Pródromos, Um guia básico para senti-los com tranquilidade

Compartilhe:
Gestante pródromos
Foto de Cat Fancote via birthphotographyperth.com.au

 

O trabalho de parto não começa simplesmente de um dia para o outro, o corpo começa a se preparar muito antes do que você imagina. Nesse exato momento muita coisa ta rolando ai dentro de você, você e seu bebê estão treinando e trabalhando para o grande encontro, a natureza foi sabia no que criou…

A partir de 20 semanas de gestação você pode começar a sentir sua barriga endurecer e depois relaxar em momentos aleatórios do dia ou da noite, mas não tenha medo, isso é o seu corpo produzindo as contrações de Braxton Hicks ou como são mais conhecidas, contrações de treinamento. São contrações para fortalecer a musculatura uterina, costumam não ter ritmo, são curtas e bem irregulares e não causam dor.

 Chegando no final do terceiro trimestre, essas contrações de treinamento começam a se modificar, surgem então os pródromos, que é o que vamos estudar mais nesse texto.

O que são pródromos?

 A palavra pródromos significa “primeiros indícios de algo”, “sinal anunciador”, ou seja, pródromos de parto são contrações que a gestante costuma sentir horas, dias ou semanas antes do início do trabalho de parto, isso porque cada mulher e cada corpo são únicos e cada processo de parto também.

Diferente das contrações de treinamento, os pródromos ou falso trabalho de parto como alguns costumam chamar, auxiliam a amolecer e amadurecer o colo do útero e a traze-lo mais para cima, preparando-o para a futura dilatação.

Como acontecem os pródromos?

Nas últimas semanas, com a aproximação do parto, o bebê costuma descer e ficar mais encaixado na pelve da mãe, causando mais pressão sobre o colo do útero, os hormônios estão em festa. O colo do seu útero que até então estava fechado, posterior (virado para trás), grosso e protegido pelo tampão mucoso começa a se modificar.

Figura útero
Diferença entre o colo do útero fechado e trabalhando para o parto – imagem Google

Um dos hormônios em festa é a relaxina, que é produzida pela placenta, ela encontra seu auge e atua no relaxamento dos ligamentos, principalmente os da pelve. Esse hormônio ligado de outros, que irá amolecer o seu colo do útero. É nesse período que as até então contrações de treinamento, se tornam contrações de pródromos.

Como identificar os pródromos?

Pródromos são contrações que podem vir acompanhadas de dor ou não, geralmente sente-se uma cólicazinha antes ou depois da contração, você pode senti-la no pé da barriga ou na região lombar.

Costumam ser curtas (duram em média 20 segundos), são ritmadas (aparecem várias ao longo do dia) e também são irregulares (não há padrão de tempo entre elas, diferente do trabalho de parto ativo); o seu intestino pode começar a funcionar melhor, rola bastante ansiedade nesse período, ocorre perda de tampão mucoso (é como se fosse uma gosma ou um catarro espesso que veda o colo do útero na gestação, podem ser de variadas cores: branco, transparente, rosado, marrom, com filetes de sangue); algumas mulheres relatam se sentir mais dispostas, com vontade de fazer limpeza na casa, é realmente como se estivessem “preparando o ninho”.

Como cada corpo é único, algumas mulheres podem já apresentar certa dilatação (1 a 3 centímetros). Mas isso não significa absolutamente nada, pode ser que você fique assim por vários dias, enquanto não houver contrações efetivas, que tem ritmo e regularidade, não há trabalho de parto, e o bebê não vai nascer.

Importância de reconhecer os pródromos

 É de suma importância que você entenda e reconheça a diferença entre contrações de pródromos e contrações de trabalho de parto, para não ir à maternidade cedo demais e acabar sendo internada no momento errado.

Em um país cesarista como o nosso, uma justificativa muito banal usada por aí para fazer uma cesárea é a famosa “falta de dilatação”. A mulher sente os pródromos, por falta de conhecimento do processo vai à maternidade achando que seu bebê vai nascer, acaba sendo internada, horas se passam, a mulher não dilata (pois não está em trabalho de parto ainda, pode ser que ainda leve dias para entrar) e acaba caindo em uma “desnecesárea”.

Hospitais, maternidades e casas de parto atualizadas em evidências científicas, entendem o processo de evolução do trabalho de parto e não internam a parturiente antes de ela realmente estar em trabalho de parto.

Não está na hora
Não está na hora

Como lidar com os pródromos?

