A Doula que nasceu em mim

Compartilhe:

Meu nome é Laís, tenho 31 anos, me formei Dentista em 2010 na UFPR em Curitiba. Mudei para Natal e lá conheci meu atual companheiro, no final de 2012 mudei para Recife, onde resido até hoje com meu companheiro e 3 filhas.

É impossível falar do porque me encontrei como Doula sem contar um pouco dos meus 3 partos, então faz um chá e vem comigo.

Nascimento da Sofia

Arquivo Pessoal

No final de 2014 me descobri grávida pela primeira vez, tomando anticoncepcional, foi na interação medicamentosa com um antibiótico que tudo aconteceu! Sofia chegou em abril, com apenas 36 semanas de gestação. Eu era aquela mulher que não tinha tanta informação e realmente acreditava que seria possível parir respeitosamente indo para uma maternidade do convênio e me garantir com o plantão. Resultado: sofri todas as intervenções! Ocitocina, ruptura da bolsa, analgesia e até comentários: “você não queria parto normal? É assim mesmo, agora aguenta” de um enfermeiro plantonista nada querido. Fui um evento num hospital em que todos os partos do dia haviam sido cesáreas. Em posição de litotomia e uma laceração que teve necessidade de receber pontos Sofia nasceu saudável e pronta para a vida mesmo prematura.

A Descoberta das Violências

Comecei a ler mais sobre parto depois do nascimento da Sofia, comecei a perceber que tudo o que tinha acontecido poderia ter sido diferente, que eu deveria ter sido tratada de outra forma, ora, eu passei 16 horas num cubículo na emergência geral do hospital, com várias pessoas doentes ao meu redor. Isso não estava certo.

Nascimento da Iara

Arquivo Pessoal. Na foto: Eu, meu companheiro e Polly, Doula.

2 anos depois planejamos o segundo filho. Sorte a minha que em apenas 2 meses de tentativa ela resolveu dar o ar da sua graça e dessa vez eu era uma Laís diferente. Mais informada e com novas prioridades, fui atrás de equipe humanizada e equipe de parto domiciliar também, assisti o renascimento do parto e frequentei vários grupos de apoio, tive uma Doula! Que diferença isso fez na minha vida! Ela me orientou em tudo o que eu tinha dúvidas, mostrou caminhos e me abriu definitivamente para um novo universo e uma nova vida. Com 34 semanas entrei em trabalho de parto. Pois é! Mais um trabalho de parto prematuro, sem muitas justificativas, todos os meus exames estavam normais. Conforme protocolos e as evidências conseguimos inibir mais um tempo, em casa e com apoio da equipe particular que havíamos contratado. Às 35 semanas Iara nasceu num parto humanizado, natural, livre de qualquer intervenção e eu me senti uma mulher poderosa. Aquela sensação que você consegue tudo! E também aquela vontade de espalhar isso para TODAS as mulheres, que elas podem passar por essa experiência maravilhosa!

Reinvenção Profissional

O puerpério da Iara foi um divisor de águas, nesse período a odontologia já não me motivava, mas meus olhos brilhavam quando alguém vinha conversar sobre parto comigo. Então eu decidi: Vou ajudar outras mulheres a parirem seus filhos! Vou ser acolhimento, amor, respeito. Senti muita vontade de mostrar os caminhos para um parto normal respeitoso. Serei Doula.

A formação da Doula

Arquivo Pessoal. Turma do Curso de Doula

Tive a oportunidade de realizar a formação de Doulas pelo Statera Cursos no fim de 2018 e durante ela engravidei pela 3ª vez! Uma surpresa não planejada. 2019 chegou e fiz plantões como doula voluntária no IMIP e no Hospital da Mulher, maternidades públicas aqui de Recife. Tive o prazer de acompanhar várias mulheres e ter certeza desse caminho. Em maio de 2019, junto com amigas que fizeram comigo a formação montamos o nosso coletivo de Doulas, a Rede Koru, com a proposta de realizar acompanhamentos coletivos através de um regime de plantão, oferecer cursos de educação perinatal, rodas de conversa com foco na humanização do parto, entre outros.

O Nascimento de Lia

Foto: Marília Távora. Após o nascimento de Lia com minhas Doulas Camila e Gabriela.

Em julho pari Lia, num parto mais uma vez transformador! O meu desejo após entrar nesse universo sempre foi parir em casa, mas nessa última gravidez recebi o diagnóstico de diabetes gestacional e por isso não era indicado. Minhas doulas mais uma vez tiveram fundamental importância em trabalhar meus medos (tinha muito medo de mais um parto prematuro!) e minhas frustrações (por causa da diabetes gestacional).

Na gravidez da Lia eu usei uma ferramenta muito poderosa: a visualização do parto. Apesar de planejar um parto hospitalar, nessas visualizações eu não conseguia me imaginar no hospital, só me via em casa, parindo sozinha. Se eu pudesse dar um conselho para você é: cuidado com o que você deseja do fundo do seu coração porque elas realmente podem acontecer.

Com 37 semanas e 2 dias, num trabalho de parto super a jato minha 3ª filha nasceu antes de eu conseguir sair de casa. Foram 40 minutos aproximadamente de contrações. Enquanto eu aguardava a chegada da minha mãe para ficar com as menores, das minhas Doulas (que foram acionadas assim que eu comecei a realmente sentir dor!) Lia nasceu com 2 circulares de cordão que foram retiradas pelo pai. Chamamos uma equipe de Parto domiciliar para os primeiros cuidados comigo e com ela, conforme o protocolo.

Depois do nascimento da Lia eu reafirmei ainda mais o poder da nossa mente durante o trabalho de parto e como o acompanhamento da Doula é de extrema importância na gravidez. Renasci mais uma vez!

Missão

Com as minhas experiências de parto, plantões e acompanhamentos das gestantes que já realizei, reconheço cada vez mais minha missão de mostrar para as mulheres que é preciso de muito apoio, muito estudo, muita informação para parir com respeito no nosso país. Todas as mulheres merecem ter uma Doula na hora mais importante das suas vidas: o nascimento dos seus filhos.

Para conhecer mais sobre o meu trabalho e saber as datas e temas das rodas de conversa da Rede Koru em primeira mão, se inscreve AQUI!

 

Referências:

Evidências qualitativas sobre o acompanhamento por doulas no trabalho de parto e no parto https://www.scielosp.org/article/csc/2012.v17n10/2783-2794/

Diabetes gestacional: um algoritmo de tratamento multidisciplinar https://www.researchgate.net/publication/51857870_Gestational_diabetes_management_A_multidisciplinary_treatment_algorithm

Violência Obstétrica no Brasil: Uma Revisão Narrativa https://www.redalyc.org/pdf/3093/309350113018.pdf

Compartilhe:

2 respostas para “A Doula que nasceu em mim”

  1. Laís, você é muito especial para mim. Sou muito grata a Deus pelo seu acompanhamento na minha gestação.

    1. Gi! Foi um prazer enorme te conhecer e poder acompanhar sua gestação e o nascimento de Otto! Vocês moram no meu coração! 😍

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.