Você NÃO precisa de Ajuda Profissional na Amamentação!

Compartilhe:

Será que essa afirmação do título é verdadeira? SIM! De fato, nem toda mulher necessita de ajuda profissional na amamentação… Mas num país em que a média de amamentação exclusiva é de míseros 54 dias, enquanto a OMS recomenda um mínimo de 6 meses, falar sobre a real necessidade de apoio profissional qualificado na amamentação é bem importante, não é mesmo?! E é sobre essa necessidade que vamos tratar nesse texto!

Amamentar é instintivo e natural, certo?!

 

Sim e não! Apesar de sermos mamíferas, portadoras de glândulas mamárias programados para produzir leite e alimentar nossos filhotes, não podemos esquecer que somos animais atravessados pela linguagem, e isso faz toda a diferença!

Tudo que ouvimos durante a vida sobre seios, amamentação, leite materno, bebês e etc vai moldando nossa psique para o momento em que somos colocadas diante da cria para nutri-lo.

Vamos combinar que a influência social e cultural quando o assunto é amamentação, à exemplo do que acontece com o parto normal, na maioria das vezes é negativa, minando nossa vontade e capacidade de amamentar nossos bebês exclusivamente com nosso leite.

Nem vamos entrar no mérito da enorme influência da sociedade patriarcal e da indústria do leite artificial sobre nosso “instinto mamífero”, pois esse não é o tema desse texto, mas é importante você saber que existe muito mais que seios e bebês envolvidos o ato de amamentar e se você enfrentou dificuldades na amamentação, saiba que decididamente não está sozinha! E não é por falta de instinto materno que isso aconteceu…

Os profissionais da saúde estão preparados para auxiliar as mães com a amamentação?!

 

Infelizmente, a maioria dos profissionais da saúde no Brasil NÃO está preparada para o manejo clínico da amamentação! Quando atuamos nessa área, percebemos a quantidade de orientações desatualizadas e equivocadas por parte dos profissionais, que muito prejudicam a manutenção do aleitamento materno.

Essa percepção pode ser comprovada pelas inúmeras revisões sistemáticas da literatura (vide as referências ao final do texto) que mostram que os profissionais podem até ter conhecimentos técnicos para o incentivo do aleitamento, mas muitas vezes nunca receberam capacitação teórico-prática sobre o manejo clínico da amamentação, o que acaba sendo muito prejudicial para mães e bebês!

A exceção está nos profissionais que buscaram formações diferenciadas, pois, infelizmente, a carga horária para o estudo e prática da amamentação em cursos da área da saúde é infinitamente menor do que seria recomendável nesse assunto que é primordial para saúde de mães e bebês.

Como a consultora em amamentação pode auxiliar na amamentação?

 

Consultor em Amamentação auxiliando uma díade mãe-bebê. Fonte: imagem retirada do site http://www.mamadre.cl/

 

A Consultora em Amamentação é a profissional devidamente capacitada com informações técnicas e práticas sobre o aleitamento materno desde seu incentivo até o manejo clínico das dificuldades que podem surgir.

É uma atuação multiprofissional exercida na maioria das vezes por profissionais da saúde, como fonoaudiólogos, nutricionistas, pediatras, enfermeiros, psicólogas, doulas, etc.

Dependendo da sua profissão-base, terão especificidades que lhe garantem uma atuação ainda mais diferenciada. Ex: consultores de amamentação que são fonoaudiólogos estarão mais capacitados a atuar com bebês que tem dificuldades específicas no sugar e/ou engolir.

Assim como consultores de amamentação que são psicólogos estarão mais capacitados a atender mulheres com complicações emocionais/psiquiátricas como a depressão pós-parto.

Já a doula é a profissional devidamente capacitada para auxiliar as mães na gestação, parto e pós-parto para que sejam respeitadas em suas decisões e desejos, provendo apoio físico e emocional à mulher para que enfrente as dores e delícias do gestar/parir/maternar de maneira mais saudável e satisfatória.

Elas são mais conhecidas pela atuação no trabalho de parto em si, mas como a amamentação é a principal dificuldade do pós-parto, muitas doulas tem buscado formações em consultoria em amamentação.  Unir a abordagem humana e feminina da doulagem ao conhecimento técnico  do aleitamento materno costuma ser uma combinação muito bacana para as recém-mães.

Sendo assim, as consultoras em amamentação, independente da profissão-base, costumam ser as profissionais mais preparados para o manejo clínico da amamentação, prestando serviços de mais qualidade e sensibilidade que boa parte dos profissionais dos hospitais e consultórios médicos Brasil à fora.

É claro que não podemos generalizar! Nem todo profissional da saúde que não é consultor em aleitamento materno está despreparado para o atendimento em amamentação.

Porém, a realidade que mostra os estudos sobre o assunto e que se apresenta nos relatos de mães e colegas consultoras mostra que nos quatro cantos do país a desatualização ainda é uma realidade muito presente e corriqueira quando o assunto é amamentação.

Porque a consultoria em amamentação é tão “cara”?

Em uma sociedade capitalista como a nossa, geralmente o preço de um produto ou serviço é calculado pelo valor agregado que ele tem. Dentre os principais diferenciais desses serviços podemos citar:

  • Os atendimentos de amamentação costumam ser longos (em torno de duas horas);

 

  • Geralmente são realizados em domicílio (o que acrescenta custos de deslocamento e tempo de serviço do profissional)

 

  • São realizados por profissionais que geralmente tem um currículo cheio de cursos e supervisões clínicas. Você já pesquisou os preços de (bons) cursos de amamentação?!

 

  • Profissionais que realmente entendem de amamentação e prestam um serviço de excelência ainda são um tanto raros.

