Principais segredos para pega correta do bebê na amamentação

Compartilhe:

Ah a pega correta… Quando a gente está grávida e/ou logo que o bebê nasce a coisa que mais escutamos sobre amamentação é: “você tem que conseguir a pega correta do bebê pra amamentar sem dor”. Mas que raios é esse tal pega correta? Ela é mesmo tão importante? E como a gente consegue ensinar o bebê a pegar certinho?

Essa e outras perguntas serão devidamente respondidas nesse texto que é o segundo da série sobre preparação para amamentação que estou escrevendo semanalmente aqui no blog.

É bacana você ler o primeiro  https://blog.casadadoula.com.br/2019/01/21/o-que-toda-gravida-deveria-saber-sobre-amamentacao/, pois os textos são complementares e ficará mais tranquilo de você estar mais segura e preparada quando o bebê estiver plugado em você! Bora lá…

 

Muito além de evitar dor ao amamentar e fissuras…

 

DOR! Créditos: giphy.com

 

A maioria dos textos sobre a amamentação nos fala da importância da pega correta para evitar a dor e as temidas fissuras (ou rachaduras) mamárias, que são aqueles machucados doloridíssimos que acabam acontecendo no mamilo quando o bebê não está abocanhando o seio da mãe corretamente ou se ele tem alguma dificuldade orofacial (língua presa, por exemplo).

Porém os benefícios da pega correta na amamentação vão muito além de evitar a dor e as fissuras… Confira as mais importantes:

  • Abocanhando corretamente o seio, o bebê conseguirá uma boa transferência de leite materno, ou seja, irá realizar uma mamada efetiva = mais leite em menos tempo e com menos esforço. O resultado disso: o bebê irá ganhar peso e crescer de maneira saudável!

 

  • Quando a pega está correta e o bebê faz mamadas efetivas, isso também auxilia a boa produção de leite materno. Aliada à livre demanda e os demais cuidados para um bom esvaziamento mamário, a pega correta promove uma produção de leite adequada às demandas do bebê.

 

  • A imensa maioria dos casos de dor intensa e fissuras mamárias está relacionada à pega incorreta. Sendo assim, se o bebê pegar corretamente a mama você irá amamentar com mais conforto e tranquilidade, vai evitar (ou curar mais rápidos) as fissuras mamárias e seu bebê vai ganhar peso adequado.

 

Afinal, o que é a pega correta?!

 

Créditos: Pixabay

 

É quando o bebê consegue abocanhar o seio para além do “bico”, estimulando corretamente a mama e fazendo uma boa transferência de leite materno. As 7 principais características para avaliar se a pega está correta são:

 

  • Bebê está posicionado de frente para mama e com o corpo alinhado e próximo da mãe. Uma boa forma de avaliar se ele está alinhado é observar se a orelha, o ombro e o quadril do bebê estão formando uma linha reta, independentemente da posição escolhida. Na posição tradicional, dizemos que o bebê precisa ficar “barriga com barriga” na mãe.

 

  • Bebê abocanha maior parte da aréola. Se a aréola for pequena, ela fica todinha dentro da boquinha do bebê. Se for grande isso é impossível! Então veremos mais aréola na parte de cima do que na parte de baixo. Lembre-se que para abocanhar a maior parte da aréola, o bebê precisa estar com a boca bem aberta.

 

  • Os lábios do bebê, especialmente o de baixo, ficam evertidos, ou seja, virados para fora, a famosa boca de peixinho. Se o bebê não pegar automaticamente dessa forma, podemos ajudar com o dedo, puxando os lábios para fora.

 

  • As bochechas do bebê permanecem arredondadas durante a amamentação. O fato de o bebê fazer covinhas ao mamar é um indicativo forte de que a pega não está legal e você precisará reposicionar a boquinha do seu filhote.

 

  • O queixo do bebê toca a mama, mas sem impedir sua livre movimentação. Caso o queixo esteja longe da mama, traga o corpo do bebê para mais perto do seu e reposicione sua boquinha.

