O que é Amamentação em Tandem?

Compartilhe:

É quando você amamenta dois filhos, com idades diferentes e ao mesmo tempo.

E quem pode amamentar assim? A mãe que desejar fazer isso!!

Por Elaine Brasil

A primeira recomendação que recebemos quando descobrimos uma nova gestação, é que devemos desmamar o filho mais velho! Mas isso não é necessário, NÃO se for sua vontade de amamentar!

Vários estudos foram feitos e sabe-se que a amamentação não traz risco para a nova gestação de mãe bem nutrida, numa gravidez saudável, não sendo a causa de todas as coisas que ouvimos como ser motivo de perda gestacional, baixo peso ao nascer e partos pré-termo.

E a Ocitocina?

Mas amamentar não tem relação com liberar ocitocina? E não é ela quem ajuda no trabalho de Parto? Sim, a própria!! Mas durante a amamentação, a dose de ocitocina liberada não é suficiente para desencadear o trabalho de parto de uma mulher que não esta em Trabalho de Parto (TP). Imaginem como seria fácil realizar uma indução de parto: era só colocar um bebê pra mamar! Ou então seriam necessárias pequenas doses de ocitocinas e o parto ocorreria lindamente. Lembram que a ocitocina é o hormônio do amor, liberada também quando fazemos sexo.. mas ninguém suspende o sexo durante uma gestação de baixo risco, certo?

GIF by CTV - Find & Share on GIPHY

Evidências científicas para corroborar o que digo..

A Sociedade Italiana de Medicina Perinatal e o Grupo de Trabalho sobre Amamentação do Ministério da Saúde de Itália, conduziram uma revisão da literatura para “determinar a compatibilidade médica entre gravidez e amamentação.” Publicado em 2014, o seu relatório é a mais completa compilação da investigação cientifica relevante até hoje. Na sua conclusão, declaram:

“Deve ser reconhecido que, como um todo, as potenciais consequências negativas da amamentação durante a gravidez na saúde de mãe/embrião/feto/criança amamentada não são baseadas em evidências.

… Mesmo em países menos desenvolvidos, os riscos com a sobreposição da amamentação e gravidez parecem estar mais associados com a falta de nutrição suficiente para ambos mãe e criança mais velha, com o desmame abrupto e com o pequeno intervalo entre partos, do que com a sobreposição em si mesma.

…. Baseado no conhecimento atual, não há evidências médicas que indiquem que, na população geral, mulheres em idade reprodutiva estejam em maior risco de perda gestacional ou parto pré-termo se continuarem a amamentar enquanto grávidas. É também pouco provável que possa existir significativa restrição de crescimento intrauterino resultante da sobreposição entre gravidez-amamentação, particularmente em mulheres saudáveis e bem nutridas de países desenvolvidos.”

O próprio Ministério da Saúde, tem orientações sobre o aleitamento no Caderno de Atenção Básica nº 23 – SAÚDE DA CRIANÇA Aleitamento Materno e Alimentação Complementar do Ministério da Saúde:

“10.1- Nova gravidez: É possível manter a amamentação em uma nova gravidez se for o desejo da mulher e se não houver intercorrências na gravidez. Contudo, não é raro as crianças interromperem a amamentação espontaneamente quando a mãe engravida. O desmame pode ocorrer pela diminuição da produção de leite, alteração no gosto do leite (mais salgado, por maior conteúdo de sódio e menor concentração de lactose), perda do espaço destinado ao colo com o avanço da gravidez ou aumento da sensibilidade dos mamilos durante a gravidez e fadiga materna, pelas alterações hormonais que costumam causar sonolência principalmente no início da gestação. Na ameaça de parto prematuro é indicado interromper a lactação. Se a mãe optar por continuar amamentando o filho mais velho após o nascimento do bebê, é importante orientá-la que ela deve dar prioridade à criança mais nova no que diz respeito à amamentação.”

