Episiotomia Vs Laceração? Qual a melhor opção?

Compartilhe:

Esse é um questionamento recorrente entre as mulheres. Elas muitas vezes acreditam, ou são levadas a acreditar, que o parto natural vai rasgar a vagina e que um corte inofensivo teria o poder de prevenir essa situação, sendo assim uma técnica mais adequada. É… não é bem assim!

Ilustração de @marcellabriotto tirada do @assoalhopelvico

A episiotomia

Cerca de 140 milhões de nascimentos acontecem por ano no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a grande maioria sem complicações. Mesmo assim, são realizadas intervenções desnecessárias frequentemente.

A OMS publicou, no início de 2018, novas diretrizes sobre padrões globais de atendimento às mulheres grávidas, com o objetivo de reduzir o uso desnecessário de algumas intervenções como, por exemplo, a episiotomia.

A episiotomia (o conhecidíssimo pic) é uma incisão feita na região do períneo (entre a vagina e o ânus) com a intenção de “facilitar” o parto vaginal. É uma prática recorrente, porém desnecessária que, além de causar incômodo interfere no processo natural da fisiologia feminina.

Após realizarem uma análise profunda, eles chegaram à seguinte conclusão: não existem evidências que comprovem a necessidade da episiotomia, sendo assim, NÃO é uma prática de uso liberal e rotineiro recomendada.

E o que é laceração?

Fonte: Pinterest

A laceração perineal nada mais é do que um rasgo que ocorre  NATURALMENTE no tecido do canal do parto, mais especificamente na zona do períneo, durante a saída do bebê. Ela pode ocorrer por diversos motivos, mas o principal dele deve-se ao tamanho da cabeça do bebê.

A grande questão que envolve episiotomia e laceração é que nem sempre ocorrerá uma laceração grave. Sendo a cicatrização, depois do nascimento, muito mais tranquila que no caso de uma episiotomia. A verdade é que a laceração costuma ser pequena e não atinge o músculo, fazendo com que seja menos dolorosa e a cura, mais rápida.

Então, por que a episiotomia?

É comum conhecer mulheres que passaram por esse procedimento sem ter a real necessidade – em casos de sofrimento fetal, progresso insuficiente ou lesão grave no períneo – fazendo com que todas achem que esse seja o procedimento correto a ser realizado.

Porém, a gravidez e o parto são fenômenos naturais que as mulheres são capazes e devem confiar já que, na maioria dos casos, só é preciso esperar o momento certo de chegar ao mundo. Assim a mulher pode finalizar o ciclo sem intervenções externas e desnecessárias.

A principal controvérsia que envolve a episiotomia é o fato de muitos profissionais o realizarem sem o consentimento da mulher ou para facilitarem o seu trabalho de parto. O que acontece é que eles acabam sugerindo o procedimento para agilizar o parto, impondo desnecessariamente às mulheres as consequências que esse corte oferece posteriormente.

A Organização afirma que, mesmo em casos em que a episiotomia seja necessária, a mulher deve participar da tomada de decisão dos procedimentos para garantir que tenha uma boa experiência como um todo.

Parir é algo natural e a gestante de baixo risco, recebendo os devidos cuidados, consegue realizá-lo. Cada nascimento é único. E quanto menos intervenções desnecessárias forem realizadas, maior as chances de terem uma experiência positiva na hora do parto e no pós-parto.

Referências:

WHO recommendations Intrapartum care for a positive childbirth experience https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/260178/9789241550215-eng.pdf;jsessionid=7E800B590A164DC7FC879E73B480D6FC?sequence=1

WHO recommendation on episiotomy policy https://extranet.who.int/rhl/topics/preconception-pregnancy-childbirth-and-postpartum-care/care-during-childbirth/care-during-labour-2nd-stage/who-recommendation-episiotomy-policy-0

OMS publica novas diretrizes para reduzir intervenções médicas desnecessárias no parto https://nacoesunidas.org/oms-publica-novas-diretrizes-para-reduzir-intervencoes-medicas-desnecessarias-no-parto/

Laceração E Episiotomia: O Que Você Precisa Saber Antes Do Parto https://aliraclinica.com.br/laceracao-e-episiotomia.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.