A abordagem biodinâmica de uma doula

Compartilhe:

Uma das premissas do meu trabalho como doula é a abordagem biodinâmica, que considera a singularidade da mulher e de sua história. Cada encontro é único, assim como o caminho trilhado ao longo da gestação, parto e pós-parto.

Toda mulher carrega consigo uma história, seus vínculos, afetos, alegrias, esperanças, dores e amores. Todas as marcas do tempo ficam invariavelmente depositadas na mente e no corpo. Assim, cada atendimento é único, cada gestante recebe exatamente aquilo de que necessita naquele tempo-espaço de seu ciclo gravídico-puerperal.

O olhar da biodinâmica

 

Para garantir esta abordagem individualizada, é fundamental que o olhar seja apurado, sensível e atento: enxergar através do olhar e do toque.

Que os ouvidos estejam também atentos para escutar as sutilezas de uma história contada além das palavras.

Foto: Pixabay

É preciso mergulhar na história da mulher, promovendo um verdadeiro encontro.

 

Psicologia Biodinâmica

 

A Psicologia Biodinâmica, desenvolvida por Gerda Boyesen na década de 50, considera o corpo como parte indissociável do processo terapêutico. Desta forma, o ser humano é observado ampla e integralmente através de uma abordagem que se utiliza de técnicas verbais e corporais.

Além disso, o enfoque desta abordagem terapêutica considera que todos os seres têm a capacidade de autorregulação, ou seja, somos essencialmente capazes de resolver e digerir nossas questões emocionais, desde que tenhamos um ambiente propício pra isso. A terapia biodinâmica busca restaurar esta capacidade de autorregulação, colaborando para que a pessoa se reencontre com sua essência que é naturalmente potente, espontânea, alegre e saudável.

Foto: Pixabay

O mais interessante é que a abordagem utilizada pela Psicologia Biodinâmica, costuma ser comparada com a postura da parteira, pois considera que o papel do terapeuta é o de estar presente, confiante, acompanhando um processo que é fundamentalmente do outro.

Aplicado ao trabalho da doula, o olhar biodinâmico se fundamenta no respeito à individualidade, ao tempo e aos processos da gestante, confiante de que ela é capaz de fazer a travessia para a maternidade através de sua própria força interior.

Ao longo dos encontros na gestação, me dedico a conhecer sua história, atuando muito mais como ouvinte do que como uma profissional que ali está para ensinar. A interação biodinâmica considera que em qualquer encontro sempre há aprendizado mútuo, troca, partilha. Assim se estabelecem o vínculo e a confiança.

mãos dadas
Foto: Pixabay

Os encontros seguem pautados nas necessidades específicas da gestante e, como doula, me faço presente para facilitar a compreensão de assuntos relevantes a ela, sejam eles de conteúdo técnico envolvendo a gestação, parto e puerpério ou até mesmo os mais sutis e subjetivos, como seus medos, inseguranças, preocupações ou ansiedades.

A doula está pronta para acolher aquela história e oferecer seu conhecimento, sua sensibilidade, sua intuição, seu respeito e, acima de tudo, a confiança plena de que aquela mulher tem plena capacidade de ser a protagonista de sua história.

Uma ferramenta bastante utilizada no atendimento biodinâmico com gestantes é a massagem. Durante as sessões, também considero as necessidades específicas de cada mulher, que podem ser atendidas através de uma variedade de técnicas para oferecer benefícios físicos e emocionais, já que promovem o acolhimento de que a mulher recém-nascida tanto precisa para poder entregar-se às demandas do bebê que em breve chegará.

 

A singularidade da mulher no parto

 

Muito se fala que não há um parto igual a outro.

E, de fato, não há.

Cada mulher leva para seu parto sua história, suas alegrias e amores, dores e dissabores, medos e anseios.

É uma vivência subjetiva, particular, íntima.

Como doula, preciso desenvolver um olhar atento e sensível para me adaptar, me moldar ao que a mulher demonstra através de sua fala, seus gestos, suas expressões.

Foto: Karina Kaufmann/Arquivo pessoal

Houve um parto em que nada fiz: a parturiente não queria contato físico, nem mesmo visual. Vivenciou seu trabalho de parto mergulhada em si mesma, ao lado de sua mãe. Minha intuição me disse que minha presença era o apoio necessário e, portanto, eu estava ali para ela. Do jeito que ela precisava de mim.

Houve partos que me deixaram dolorida por dias, de tanto contato físico, massagens, suporte, apoio. Mulheres que precisavam de mãos dadas, corpo e alma presentes, caminhar juntas. E lá eu estava, exatamente da forma como sentia que elas precisavam de mim.

São infinitas as possibilidades de atuação da doula justamente porque a alma humana é única e em constante mutação. O que vejo, ouço e, principalmente, sinto, são meus guias que conduzem meu corpo nesta dança ao longo do trabalho de parto.

Desta forma, as técnicas aprendidas nos cursos são as ferramentas que carrego em minha “mochila” na viagem que faço ao lado de uma mulher. Por vezes uso todas, por vezes nenhuma. E o que me faz escolher uma ou outra é a conexão com quem está à minha frente.

Para conhecer mais sobre a psicologia biodinâmica, deixei alguns links abaixo. Ou entre em contato para saber mais sobre o meu trabalho com gestantes a partir da abordagem biodinâmica.

 

Referências:

Psicologia Biodinâmica – Sua história inscrita em seu corpo http://academiadopsicologo.com.br/portal/psicologia-biodinamica-sua-historia-inscrita-em-seu-corpo/#

Psicologia Biodinâmica – Reflexão de uma prática organizando-se em teoria, por Vera Iaconelli  

http://principo.org/vera-iaconelli.html

A Massagem biodinâmica

 http://www.centroreichiano.com.br/artigos/Anais-2018/pdf/KERCKHOFF-Juliana-Massagem-biodinamica.pdf

Compartilhe:

2 respostas para “A abordagem biodinâmica de uma doula”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.