Eu era doula e não sabia

Compartilhe:

Oi tudo bem? Eu sou Alline Matricardi. Sou pedagoga por formação, mãe, doula e consultora em aleitamento, além de outras coisinhas mais rs. Eu vejo nascerem bebês, mãe, pais, famílias em Presidente Prudente, “interiorzão” do estado de São Paulo, e os apoio em momentos lindos e muito intensos! Quer saber como cheguei até aqui? Vem conhecer um pouquinho da minha trajetória…

Alguns dos bebês e mães que eu vi nascer! Foto by Rodrigo Batista / Março – 2016

Onde tudo começou…

Apesar de minha formação como pedagoga e meu trabalho como educadora infantil, o tema parto sempre foi algo muito forte na minha vida. A chegada do meu filho Benjamin em 2012 só intensificou isso e eu mergulhei no universo materno por pura demanda pessoal. Até que um dia… algo muito especial aconteceu e me despertou para uma missão incrível que eu jamais havia imaginado pra minha vida!

Benjamin mamando em seu aniversário de 1 aninho / Arquivo pessoal

Depois de morar 7 anos em São Paulo, tendo acesso à muita informação de qualidade sobre humanização do parto em instituições na capital, quando o Ben tinha 6 meses voltamos a morar no interior,mais especificamente na minha cidade natal,Presidente Prudente e uma prima que estava grávida e não tinha acompanhante me pediu ajuda. No dia em que sua bolsa rompeu, após receber sua ligação eu corri pro hospital e a acompanhei do começo ao fim usando todos os recursos possíveis que me vieram à mente naquele momento. Eu a estava “doulando” mesmo sem saber que o fazia. Eu era doula e não sabia!
Depois dessa experiência fiquei tão emocionada e empolgada a ponto de não conseguir dormir. Eu só pensava que queria fazer aquilo todos os dias da minha vida e viver novamente toda aquela emoção. Foi a primeira vez que o “bichinho da ocitocina” me picou. E virou vício! rs Mas às vezes a gente demora pra correr atrás dos sonhos né?

Um empurrãozinho…

Um ano se passou e uma gestante chegou até mim nas redes sociais porque tinha ouvido falar que eu era doula. De coração e alma eu realmente já era, mas faltava o curso. Então, com o apoio do meu marido, decidi que faria finalmente acontecer. Consegui uma vaga no curso do GAMA (Grupo de Apoio à Maternidade Ativa) em São Paulo pra junho (o mês em que a bebê nasceria). Ainda era abril de 2014 mas eu e a Janete seguimos conversando e nos preparando para aquele grande dia. O Gama já era uma grande referência pra mim e fui lá finalmente correr atrás do meu sonho! No dia 7 de junho me tornei doula oficialmente! Que emoção! Voltei de São Paulo no dia seguinte e menos de 10 dias depois, em 17/06/2014 (Exatamente há 5 anos atrás – estou finalizando esse texto hoje em 17/06/2019)  a Maria Eduarda nascia lindamente num parto normal com todo o empoderamento que a mamãe linda dela tinha construído na gestação!

Minha formatura no curso de Doulas / Abril / 2014 – Arquivo pessoal

Vida e missão de doula no interior

Parto natural do Aquiles, filho da Bárbara, assistido também pelo avô (que estava tirando a foto) no Hospital Regional de Presidente Prudente – Fev./2019

Dali em diante não parei mais de “doular” apesar de todas as dificuldades de exercer essa profissão numa cidade de interior onde a humanização do parto ainda é um tema pouco conhecido e envolto por diversos tabus… A maioria das pessoas confunde o papel da doula com o de parteira e acha que eu “faço parto”. Mas não! Quem faz o parto é a mulher! E pra isso ela precisa realmente de uma equipe técnica que garanta a segurança de ambos, isso nunca é dispensável.

