Os riscos da gravidez tardia

Compartilhe:

É considerada gravidez tardia, quando a gestação ocorre após 34 anos de idade, pode ser dar por diversos motivos, como a espera pela consolidação profissional ou de um relacionamento, ou da situação financeira, ou ainda sem ser esperada e planejada. Quando há planejamento e o envolvimento do companheiro e aceitação da família envolvida, a experiência se torna positiva para todos.

No Brasil, o número de nascidos vivos gerados por mães com mais de 35 anos tem aumentado desde 2000 e de 8,6% pulou para 12,2% em 2014.

Por que neste caso a gestação é considerada de risco?

De modo geral, a gravidez após 35 anos é considerada de alto risco devido ao envelhecimento ovariano, e a existência de doenças crônicas pré-existentes, como diabetes, pressão alta, entre outras. Além disso, há o risco aumentado de abortamento, alterações cromossômicas (entre 40 e 60%), prematuridade, baixo peso ao nascer e índice de APGAR baixo.

bebê prematuro.
Risco de prematuridade – Via Flickr

Quais as complicações mais registradas?

De acordo com o estudo ‘Complicações na gestação em mulheres com idade maior ou igual a 35 anos’ disponível no portal scielo.com.br, em um grupo de 430 mulheres grávidas com mais de 35 anos de idade, 77% delas apresentaram complicações durante a gestação.

Gráfico estudo
Complicações na gestação em mulheres com idade > 35 anos em um Hospital de Referência. Pernambuco, 2013

Neste mesmo estudo foi identificado que maior parte das complicações ocorrente entre as mulheres de 35 a 39 anos, que estavam grávidas pela segunda ou mais vezes e onde não havia ocorrido aborto anteriormente, mesmo com maiores quantidades de acompanhamentos no pré-natal e sem doenças pré-existentes.

Nota-se com este resultado que não há uma forma de se precaver de riscos e complicações durante a gestação e parto, visto que, por exemplo, a existência de aborto anterior nos resultados levantado não afetou a gestação posterior E a prematuridade atingiu 43,2% das gestantes participantes do estudo.

Síndrome de down associada à idade da mãe

De acordo com a revisão sistemática realizada pelo Centro Cochrane, há o risco aumentado de mães com mais de 35 anos gerarem bebes com Síndrome de Down. O risco pode ser analisado por exames durante a gestação, porém alguns exames como a amniocentese e a biopsia de vito corial podem ser invasivos      e assim causar abortamentos.

Porém estes exames associados com o exame de sangue da mãe podem predizer com maior assertividade as chances do bebe possuir a síndrome.

Grávida após 34 e agora?

Seja a sua gravidez programada ou não, mas após os 34 anos, o ideal é que ela seja bem avaliada conforme os riscos demonstrados anteriormente, por uma boa assistência baseada em evidências para que se tenham decisões tomadas de correta e individualizada.

Fontes

Revisão sistemática indica quais são os melhores testes para rastreamento da síndrome de Down

Experiência da gravidez após os 35 anos de mulheres com baixa renda – Esc Anna Nery Rev Enferm 2009 abr-jun; 13 (2): 385-92

Complicações na gestação em mulheres com idade maior ou igual a 35 anos

Manual de consulta rápida para os profissionais de saúde – SÃO PAULO – versão 16/03/2017

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.