Exame de toque na gravidez

Compartilhe:
exame de toque
(foto via geradormemes.com)

Você já deve ter ouvido falar no exame de toque vaginal, nesse exame o profissional coloca dois dedos (dedo médio e indicador) no canal vaginal da mulher e toca o colo do útero pra verificar seu aspecto e dilatação, nesse exame também é possível verificar (durante o trabalho de parto) o posicionamento da cabeça do bebê em relação à pelve da mãe, muitas vezes esse exame é feito de forma rotineira e desnecessária por isso, hoje vamos descobrir um pouco mais sobre o exame de toque e sobre o seu próprio corpo.

exame de toque
(foto via papodagigi.com)

Conhecendo o seu corpo.

Você já tocou o colo do seu útero? Hoje te convido a conhecer essa estrutura que fica no final do seu canal vaginal, quando você tocar vai sentir uma “bolinha” com a textura muito parecida com a ponta do seu nariz, no meio dessa “bolinha” tem um pequeno “furinho” e é esse “furinho” que no momento do trabalho de parto vai dilatar para a saída do bebê.

Antes do colo do útero começar a dilatar ele precisa ficar mais fino, vamos tentar visualizar como esse processo acontece, agora feche os olhos (agora não! Termine de ler esse parágrafo primeiro hahahaha) e toque a ponta do seu nariz com o dedo, essa é mais ou menos a textura do colo do útero “normal”, agora toque o seu buço, quando se inicia o trabalho de parto, aos poucos o colo do útero vai ficando com essa textura bem mais molinha, agora toque os seus lábios, percebe como a pele é bem molinha e fina? Quando o colo do útero chega nessa textura o próximo passo é começar a dilatar.

Quem pode tocar?

Apenas alguns profissionais da saúde estão capacitados para fazem o exame de toque, segundo a OMS e o COREN esses profissionais são: enfermeiras, enfermeiras obstétricas, obstetrizes e médicos.  Vale sempre lembrar que doula NÃO FAZ EXAME DE TOQUE.

exame de toque
(foto via memecrunch.com)

Toque no pré-natal?

Alguns profissionais realizam o exame de toque durante o pré-natal com a “desculpa” de verificar a dilatação e/ou diagnosticar um possível parto prematuro, entretanto não existe necessidade de verificar a dilatação durante o pré-natal porque de uma maneira geral o colo do útero só dilata com contrações de trabalho de parto (que são diferentes das contrações de treinamento), então é completamente normal e esperado que o colo “não esteja favorável” e que não haja dilatação durante toda a gestação.

No caso de suspeita ou de algum fator de risco para parto prematuro os estudos indicam que a ultrassonografia transvaginal é mais eficiente e mais precisa do que o exame de toque, ou seja, não existe motivo para fazer exame de toque no pré-natal.

Caso o médico ache necessário realizar o exame ele deve explicar os motivos pelo qual o exame deve ser realizado e ter o consentimento da mulher antes de iniciar, mesmo assim se a  mulher não quiser  passar pelo exame pode recusar.

Durante o Trabalho de parto.

Durante o trabalho de parto o exame de toque pode ser feito caso a mulher queira saber quanto ela já dilatou, e se a equipe achar necessário checar o posicionamento da cabeça do bebê em relação à pelve da mãe e até mesmo a progressão do trabalho de parto, porém, em todos esses casos a mulher deve ser consultada e caso não queira realizar o exame deve ter o direito de recusar. Algumas mulheres não fazem NENHUM exame de toque durante toda a gravidez e o trabalho de parto.

Violência Obstétrica

Nenhuma mulher em momento algum da gestação ou do parto deve passar por essas situações SEM CONSENTIMENTO:

  • Exames de toque feito sob ameaças ou chantagens
  • Exames realizados constantemente e/ou sem aviso prévio
  • Descolamento de membrana durante o exame de toque
  • Rompimento da bolsa durante o exame de toque
  • Exame realizado com a porta aberta ou com exposição da mulher
  • Vários profissionais realizando o exame repetitivamente
  • Falas grosseiras, depreciativas e com a intenção de “zombar” da mulher

Agora vou acabar sendo um pouco repetitiva, mas como disse acima todos esses “itens” são considerados violência obstétrica quando realizados sem a autorização da mulher, alem disso qualquer procedimento ou atitude dos profissionais que façam a mulher se sentir diminuída, humilhada e/ou que seja feito sem sua autorização também é Violência Obstétrica. Denuncie!

 

Quer saber mais sobre o assunto?

Doulas recomendam:

A saga de nascer no Brasil Nascer no Brasil, para falar do cenário obstétrico atual no Brasil, é importante contar um pouco sobre a história do parto. Você já se perguntou como ...
Afinal, o que é a dilatação no trabalho de parto?... O trabalho de parto começa de fato quando o colo do útero começa a dilatar¹. Toda gestante que está se preparando para o parto normal sabe que tem que...
Trabalho de Parto: O que esperar? Quando ainda não vivenciamos o Trabalho de Parto paira uma dúvida do que esperar desse momento. Foto: focco visual Vai doer? Que horas chamo a ...
Paguei caro, sem pagar um centavo! Contei anteriormente minha história resumida Aqui e agora sinto esse ímpeto de partilhar uma de minhas maiores dores e que venho buscando constantemen...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *