Como o pai pode ser apoio na amamentação?

Compartilhe:

O puerpério é um período de grandes adaptações para a família… a mulher torna-se mãe, começa a aprender a lidar com esse novo papel e ainda precisa lidar com as mudanças hormonais e corporais após a gestação e parto. Além disso, a mulher pode desempenhar um papel importante relacionado ao crescimento e alimentação da criança, que é a amamentação. 

O bebê também está em processo de adaptação, reconhecendo e aprendendo a viver nesse mundão aqui fora. Ele está se acostumando com o ambiente em que vive, com as vozes, rotina, fazer suas necessidades fisiológicas e também, aprendendo a mamar! 

Já o homem, apesar de também ter que se adaptar ao novo papel, tornar-se pai, não tem a mesma carga emocional, hormonal e física que a mulher tem neste período. Isso significa que a puérpera precisa de muito apoio! Esse apoio pode ser chamado de “rede de apoio”, onde o companheiro(a), avós, familiares e amigos podem de alguma forma ajudar o casal. No entanto, aqui focaremos no apoio do pai, enquanto homem e pessoa que carrega toda a história do patriarcado e machismo.

O apoio do pai na amamentação faz com que a mulher consiga amamentar com mais segurança e por mais tempo, evitando assim o desmame precoce, motivado inclusive por desconforto materno e falta de incentivo.

Foto Jennifer Mason

Pergunte a ela como você pode ajudá-la.

Ela melhor do que ninguém pode te dizer o que precisa. Podem ser coisas simples, como: “Segura aqui que eu preciso de um banho mais demorado.” Segura! Se chorar, tente embalar, balançar, conversar… “Jajá a mamãe volta!”

Se informe!

Busque ler sobre os benefícios do aleitamento materno para que você esteja confiante quando os palpites começarem a chegar e para que você consiga apoiar, de fato, sua companheira.

Participe de grupos, leia o texto que ela te marca no facebook ou te manda no whatsapp. Tire suas dúvidas!

Não divida tarefas, divida responsabilidades!

Faça as tarefas de casa sem sua companheira precisar te pedir. Você pode passar um pano na casa, lavar uma louça e fazer a comida de vocês! Se vocês tiverem outras crianças, cuide e de atenção também!

Pode ser exaustivo amamentar! Alguns bebês mamam de 2h em 2h horas (ou menos), choram… ela não precisa ter que pensar ainda em lavar, passar, cozinhar! 

Permita que ela se dedique ao máximo a amamentação.

Paterne!

Troque fraldas, dê o banho, embale e acolha seu bebê! Essas também são formas de criar vínculo com ele. Além disso, você pode conversar, sair pra dar um rolê com ele e deixar sua companheira dar uma respirada sem precisar ouvir um choro, por exemplo!

Apoie e encoraje nos momentos difíceis!

Pode chegar uma hora que ela queira desistir: dor, mama machucada, bebe chorando muito. Diga a ela que ela vai conseguir! Busque ajudá-la: pesquise sobre consultoras em amamentação, ajude sua companheira a colocar o bebê pra mamar, massageie a mama dela.

Foto Tiago Koch

 

Ofereça carinho e conforto!Você também pode apoia-lá levando uma água, um lanche ou algo que ela queira comer/tomar.

A ajude a pensar na rede de apoio

Quem são as pessoas que vocês poderiam contar pra dar uma força?

Todas essas dicas possibilitam sua companheira se dedique melhor e por mais tempo à amamentação. Vocês só tem a ganhar com todo esse apoio!
Paterne!

Aqui, indico perfis do Instagram de homens que apoiam a amamentação e falam sobre vínculo paterno:

Tiago Koch do @homempaterno / Bruno do @paitemquefazerdetudo / Thiago Queiroz do @paizinhovirgula.

Referências Bibliográficas

Villaça L. M. S. et al. O papel do pai e do enfermeiro no processo de amamentação. Semana da Enfermagem da AJES, 2015.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.