 

  • Em uma única consulta avaliamos a mãe, o bebê, a dinâmica da díade mãe-bebê, traçamos a hipótese diagnóstica e sugerimos uma conduta. Dificilmente você tem outros serviços de saúde que conseguem dar conta disso tudo em um atendimento só. E muitas vezes conseguimos “resolver o problema” com essa única sessão. Em alguns casos mais complexos duas ou três… Para isso precisamos de muito estudo, sensibilidade, escuta qualificada e comunicação eficiente. Vai muito além de corrigir a pega ou posicionamento do bebê. Isso qualquer um deveria saber fazer… É preciso saber avaliar todas as condições físicas, emocionais e sociais da mãe, do bebê e do contexto familiar, ler nas entrelinhas dos desejos e necessidades e traçar uma conduta que seja possível para aquela mãe, aquele bebê com aquele nível de apoio familiar. Trabalhar com amamentação é muito mais complexo e importante do que a maioria das pessoas acha que é!

E quem não tem condições financeiras para arcar com os custos de uma consultoria em amamentação?

 

Profissional auxiliando a amamentação ainda no Hospital. Fonte: imagem retirada do site http://www.heavensentsupport.com/

 

Em um mundo ideal todos os profissionais da saúde que tratam de gestantes e puérperas teriam conhecimento técnico, prático e sensibilidade para orientar as mulheres e suas famílias.

Porém, enquanto a realidade ainda está longe disso, os Hospitais Amigos da Criança e os Bancos de Leite Humano em geral costumam ser referências de profissionais bem capacitados no atendimento à amamentação de maneira gratuita.

Grupos de apoio à amamentação, tanto presenciais quanto online também prestam um importante serviço às mulheres, apesar de muitos deles terem um caráter muito mais de militância do que propriamente de apoio e acolhimento aos desejos e necessidades da mãe em sua individualidade.

 

O que realmente pega na hora de contratar uma ajuda profissional na amamentação?

 

Apesar de sabermos que boa parte da população não tem condições financeiras para pagar pelos serviços de consultoria em amamentação eu sinto que as maiores razões para a não contratação de ajuda profissional para amamentação não vem da dificuldade em pagar pelo serviço.

Pra mim, enquanto mãe e profissional que atende mães (Consultora em Amamentação, Doula e Fonoaudióloga), as duas principais razões da não contratação são:

 

  • Desconhecimento de quem são esses profissionais e suas possibilidades de atuação;

 

  • A ilusão social e cultural que nós mães temos que dar conta de tudo! Percebo em muitas mães que me solicitam orçamento de atendimento que o que pega não é a grana… Inconscientemente, essas mulheres acham que precisam saber de tudo e literalmente “matar no peito” qualquer dificuldade sem qualquer ajuda. Que dirá ajuda profissional, afinal, quando nasce um bebê nasce uma mãe, não é mesmo?!

Só que precisamos parar com essa loucura de pensar que precisamos saber de tudo e que no momento que a cria estiver em nossos braços a intuição saberá como lidar com cada uma das situações.

A intuição é uma bênção e devemos sim deixa-la fluir, mas sempre com o apoio da informação qualificada e respeito aos nossos limites e necessidades.

Afinal de contas, pensando racionalmente, alimentar um bebê com leite artificial é muito, muito mais caro do que contratar uma consultora em amamentação!

Se a gente pensar no valor da amamentação para saúde da mãe e do bebê, só pelo fato de conseguir proporcionar para o bebê o alimento padrão ouro que provê muito mais que os melhores nutrientes, a consultoria em amamentação simplesmente não tem preço…

Super Mãe
Fonte: Ziraldo

 

Então, concordando e discordando da afirmação inicial do texto, nem toda mulher precisa de ajuda profissional na amamentação, mas todas as mulheres MERECEM receber informações e apoio cientificamente e empaticamente embasados de profissionais realmente comprometidos com aquela dupla mãe-bebê. E os profissionais mais indicados para esse apoio são os consultores em amamentação, independente da profissão-base.

 

Referências consultadas:

 

  • Porque sabemos tão pouco sobre amamentação?

https://www.washingtonpost.com/news/posteverything/wp/2018/02/21/why-do-we-understand-so-little-about-breastfeeding/?utm_term=.a5c3da2753ef

  • O espaço social das mulheres e a referência para o cuidado na prática da amamentação. 

http://www.redalyc.org/html/2814/281421873007/

  • Comunicação não-verbal: uma contribuição para o aconselhamento em amamentação. 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692004000200016&lng=pt&tlng=pt

https://www.researchgate.net/profile/Emanuele_Marques2/publication/240767251_A_influencia_da_rede_social_da_nutriz_no_aleitamento_materno_o_papel_estrategico_dos_familiares_e_dos_profissionais_de_saude/links/5722476708aef9c00b7c7e41/A-influencia-da-rede-social-da-nutriz-no-aleitamento-materno-o-papel-estrategico-dos-familiares-e-dos-profissionais-de-saude.pdf

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0870902514000078

  • Concepções e conhecimento sobre amamentação de profissionais da atenção básica à saúde.

http://www.fen.ufg.br/revista/v10/n4/v10n4a06.htm

http://maepop.com.br/quanto-custa-o-leite-artificial-x-uma-consultora-de-amamentacao/

Compartilhe:

2 respostas para “Você NÃO precisa de Ajuda Profissional na Amamentação!”

  1. Parabéns pelo texto! Vc escreve muito bem! Adorei! Concordo plenamente com tuas palavras. Continue escrevendo e sendo essa profissional dedicada e amorosa que és. Abraços

    1. Querida Aline, gratidão!!! Vindo de você esse elogio ganha ainda mais cor!!! Ter acompanhado o parto humanizado da Lívia e depois a orientação à amamentação me deixou extremamente honrada e orgulhosa de vocês… Bjs no coração!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.