DIA DO ORGASMO: GRÁVIDA PODE FAZER SEXO?

Compartilhe:

Hoje, dia 31 de julho é comemorado mundialmente o Dia do Orgasmo e eu vim aqui trazer alguns esclarecimentos e sugestões para vocês (sim, sugestões também, mas não corre pro final do texto não, segue aqui que vai ter boas informações para te tranquilizar).

Fonte: Pixabay

Um questionamento muitas vezes velado é se tem perigo uma mulher grávida fazer sexo. Em muitos casos existe a insegurança, a incerteza sobre isso, mas o constrangimento pode impedir a gestante e seu parceiro/a de tirar a dúvida com os profissionais que a acompanham.

SEXO E GESTAÇÃO

Em uma gestação de risco eventual (o que anteriormente era denominado baixo risco), que é aquela gravidez em que tudo está transcorrendo normalmente, de acordo com o esperado e a saúde da mulher e do bebê está excelente é perfeitamente possível manter as atividades sexuais.

Inclusive, a satisfação sexual é um aspecto considerado no conceito amplo de saúde, ou seja, quando não vemos a saúde apenas como a ausência de doenças, mas também como qualidade de vida. Nesse sentido, é muito SAUDÁVEL que a mulher gestante tenha relações sexuais.

É claro que, com o crescimento da barriga para dar espaço ao bebê, alguns movimentos e posições podem ficar limitados, alguns desconfortos podem surgir, mas para tudo isso tem solução!

Vários estudos apontam que, em geral, durante a gestação há uma queda na atividade sexual das gestantes saudáveis e isso se deve, principalmente, por inseguranças, falta de informação e desconfortos (emocionais e físicos) próprios deste período.

No primeiro trimestre o receio do prejuízo de uma gestação ainda em início leva muitos casais a evitar o sexo, por medo de causar algum dano. Além disso, existem os desconfortos como enjoos, sono e outros que prejudicam a atividade sexual.

No segundo trimestre há uma tendência para que a frequência sexual retorne ao que costumava ser antes da gestação, o que ocorre pela diminuição dos desconfortos, maior segurança, informação e tranquilidade do par.

Já, quando se alcança o terceiro trimestre novamente há uma queda na atividade sexual causada especialmente pelos desconfortos com o volume abdominal e o receio de desencadear um trabalho de parto prematuramente.

SEXO, ORGASMO E RISCO

Como já apontado, em gestações saudáveis não há problema que seja

Fonte: Wikimedia

mantida a atividade sexual. Muitas vezes o receio existe pelo fato de que o sexo libera ocitocina, hormônio também atuante no parto. No entanto, ele sozinho, sem os demais hormônios e funções de parto, não vai prejudicar o bebê! Ao contrário: pode trazer bem-estar à mãe, o que traz benefícios para o bebê, afinal, mamãe feliz, bebê feliz.

É possível que durante e após um orgasmo ocorra um endurecimento da barriga, podendo, neste caso, causar um breve desconforto; mas essa sensação passa logo, retornando ao estado normal. Esse endurecimento pode causar estranheza e preocupação, mas é um processo comum de ocorrer nestes casos.

Apenas quando há algum sangramento ou outros indícios ou maiores probabilidades de um parto prematuro é que se recomenda a abstenção sexual.

Além disso, não é possível que o pênis do parceiro, em caso de penetração, alcance o bebê; pois existem várias estruturas que o estão protegendo: canal vaginal, colo do útero, bolsa das águas, líquido amniótico. Ah! E o bebê não vai “ver” nem “saber” que o casal está fazendo sexo, ele apenas vai sentir os hormônios que causam relaxamento e satisfação.

ORGASMO E BENEFÍCIOS

A manutenção da atividade sexual e o orgasmo da mulher gestante podem trazer alguns benefícios consideráveis. Traz mais alegria, libera hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar, relaxamento, tranquilidade, etc. Reforça a autoestima e segurança da mulher com o próprio corpo e as mudanças pelas quais ele está passando.

Além disso, pode ajudar a aliviar a ansiedade, preocupações com os preparativos para a chegada do bebê, dores e desconfortos; pois os hormônios liberados no orgasmo auxiliam nesses aspectos.

A aproximação do casal também é importante e permite que se (re)descubram e explorem o novo corpo, com suas novas formas, possibilitando novas sensações.

DICAS E SUGESTÕES

Para que você, mulher grávida, possa curtir melhor essa data, aqui vão algumas sugestões para ajudar:

  • Procure posições diferentes, que a deixem confortável e acomodem a barriga. A posição de lado costuma ser bem agradável.
  • Explorem o novo corpo, experimentando as mudanças que estão acontecendo. A sensibilidade costuma ficar bem modificada.
  • Permita-se ser admirada e desejada com as novas formas.
  • Respeite seus limites! Não faça o que te incomoda, causa desconforto, dor ou que você não se sinta à vontade.
  • Converse com seu parceiro/a para saber quais são suas inseguranças e receios e busquem/compartilhem informações para que possam desfrutar desses momentos.
  • Lembre-se que sexo não é apenas penetração!

Espero que você possa continuar exercendo sua sexualidade com saúde e prazer!

Achou interessante? Quer saber mais sobre esse ou outros temas? Podemos entrar em contato direto! Clique aqui para que eu saiba um pouco mais sobre você e me conte qual assunto mais te interessa. Também posso te avisar sobre os encontros presenciais ou outros temas!

Ah! Mais sobre sexo na gestação você encontra aqui:

  • Perfil do Comportamento Sexual na Gestação:

https://periodicos.pucpr.br/index.php/fisio/article/view/19091

  • Impacto da gestação na função sexual feminina:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-72032013000500003&script=sci_arttext

  • Disfunção sexual: Avaliação de mulheres durante o terceiro trimestre gestacional:

https://portalnepas.org.br/abcshs/article/view/734

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.