Mas nos dias de hoje ela precisa muito também de informação e empoderamento, além de bastante apoio para driblar o sistema cesarista em vigência em nosso país e conseguir dar à luz da forma mais fisiológica possível, com respeito à suas necessidades e de seu bebê para a vivência de um parto e nascimento respeitosos! É por isso que eu como doula luto todos os dias.

Parto domiciliar da Ellen e da mamãe Priscila – Junho/2018 – Registrado por Nona Lua Fotografia

Parto humanizado não é moda! É saúde, é respeito às evidências científicas, à fisiologia do parto e ao protagonismo da mulher. E eu doula, como profissional, posso ajudar mulheres e casais que desejam realmente viver essa experiência a encontrar “o caminho das pedras”! O parto é seu, a jornada é sua! Mas ela não precisa ser trilhada solitariamente! Eu posso ser aquela força pra te lembrar de que você é capaz de subir a montanha e apreciar uma linda vista lá de cima. Me chama, que eu posso te ajudar! É pra isso que eu vivo, essa é minha missão!                              Vamos juntas!?

Vbac Domiciliar da Júlia e da mamãe Danielle – Janeiro/2016 – Registrado por Rodrigo Batista

 

Referências:

Estudando sobre doulas  http://estudamelania.blogspot.com/2012/08/estudando-sobre-doulas-ii.html?q=doula

Apoio contínuo para mulheres durante o parto https://www.cochrane.org/pt/CD003766/apoio-continuo-para-mulheres-durante-o-parto

Kennel, J.H.; Klaus, M.H.; McGrath, S.K.; Robertson, S.S.; Hinkley, C.W. “Continuous Emotional Support during Labor in US Hospital.” Journal of the American Medical Association 265(1991): 2197-2201
Resumo: Esse trabalho marcante em Houston, TX, citado frequentemente, cita reduções incríveis nas taxas de cesárea (50%), parto a forceps (40%), requisição de peridural (60%) ou outros medicamentos para dor (40%), duração do trabalho de parto (25%) e necessidade de ocitocina (50%).

PROFISSIONALIZAÇÃO INVISÍVEL: FORMAÇÃO E TRABALHO DE DOULAS NO BRASIL http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/312956

Compartilhe:

6 respostas para “Eu era doula e não sabia”

    1. E eu tive a honra de ver uma menina assustada se transformar numa leoa parideira depois de uma longa, árdua e incrível jornada ! Quanto orgulho, quanto orgulho! Só de me lembrar de toda a caminhada (que começou antes mesmo da gestação né?) mas principalmente daquele dia, eu me arrepio inteira e não consigo “desarrepiar”! Obrigada, obrigada,obrigada! <3

  1. Assino em baixo de todo esse texto, aplaudindo essa doula maravilhosa ( que foi minha também) pela sua dedicação, vocação e pelo amor que ela espalha orientando, cuidando e apoiando mulheres à parirem com qualidade.

    1. Ô minha amada! Esses elogios vindos de uma pessoa (ou melhor,um anjo sem asas como você) tem peso triplicado no meu coração! Eu sou toda gratidão,pela honra de ter te servido e mais ainda por ter te inspirado de alguma forma e hoje poder tê-la como colega de profissão e parceira ao meu lado!Te amo pra sempre! <3

  2. Tive a honra e o prazer de ser sua doulanda…. Fez total diferença no meu parto e agora na minha vida! Pessoa incrível! Te admiro demais! Obrigada por tudo o que fez e faz por nós mulheres que desejamos ser ouvidas e respeitadas em nossos partos! Vc é luz!

    1. Ai meu Deus! Vc sempre me fazendo derramar lágrimas né Thay!? <3 Olha não tem coisa melhor nessa vida do que contribuir pra melhorar a vida de alguém,ainda mais se esse alguém é uma mulher linda e querida como você! Então essa mensagem só me fez sentir grata, ainda mais grata por tudo o que vivemos juntas até aqui e ainda viveremos à frente, agora como parceiras! Amo você e sua lindeza de alma! Obrigada por existir na minha vida!! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.