O que é resguardo pós parto?

Compartilhe:

Seu bebê nasceu e você acabou de chegar em casa.

“Oi Família!! Cheguei pra detonar geral e deixar todo mundo apaixonado por mim!!” Imagem: Giphy

Você percebe que tem visitas e elas esperam que você as sirva, entretenham e converse animadamente por horas a fio. Por dentro, você só quer descansar, dormir bem quentinha e em silêncio. Seu corpo pede por isso!

Do outro lado, as mulheres mais velhas da família insistem pra você ir pro quarto, fechar a porta, cobrir espelhos e frestas da janela e porta e só sair depois de 7 dias! Isso tá mais com cara de bruxaria do que qualquer coisa que você já tenha ouvido falar!

Pra onde correr agora?

Afinal, o que é Resguardo?

Segundo o dicionário Google, RESGUARDO significa “tudo que tem por fim livrar alguém ou alguma coisa de perigos ou danos; cautela, precaução.”. Portanto, o resguardo no pós parto tem como objetivo, cuidar da mulher e do bebê, por um período após o parto, para que ambos sigam com saúde durante toda a vida.

Aí você me pergunta: “Como assim, o que tem haver a saúde da mãe e do bebê, com o período que se segue após o parto?”

O resguardo tem por finalidade, cuidar e proteger a mãe e bebê de possíveis problemas que possam ocorrer no pós parto e interferir na saúde de ambos a longo prazo. Imagem: Kelly Sikkema – by Unsplash

Aqui é que entra a parte mais interessante!! Vamos aprender juntas!

Resguardo, Dieta, Quarentena… muitos termos, um objetivo!

No mundo inteiro, o pós parto é muito importante e, o que acontece nele, é diferente em cada país, em cada povo, em cada cultura. Mas todos concordam que o que vem depois do parto, é essencial para a saúde de ambos.

O resguardo é tempo de recolhimento e repouso. Imagem: Zach Vessels – By Unsplash

É aceito culturalmente que, assim que o bebê nasce, tanto a mãe quanto o bebê, estão muito vulneráveis, “abertos e enfraquecidos” para qualquer tipo de contaminação ou doença que possa trazer prejuízos permanentes pra saúde de ambos. Em várias culturas, a mãe é isolada do restante da sociedade (ou tribo), ficando em casa, quarto, oca ou casebre, onde só entram a parteira e algumas poucas mulheres da família, por um período que varia de 40 dias a 3 meses. Na nossa cultura ocidental, pelo contrário, é comum as mulheres receberam visitas ainda na maternidade e ainda por cima, é cobrado delas uma certa “alegria/disposição” que, pode ser mostrado por fora, mas por dentro, a vontade e necessidade mesmo é de descanso e RESGUARDO (lembra? Cautela, precaução, proteger de perigos).

Qual o resguardo ideal no pós parto?

Aí eu pergunto pra você: O que você deseja no seu pós parto?

Estudos (e cultura) mostram e comprovam que o período pós parto (imediato, tardio e remoto) é sim um momento de vulnerabilidade na saúde da mãe e do bebê, onde podem ocorrer algumas infecções ou alterações de metabolismo que precisam de atendimento médico e que os cuidados e atenção redobrada com a saúde de ambos, nesse período, os beneficiam e proporcionam melhor quadro de saúde durante a vida.

Em vista disso, diversas culturas criaram as próprias maneiras de cuidar de suas mães e bebês, com vapores, chás, repousos, banhos, benzeções, escalda-pés, isolamento por determinados dias ou semanas, amarrações, presentes e práticas que tem significado forte nesse período. E todos com o mesmo objetivo: deixar mãe e bebê saudáveis para a vida!