Gestante na praia
Foto de Zeke Medeiros – @zekemedeiros

 

Se você está gestando a mais de 37 semanas, o que posso te aconselhar é: siga a vida normalmente.

Como disse Sheila Kitzinger no livro Gravidez e parto:

“É obviamente mais agradável se seu corpo estiver trabalhando por você enquanto você está fazendo suas tarefas, comendo, dormindo e visitando seus amigos. Você não tem possibilidades de ficar tensa e brigar com seu corpo quando estiver ocupada com todas essas coisas, deixando seu útero trabalhar sossegado e sem interferências. Portanto, continue sua vida normal enquanto isso lhe for confortável”.

Gestante dançando
Foto de Além D’olhar Fotografia – @alemdolharfotografia

Sempre aconselho as gestantes que acompanho a tentar relaxar e aproveitar o finalzinho da gestação, por mais que a essa altura você já esteja cansada, ela não será eterna. Se conecte com seu(sua) bebê, assista um filme, durma, passeie, escute suas músicas prediletas, coma coisinhas gostosas.

E se os pródromos estiverem incômodos, tome um bom banho quente, coloque uma bolsinha de ervas na barriga e viva um dia de cada vez, logo, logo, você entrará em trabalho de parto e faltará muito pouco para conhecer o grande amor da sua vida!

Restou alguma dúvida quanto aos pródromos? Está passando por eles nessa reta final da gestação e quer conversar? Preenche o formulário abaixo e a gente troca informações! <3

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScbAAswBUDhKFpX3YfPPpkiCpQqpfZwZ2EmObOU2VGmw-_9fg/viewform?usp=sf_link

 

Referências:

KITZINGER, Sheila. Gravidez e Parto. São Paulo: Abril, 1984.

 GUIMARÃES, Alberto. Parto sem medo. São Paulo: Editora Mulheres que decidem, 2016.

 Guia da gestação ao puerpério: http://jessicascipioni.s3.amazonaws.com/Guia+da+gestação+ao+Puerpério+-+como+viver+cada+fase+com+mais+leveza.pdf

 É possível dar alta a paciente em pródromos de trabalho de parto?

http://www.cremeb.org.br/wp-content/uploads/2017/11/E-possivel-dar-alta-a-paciente-em-prodromos-de-trabalho-de-parto_Dr.-Rodrigo-e-Adriana.pdf

 

 

 

Doulas recomendam:

Episio… o quê? Ah Paula, mais um texto sobre essa tal de episio sei lá o que, o tal do cortinho... Sim mais um, sabe por quê? Por que informação nunca é demais, ...
Quanto tempo o tempo do parto tem? por Aline Baldassim Quando o assunto é o tempo de duração de um trabalho de parto temos que ter em mente, primeiramente o seguinte: o parto é um...
Minha barriga fica dura – O que é isso? Muitas gestantes começam a sentir a barriga endurecer por volta da 20ª semana de gestação e se assustam pensando ser o início de um trabalho de parto ...
Liberação hormonal do parto: no corpo da mulher qu... No momento do parto o corpo da mulher secreta hormônios que são responsáveis pela evolução do trabalho de parto. São eles: ocitocina, endorfina, adre...
Compartilhe:

3 respostas para “Pródromos, Um guia básico para senti-los com tranquilidade”

  1. Adorei o texto e veio extremamente a calhar! Acredito que eu esteja sentindo os pródromos. Apesar do medinho, estou tranquila e tentando ser paciente para aguardar meu corpo agir no momento dele. Só que ao ler o texto fiquei um pouco preocupada, já que é citado: “Se você está gestando a mais de 37 semanas, o que posso te aconselhar é: siga a vida normalmente”. Estou entrando na 36a semana hoje, devo me preocupar?

    1. Olá Carla, tudo bem?
      Primeiramente, parabéns pelo bebê que está chegando!
      Eu comentei no texto “acima de 37 semanas” pois é quando a mulher está a termo, ou seja, se o bebê nascer agora não será considerado prematuro. Gestantes muito abaixo de 37 semanas que sentem contrações frequentes, é  importante ter avaliação de um profissional de saúde, para descartar um parto prematuro ou uma infecção urinária por exemplo.
      Se você está com dúvidas do que está sentindo, e por ainda não estar a termo,converse com seu obstetra, ele poderá afirmar se são pródromos ou não.
      Fico a disposição caso queria conversar pelo Whatsapp, (meus contatos estão aqui no meu perfil).
      Uma boa hora para vocês.
      Abraço, Doula Julia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.