De Bióloga para Doula: Transformação que veio com o parto!

Compartilhe:
Foto: Débora Silveira Fotografia

Olá! Sou Susana, baiana nascida em Salvador, mas moradora do Rio de Janeiro desde agosto de 1999. Aportei pela Cidade Maravilhosa para fazer a faculdade de biologia e nunca mais saí daqui… Bióloga de formação, professora universitária durante 10 anos e hoje totalmente mergulhada no universo da gestação, parto e maternidade! Mas nem sempre foi assim…

Foram trinta anos vivendo sem pensar um único dia sequer em filhos e parto. Destes trinta, os cinco últimos casada e com uma rotina bem organizada. Um belo dia questionei meu marido sobre “o evento ter filhos”… Teríamos? Quando? Como seria?

E então o primogênito chegou e abalou as estruturas!

As coisas acontecem um pouco no automático da vida, cheguei em um determinado momento e decidi ter um filho. Não era algo que pensasse, mas também queria que acontecesse. Na minha ingenuidade tudo fluiria bem, claro. Quando eu digo bem, me refiro ao momento de nascer.

Pensava assim “bem, estou grávida, vou fazer o pré natal e no momento certo meu bebê vai nascer”, “quero que seja parto normal porque essa é a forma mais natural que seja, certo?”

Ahhh essa minha ingenuidade…

Nada certo, de repente algo natural se transformou em um evento com mil dificuldades. Primeiro porque todas as pessoas ao meu redor começaram a “me questionar” por que eu queria parto normal. Ouvi coisas como “mas pode nascer a qualquer hora, não seria melhor marcar para organizar isso?”. Outras meio engraçadas e meio irritantes como “nossa, como sua barriga está enorme e baixa, já não é hora de parar de trabalhar?”. A mais absurda ouvi no consultório da obstetra quando falei que tinha vontade de ter um parto na água e ela me respondeu sem olhar para mim “isso não existe no Rio de Janeiro”.

Tudo se misturava dentro de mim, sentia raiva, medo, vontade de sair gritando, queria chorar. Eu só pensava “como pode ser tão difícil?”. Naquela época eu não tinha essa resposta, mas hoje já se sabe que o sistema obstétrico brasileiro é organizado para ser assim. Vivemos em um país cesarista, com taxas de cesáreas que chegam a 43% na rede pública e a 88% na rede privada (dados pesquisa Nascer no Brasil). De acordo com a OMS a taxa ideal de cesárea deveria ser entre 10 a 15% dos nascimentos. Precisava vencer isso tudo, precisava, ao menos, ter a CHANCE de vencer isso. Precisava ter informação e isso me impulsionou em um caminho sem volta. Foi meu primogênito que me deu a oportunidade de enxergar uma realidade cruel para as mulheres que se descobrem grávidas e buscam o parto normal. E eu queria sair pelo mundo falando sobre isso!

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal

Consegui conquistar com bastante esforço o parto normal humanizado que tanto queria. Meu primeiro cuequinha nasceu no dia 11/9/2010, após um trabalho de parto suado de 10 horas de duração. Nasceu lindão com uma circular de cordão no pescoço e um NÓ VERDADEIRO no cordão umbilical! Apgar 9/10! Que momento, que glória. Como me senti poderosa!!

O nascimento do meu primogênito foi também o meu nascimento, para uma nova atuação profissional. Ele abalou minhas estruturas, me fez buscar uma nova capacitação profissional, me fez acreditar nesse poder que há em gerar vida e perpetuar a espécie!

E veio meu caçulinha…

Em termos de busca o nascimento do meu cuequinha caçula foi bem mais fácil, afinal eu já trabalhava como doula, educadora perinatal e instrutora de yoga gestantes. Difícil foi escolher uma doula só (hahaha, abafa o caso porque eu NÃO consegui e tive DUAS doulas mesmo!).

Meu eterno “Bolildo” veio preenchendo um vazio no meu coração, depois de um aborto espontâneo que sofri na minha segunda gestação. Lucas, meu baby arco-íris, veio colorir nossas vidas e fez isso através de um parto domiciliar arrebatator! Intenso, rápido, dolorido e poderoso.

Lucas nasceu em casa, no seu quarto, na piscina, empelicado, pesando 4 quilos e medindo 54 cm de pura gostosura. Nasceu Bolildo e o apelido ficou para a vida! Bebezão e mamãe com períneo íntegro. O que pode existir de mais mágico?

Viver essa experiência de um parto TO-TAL-MEN-TE fisiológico me fez ter a absoluta certeza de que trabalhar com este poder sagrado é o que me faz feliz. Acompanhar as mulheres nas suas jornadas rumo a um parto digno e respeitoso é o que me move.

Foto: Valéria Ribeiro Fotografia

Educação perinatal e doulagem, um caminho sem volta…

Estava latente em mim, era apenas questão de ter contato com o tema. Sempre fui muito curiosa, lia muito, frequentava grupos de apoio ao parto normal. Cruzava a cidade para praticar yoga gestante. Depois de vivenciar isso tudo, meu desejo era compartilhar com outras mulheres!

Virou a minha vida. Educação perinatal, doulagem, yoga prenatal… A experiência de poder vivenciar junto com as mulheres esse poder que a informação nos dá. Preparar o corpo e a mente, entender as possibilidades do parto, a fisiologia, esse processo único que é o nascimento de um novo ser humano, é um privilégio! Eu acredito no parto e acredito na potência do corpo feminino!

Foto: Débora Silveira Fotografia

Acreditar nisso me fez criar o Espaço Conceptus, onde iniciei meus atendimentos às gestantes em 2012. Atendo gestantes como doula (de parto); ofereço cursos periódicos para gestantes de preparação para o parto e cuidados com bebê; ofereço aulas de yoga gestantes e coordeno desde 2014 o grupo de gestantes Ishtar Jacarepaguá (com reuniões nos quartos sábados do mês).

Foto: Débora Silveira Fotografia

Quer fazer parte do meu grupo do WhatsApp? Aqui.

Referências Bibliográficas:

  • Declaração da OMS sobre taxa de cesárea. Aqui
  • Pesquisa Nascer no Brasil, sumário executivo. Aqui
Compartilhe:

2 respostas para “De Bióloga para Doula: Transformação que veio com o parto!”

  1. Como sempre maravilhosa,lendo seus relatos me identifiquei assim em muitos momentos durante a gestação do meu filho. Acho um trabalho louvável e que possibilita tranquilizar,aprender,entender e de fato ouvir relatos que sejam pertinentes e verdadeiros diante de tanta angústia e insegurança que se fazem presente durante a gestação. Parabéns pela escolha, pelo trabalho e muita sorte no caminho. Gratidão sempre!!! Sua eterna aluna Ana Flora Teixeira

    1. Ahhh que delícia Flora! <3
      Sim, essa busca gera muita angústia muitas vezes.Nada mais gratificante do que trazer tranquilidade para as gestantes em um momento tão especial como a gestação!
      Minha eterna alunaaaa, sempre sentada nas primeiras fileiras lá na Estácio!
      Beijossss,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.