Parto Humanizado não é via de Parto. Não agende sua cesárea.

Compartilhe:

Para a Organização Mundial de Saúde (OMS), não há motivos que justifiquem proporções de partos cesáreas superior a 15%. No entanto essa não é a realidade mundial e com isso tem aumentado os custos no serviço de saúde e nos riscos de mortalidade materna e perinatal.

Foto: Joehawkins

Mas se mesmo assim você queira ter parto por cesariana, mesmo que você nunca pensou em ter um parto normal, não agende.

Por quê?

Porque agendando existe um grande risco do bebê não estar maduro, de não estar pronto para nascer, e ter problemas respiratórios após o nascimento.

O ideal é que, quem deseja realizar uma cesariana, aguarde os primeiros sinais de que o bebê está maduro para nascer.

Os sinais podem ser: bolsa estourando, perca do tampão ou as primeiras contrações.

Espere, pois será muito importante para a saúde do seu bebê.

A doula pode ajudar a identificar os sinais de que o bebê está pronto para nascer, e também ajudar no pós parto, com a amamentação e nos cuidados com o recém nascido.

Foto Michelli Crestani

Tenho uma amiga que fez isto. Ela nunca imaginou em ter um parto normal, achava que não daria conta, e ela fez isto.

Aguardou os primeiros sinais, no caso dela, a perca do tampão, e quando ela começou a ter as primeiras contrações, ela avisou o médico dela e foi para a cesariana.

O bebê dela nasceu a meia noite e foi super legal. E o que foi positivo é que, pelo fato do bebê estar maduro, o leite desceu com muito mais facilidade e ela teve sucesso na amamentação.

Muitos médicos usam o “poder do convencimento” e criam um cenário negativo no discurso, colocando como problemas para o parto vaginal “bebê grande”, “bacia estreita”, “circular de cordão”, entre outros. Fazendo assim as gestantes optarem pelo parto cesariana. Se você escolher a cesária que seja realmente um desejo seu, e não por ser persuadida pela vontade do seu médico.

É necessário que seu médico te oriente adequadamente sobre os riscos inerentes do procedimento cirúrgico sem real indicação, por não ser a via de parto mais segura em uma gestação saudável.

A gente não condena quem quer ter uma cesariana. A gente apenas não recomenda que esta cesariana seja eletiva, agendada.

E após o nascimento, mesmo que por cesariana, garanta que os direitos do seu bebê sejam mantidos, como o contato pele a pele imediato, o corte tardio do cordão umbilical e a amamentação na primeira hora de vida.

Foto: Eveline Dias

Que os bebês nasçam com saúde, independente da maneira que seja escolhida.

Referencias:

LIANA CARVALHO RISCADO. A decisão pela via de parto no Brasil: Temas e tendencias na produção a saúde coletiva. Contexto Enfermagem 2016.

ROSANA ROSSETO DE OLIVEIRA. Fatores associados ao parto cesárea nos sistemas público e privado de atenção a saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP 2016.

Ministério da Saúde. Diretrizes para organização integral e humanizada ao recém-nascido. Portaria nº 371, de Maio de 2014.

Ministério da Saúde. Politica Nacional de Atenção Obstétrica e Neonatal. Portaria nº 1.067, de Julho de 2005.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.