 

  • O nariz do bebê ficará livre pra respirar, sem precisar qualquer artifício seu para afastar a mama do nariz, como colocar seu dedo, por exemplo. Caso o nariz esteja afundado na mama, procure deixar o pescoço do bebê mais esticado.

 

  • O bebê suga e engole num ritmo lento e contínuo, fazendo pausas para respirar e descansar. Uma boa maneira de perceber se ele está engolindo é observar se a orelha está mexendo durante a amamentação. Também dá pra observar o ossinho da garganta mexendo. Se você ficar na dúvida pode pedir para alguém repousar a mão suavemente na garganta dele pra sentir.

 

Nesse vídeo a explicação esquemática das características da pega correta:

Segredos para ensinar o bebê a pega correta

 

No tópico anterior vimos um check list com as principais características da pega correta. Agora vamos ver o que fazer para ensinar o bebê a pegar direitinho ou para corrigir caso ele esteja pegando errado.

Lembre-se que por ser um processo aprendido, muitas vezes você irá ter que tirar o bebê do seio (cuidado pra não se machucar!) muitas vezes e não há nada de errado com isso.

Tenha paciência, pois eles aprendem muito rápido e logo, logo seu rebento será capaz até mesmo de fazer “mamasutra” em diversas posições inusitadas.

Os primeiros 15 a 30 dias iniciais costumam ser os mais desafiadores nesse processo de aprendizado. Vamos aos segredos então?!

  • Esteja confortável e use muitas almofadas/travesseiros para se acomodar da melhor maneira possível. A tensão muscular acaba interferido na síntese da ocitocina, hormônio que atua na ejeção do leite materno, então relaxeeee. Relaxamento = boa síntese de ocitocina = maior fluidez do leite materno.

 

  • Escolha a posição que mais se adapta a você e seu bebê. Existem muitassss. Como a grande maioria das mães prefere a posição tradicional, eu frequentemente sugiro uma pequena variação que é a tradicional invertida, ou seja, você segura o bebê com a mão oposta ao seio que você está oferecendo. Com isso você controla melhor a cabeça do bebê e a direciona melhor a boca do bebê até a parte que ele precisa abocanhar. Veja na imagem:
Posição Tradicional Invertida. Créditos: jojomamanbebe.ie

 

  • Técnica da Preguinha (ou Sanduíche): essa técnica é excelente, especialmente para as mães que tem bico plano ou invertido, já que dá um direcionamento para que a pega fique mais profunda e o mamilo atinja a zona de conforto. Costumo sugerir essa técnica aliada à posição tradicional invertida para todas as gestantes que acompanho e para as mães que me procuram com dificuldades pra amamentar. Dá resultados muito bons!

Você vai fazer um sanduíche com a área da aréola que o bebê vai abocanhar. Quando o bebê estiver com a boca bem aberta, você direciona a preguinha até a boca do bebê e conduz gentilmente a cabeça do bebê até o seio ao mesmo tempo.

Confira a demonstração da técnica nesse vídeo do canal do YouTube “Amamentar é”, com a maravilhosa Bianca Balassiano, Consultora Internacional de Amamentação:

  • Fique atenta aos sinais de boa pega já descritos e se o bebê estiver com algum sinal de pega incorreta, tire ele do seio com o cuidado de tirar a pressão da sucção com o dedo mindinho e o reposicione quantas vezes for necessário.

 

  • Evite ao máximo o uso de bicos artificiais, como chupetas e mamadeiras. Elas podem atrapalhar e muito o aprendizado da pega correta e ainda causar confusão de bicos e fluxo. Saiba mais sobre as consequências do uso da chupeta aqui:

https://blog.casadadoula.com.br/2018/10/19/verdade-ou-mito-chupeta-atrapalha-amamentacao/

 

  • Se mesmo seguindo todos os passos descritos você ainda continuar com dor ou o bebê apresentar algum dos sinais de pega incorreta, procure um profissional especializado em amamentação.

Lembre-se que apesar de ser importante, a pega incorreta está longe de ser a única alteração possível no processo de amamentação. Por isso a importância da avaliação de um profissional qualificado.