Amamentação durante a gestação

  • Durante a gestação os hormônios mudam bastante, e podem fazer com que o  fluxo diminua e sabor do leite se altere, pelo aumento de sódio, se tornando mais salgado, fazendo com que o bebê estranhe o fluxo e o sabor, diminua as mamadas ou até pare de amamentar por conta própria. Alguns bebês param de mamar e voltam após ver o irmão mamando.
  • A sensibilidade dos bicos dos seios é algo que se torna extremamente desconfortável ou até dolorido, porém acaba logo que a mamada acaba e diminui com a evolução da gestação.
  • O colo da mãe também vai diminuindo conforme a barriga cresce, e pode ir ficando desconfortável o peso do bebê em cima da barriga, sendo necessário usar e abusar de outras posições para amamentar.
Arquivo Pessoal

Depois que nascer, vai ter o colostro que o bebê precisa?

Nosso corpo é sábio! O colostro vai aparecer e tem o mesmo valor nutricional de uma mulher que não estava amamentando. Não faz mal algum ser ingerido também pelo filho mais velho e nem atrapalhará a transição do colostro para o leite.

E quais cuidados devemos observar?

  • Quando a sua gestação for de alto risco e você tiver a recomendação médica de repouso e de não ter relações sexuais.
  • Quando o ganho de peso do bebê não estiver favorável (curva de crescimento não estando crescente). Nesse caso, podemos fazer com que o irmão mais velho mame o leite inicial, colocando o bebê para mamar o leite posterior, que engorda com mais facilidade.
  • Dar a preferência de amamentar o bebê mais novo, que tem aleitamento exclusivo, pois o irmão já tem alimentação complementada por outros alimentos.
  • Outro aspecto a considerar é que, devido ao colostro (que tem um efeito laxante) e ao aumento do leite, é comum que seu filho mais velho sofra um pouco de diarreia durante esse período.
  • A amamentação em tandem requer tempo, habilidade e paciência. Pode ser linda mas também é trabalhosa. Requer apoio do parceiro ou da família, para que você também sinta que tomou a decisão certa praquele momento.

Quer mais benefícios sobre a amamentação de dois filhos juntos?

  • O filho mais velho pode ajudar na apojadura, aquela famosa descida do leite, que o organismo produz mais leite que o necessário, causando engurgitamento mamário, dor e até febre! Ele pode fazer a função da bomba de amamentação, ajudando a retirar o excesso.
  • Alguns estudos indicam inclusive que recém nascidos tem menor perda de peso após o parto, e o recuperam também de forma mais rápida quando amamentados em tandem, já que o irmão mais velho facilita o fluxo e o estímulo da produção.
  • A diminuição do estresse dos bebês, já que amamentar tem seu efeito calmante

Então..

Se você leu até aqui e deseja amamentar os dois filhos que tem, siga em frente! Coma e se hidrate bem, que o seu organismo fará o resto! Não é um processo fácil, assim como qualquer outro processo ou decisão na maternidade. Busque uma rede de apoio, tome as suas decisões, relaxe e viva tranquila com seus erros e acertos! Eles são seu aprendizado, e nenhuma gestação, amamentação e decisão é igual a outra!

Elaine Brasil, amamentando ainda no hospital! Rede de apoio é super importante!

 

E se não é de seu desejo amamentar, tudo bem também, siga da sua decisão de coração leve!  É isso que é importante! Você ser a protagonista do seu parto, da sua amamentação, das suas decisões na maternidade! Escolha a forma de fazer o desmame e use o tempo que vocês tem durante a gestação para ensinar e aprender outras formas de vínculos, de olho no olho, de carinhos e aconchegos!

Referências Bibliográficas

Caderno de Atenção Básica 23 http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=publicacoes/cab23

Mais sobre amamentação durante a Gestação https://www.facebook.com/notes/grupo-virtual-de-amamenta%C3%A7%C3%A3o-gva/amamenta%C3%A7%C3%A3o-durante-a-gravidez/521907181258896/

Amamentação durante a gravidez e em Tandem: pode!? http://www.aleitamento.com/amamentacao/conteudo.asp?cod=2272

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.