Levando em conta que descanso e proteção, são as palavras chave, talvez o resguardo ideal fosse aquele onde a mulher e seu bebê pudessem ter esse período de recuperação respeitado e não precisassem ser expostos para apreciação e entretenimento das visitas ou onde a mãe tivesse que dar conta de todo o serviço de casa imediatamente após voltar do hospital. No resguardo ideal, a mulher pode receber ajuda com a casa, com as tarefas domésticas e uma alimentação nutritiva, para que ela se recupere o melhor que puder e assim, estar disposta para seu bebê, que consequentemente, terá sua saúde melhorada com o contato constante com sua mãe.

O período de 40 dias do resguardo, além de ser um tempo de recuperação e cuidados, é tempo necessário para que a mulher ressignifique seu novo papel na sociedade e na família e crie vínculo com seu bebê. Imagem: Laura Fuhrman – by Unsplash

 

Claro que isso não é uma regra escrita numa pedra.

Acredito que o fundamental no resguardo seja NADA DE EXCESSOS (exercícios, banhos gelados, comidas gordurosas, muito açúcar, muito sal, etc)!

Para cada caso, uma recomendação! Converse com seu obstetra!

Um assunto rodeado de verdades e mitos

Há em toda família e em alguns círculos sociais (quando o assunto cai no pós parto), aquelas pessoas que enchem a recém mãe de infinitas recomendações, muitas delas, tão sem sentido, que a gente começa a questionar o que é realmente verdade no pós parto. Da lista de mitos, cito:

Não pode lavar a cabeça durante 40 dias (pode sim; o ideal é não pegar a friagem após o banho);

Só pode tomar canja de galinha (mesmo sendo um prato saudável, o ideal é ter uma dieta rica em nutrientes diversos, que não tem só na canja de galinha);

Não pode comer feijão, ovo, cebola ou verduras escuras (o consumo destes alimentos está ligado à ocorrência de cólicas nos bebês. Mas isso é muito variável de mulher pra mulher e de bebê pra bebê. A cólica está ligado mais à imaturidade do sistema digestivo do bebê. O negócio é observação).

Não pode receber visita nos 7 primeiros dias, senão o bebê pega “o mal de 7 dias” (o tétano umbilical e doença hemorrágica não tem nada haver com visitar o bebê antes de 7 dias. Mas reforça a necessidade de boa higiene e atenção médica com mãe e bebê, desde a maternidade).

De verdade, cito:

Não é indicado praticar exercícios de alto impacto;

Guardar 40 dias para voltar a ter relações sexuais (devido ao período de recuperação uterino e vaginal – Mas há histórias de casais que quebraram o resguardo. Converse com seu obstetra).

Evitar expor o corpo na chuva ou friagem;

Tentar descansar sempre que o bebê dormir;

Tentar delegar as tarefas de casa para outras pessoas;

Amamentar dá muuuuuuuita sede. Beba muita água.

Se não quiser, você não é obrigada a receber visitas. Cuide de você e do seu bebê!! Vocês estão se conhecendo.

Mitos e Tabus rodeiam o resguardo. Mantenha próximo quem é importante pra você e vai de fato, acrescentar ajuda!! Imagem: Jordan Whitt – By Unsplash

O resguardo, em via de regra, dura 40 dias. É o período mínimo para uma boa recuperação.

O puerpério dura muito mais! Saiba mais aqui!!

 

Até a próxima!

 

 

Referência bibliográfica

http://primeiros1000dias.com.br/importancia-pos-parto-outras-culturas/

https://www.fen.ufg.br/revista/revista2_1/Cesarea.html

http://www.scielo.br/pdf/ean/v19n1/1414-8145-ean-19-01-0181.pdf

https://revistas.pucsp.br/RFCMS/article/viewFile/359/pdf

http://www.scielo.br/pdf/ean/v19n1/1414-8145-ean-19-01-0181.pdf

https://lunetas.com.br/pos-parto-puerperio/

http://www.cordvida.com.br/blog/mitos-sobre-resguardo-para-voce-nao-se-preocupar-mais/

http://www.ee.usp.br/cartilhas/cartilha_puerperio.pdf

http://partopelomundo.com/blog/

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.