente, mas presente de verdade. Desperte para a sensibilidade. Quando estamos presentes, conseguimos nos conectar nas coisas mais sutís. E tudo que se deseja nesse momento é uma total conexão entre mãe, bebê e o pai, no caso, você.

 

Referencias Bibliograficas

O envolvimento do pai na gravidez/parto e a ligação emocional com o bebé

http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-02832012000300006

O PAI NO PARTO E APOIO EMOCIONAL A Perspectiva da Parturiente 1

http://www.scielo.br/pdf/paideia/v15n30/12.pdf

Evidências sobre o suporte durante o trabalho de parto/parto: uma revisão da literatura

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2005000500003

A IMPORTÂNCIA DA PRESENÇA DO ACOMPANHANTE JUNTO A PARTURIENTE E SEU BEBÊ

http://www.resap.net.br/attachments/article/47/006_resap_v3_n2_2017.pdf

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.