O Consultor em Amamentação irá avaliar o bebê, você e a díade mãe-bebê  (como vocês estão funcionando juntos!), diagnosticando a origem da dificuldade e sugerindo condutas adequadas a cada caso. Saiba mais sobre o papel do Consultor em Amamentação aqui:

https://blog.casadadoula.com.br/2018/01/18/voce-nao-precisa-de-ajuda-profissional-na-amamentacao/

Quanto antes essa ajuda for buscada melhor, já que as consequências de uma pega incorreta ou qualquer outra dificuldade de amamentação é muito minimizada quando a ajuda acontece cedo, tendo menor impacto na saúde física das mamas, no aprendizado do bebê em mamar, no seu ganho de peso e saúde em geral, e principalmente na saúde emocional da mãe que amamenta…

Há, inclusive, consultores em amamentação e doulas que realizam atendimentos de orientação em amamentação para grávidas ainda na gestação. Caso você tenha a possibilidade de fazer, esse é um investimento que vale muito a pena!

 

E para fechar com chave de ouro, outro vídeo da Bianca Balassiano que gosto muito de compartilhar com as minhas clientes. Dessa vez ela deu uma entrevista muito bacana para o canal do YouTube “Mães do Peito”. Nos vemos na próxima semana pra falarmos sobre as principais dificuldades em amamentação e o que fazer em cada uma delas!

 

Para saber mais pesquise as Referências Bibliográficas: 

 

  • Apoio ao aleitamento materno pelos profissionais de saúde: revisão integrativa da literatura

http://www.scielo.br/pdf/rpp/v33n3/0103-0582-rpp-33-03-0355.pdf

  • Aleitamento Materno: técnica, dificuldades e desafios

http://residenciapediatrica.com.br/detalhes/115/aleitamento-materno–tecnica–dificuldades-e-desafios

  • Dificuldades Iniciais com a técnica de amamentação e fatores associados a problemas com a mama em puérperas

http://www.scielo.br/pdf/rpp/v35n3/0103-0582-rpp-2017-35-3-00004.pdf

  • Aleitamento Materno: Posicionamento e Pega Adequada do Recém Nascido

https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/aleitamento-materno-posicionamento-pega.pdf

  • Influência da Técnica de Amamentação sobre o Aleitamento Materno Exclusivo e Traumas Mamilares

https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/10195/000595508.pdf?sequence=1

  • Promovendo o aleitamento materno

http://www.redeblh.fiocruz.br/media/albam.pdf

  • De mãe pra mãe – Humaniza SUS

http://www.redehumanizasus.net/sites/default/files/de_mae_para_mae.pdf

  • Amamentação: conhecimento e prática de gestantes

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mundo_saude/amamentacao_conhecimento_praticas_gestantes.pdf

  • Manual de Aleitamento Materno da Febrasgo

file:///D:/Larissa/Downloads/febrasgoamamentacao2018manual-181017140601.pdf

  • Cadernos de Atenção Básica do Ministério da Saúde – Saúde da Criança – Aleitamento Materno e Alimentação complementar (caderno 23)

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_aleitamento_materno_cab23.pdf

 

Doulas recomendam:

Você NÃO precisa de Ajuda Profissional na Amamenta... Será que essa afirmação do título é verdadeira? SIM! De fato, nem toda mulher necessita de ajuda profissional na amamentação... Mas num país em que a ...
Dores comuns no final da gestação No terceiro trimestre, mais ou menos a partir da 30 semana de gestação, a famosa “pressão na pelve” aparece com força total, dificilmente vamos encont...
Exaustão no trabalho de parto. Como cuidar?   Créditos da foto: pregnant. Nem sempre a dor é o mais difícil de superar no parto. Muitas gestantes desistem do parto por estarem cansad...
Tive uma gravidez ectópica, será que poderei engra... Você veio ler sobre gravidez Ectópica, mas se chegou a este texto antes de ler a parte 1, clique aqui agora para se inteirar de como começamos essa co...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *