Cólica do bebê: por que acontecem?

Compartilhe:

Os primeiros quinze dias com o seu bebê foram uma maravilha. Estava dormindo bem e o choro era facilmente controlado com o colinho. Agora, algo acontece que seu bebê chora inconsolavelmente, se contorce, fica vermelho e nada parece aliviar o pequeno. Pois é, chegou a fase das cólicas. O termo médico para esse desconforto é cólica do lactente mais conhecido como cólica do bebê. Mas afinal, o que são essas cólicas? Vem comigo que vou explicar o que se sabe sobre o assunto.

Reconhecendo a cólica do bebê

Foto: Flickr

As cólicas do bebê geralmente têm início na segunda semana de vida podendo permanecer até o 3° mês. Para avaliar se realmente um bebê está com cólicas são usados alguns critérios de análise, chamado de critérios de Wessel. Com eles observa-se o comportamento do bebê em relação a: choro gritante, agitação ou irritabilidade por no mínimo três horas do dia, além de três dias na semana, por três semanas ou mais e curiosamente ocorrem no final do dia, começo da noite.

Um estudo brasileiro apontou que 80,1% das mães pesquisadas, afirmaram que seus bebês tinham cólicas, quando na verdade apenas 16,3% dos bebês realmente às tinham de acordo com os critérios de Wessel. É necessário entender e aceitar que o choro é uma ferramenta importante de comunicação do recém-nascido, sendo assim outras causas devem ser eliminadas para real diagnóstico de cólicas do lactente.

Possíveis causas conhecidas

Foto: Pexels

A ciência ainda não compreende completamente os motivos das cólicas do bebê pois algumas hipóteses precisam ser pesquisadas e comprovadas. Dentre as possíveis hipóteses para a cólica do lactente temos:
• Características do ambiente familiar uma vez que a insegurança, inexperiência, depressão e ansiedade dos pais é sentida pelo bebê
• Imaturidade do sistema nervoso central
• Intolerância ou alergia a lactose
• Aparente excesso do hormônio motilina nos bebês com cólicas
• Movimentação intestinal aumentada devido ao desequilíbrio hormonal
• Quantidade elevada de ar gastrointestinal.
• Aleitamento artificial como antecipatório de cólicas.
• Alimentação da mãe que amamenta
• Refluxo gastroesofágico

As cólicas do bebê chegam ao fim com aproximadamente três meses de vida, indicando que houve um amadurecimento do tubo digestivo no decorrer do desenvolvimento dos sistemas do recém-nascido.

Como amenizar as cólicas do bebê?

Arquivo pessoal

Algumas atitudes podem ajudar a amenizar ou diminuir os episódios de cólicas no bebê. Por exemplo, por parte da mãe que amamenta, evitar alimentos alergênicos, fazer massagem relaxante que auxilia na saída de ar do estômago, bolsa de água morna ou de ervas, banho de ofurô (balde), promoção de um ambiente tranquilo com redução de estímulos, uso de música suave e carregadores (sling) para aumentar o contato físico cuidador-bebê dando proteção, conforto e calor, alimenta-lo com leite materno e ao invés de fórmulas, evitar chupeta pois estimula a entrada de ar, nunca oferecer chás de ervas antes dos seis meses de vida e ter o acompanhamento do pediatra na necessidade de utilização de medicamentos.
Lembrando que cada bebê é único e não necessariamente irá apresentar os sintomas de cólicas nos períodos, características e intensidades comumente encontrados, portanto deve ser acompanhado atenciosamente, pelo profissional da saúde, em caso de anormalidades, respeitando suas particularidades.

E aí, foi possível entender um pouco mais sobre a cólica do lactente? Quer saber mais sobre o assunto? Pode entrar em contato comigo por aqui.

Referências:
Amamentação: bases científicas. Marcus Renato de Carvalho, Cristiane F. Gomes. Ed.: Guanabara Koogan, 4ªedição, Rio de Janeiro, 2017

A efetividade das intervenções na cólica do lactente
http://www.ee.usp.br/pesq/nucleo/jbi/documentos/Best%20Practices%20traduzidos/n%2057%20The%20effectiveness%20of%20interventions%20for%20infant%20colic.pdf

Cólicas do lactente
http://www.scielo.br/pdf/jped/v79n2/v79n2a01

Cólica do lactente
https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/cuidados-com-o-bebe/colica-do-lactente/

Incidência de cólica no lactente e fatores associados: um estudo de coorte

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0021-75572003000200005&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.