Meu sangue é Rh negativo! E agora? Posso ter parto normal?

Compartilhe:

No último encontro de gestantes que fiz na minha cidade, uma moça e seu companheiro compareceram com uma dúvida muito específica: Ela tem o fator Rh sanguíneo negativo e o companheiro, positivo. Ela poderia ter um parto normal?

A resposta é: SSIIIIMMM!!! COM CERTEZA!! Nenhum impedimento ao parto normal!

Você também tem essa incompatibilidade? Acompanhe esse texto comigo!

Primeiro: o que é esse tal de fator Rh? Pra que serve?

Descoberto em 1940, a experiência era o seguinte: os cientistas colocavam sangue de um macaco, Rhesus, em coelhos, e o sangue dos coelhos, aglutinava (cruel né?).

Entenderam que no sangue dos coelhos existia um antígeno (substância que produz anticorpos) contra a hemácia do macaco. Esse antígeno foi chamado de Anti Rh.

Depois, eles pegaram o soro dos coelhos e misturaram à amostras de sangue humano. Destas amostras todas, 85% aglutinaram e 15% não. Os que aglutinaram então, possuíam o antígeno Anti Rh (Rh+) e os que não aglutinaram então, não o possuíam (Rh-).

Fonte: http://cienciahiperativa.blogspot.com.br/2012/06/o-sangue-8-ano.html

Então, esse Anti Rh serve para, de uma certa forma, proteger o sangue de invasão de fatores sanguíneos diferentes.

Se uma mãe Rh+ gerar um bebê Rh+, tudo está igual, então, ok!

Se uma mãe Rh- gerar um bebê Rh-, tudo está igual também e fica ok!

Porém, se uma mãe Rh- gerar um bebê Rh+, o corpo da mãe começará a produzir anticorpos contra o fator Rh+ do bebê. Porém, por ser um processo lento, certamente o organismo materno não terá tempo de atacar o organismo fetal nessa gestação. Mas isso pode ser um problema gravíssimo a partir da segunda, pois a quantidade de anticorpos Anti Rh será suficiente para atacar o feto logo no início da gestação, resultando em anemia ou icterícia gravíssima ou mesmo em óbito fetal.

Créditos: Arlene Ferreira

Eu sou mãe Rh+… posso gerar um bebê Rh- e isso gerar problemas?

O contrário é verdade, mas esse caso, não! E vamos entender o porquê.

Para isso, precisamos entender uma coisinha que tem nas nossas células, o chamado CROMOSSOMO. O cromossomo é formada por uma longa cadeia de DNA e nesse estão os GENES. Os genes são um tipo de instrução que diz como um tipo de célula vai se comportar (se vai ser célula muscular, cardíaca, se vai formar a boca, os olhos, que cor serão, etc).

Esses cromossomos andam em pares, sempre!!

Crédito: Arlene Ferreira
Fonte: https://www.sobiologia.com.br/figuras/Corpo/cromossomos.gif

As únicas células que não tem seus devidos pares de cromossomos são as células reprodutivas (espermatozoide e óvulo). Cada uma dessas células carrega um cromossomo  sem par para, quando se encontrar com a célula contrária, aí sim formar um par e, a partir daí, originar o embrião humano.

Crédito: Arlene Ferreira

Aqui, o que determina esse fator sanguíneo, é o Gene R ou r.

O R, grande, maiúsculo, forte, chamaremos de GENE DOMINANTE e determina o Rh+ (antígeno presente).

O r, minúsculo, pequeno, tímido, chamaremos de GENE RECESSIVO e determina o Rh- (antígeno ausente).

Podemos ter 4 combinações: RR, Rr, rR e rr (sempre teremos dois, pois um gene vem da mãe e outro vem do pai).

Crédito: Arlene Ferreira

Quando aparece o “R” grandão, forte, dominante, a pessoa será Rh+, independente de ser 1 ou os 2 genes dominante. Se tiver pelo menos 1, o R será dominante sobre o r, logo, Rh+.

O único caso em que a pessoa será Rh- será quando o pai e a mãe tiverem, ambos, o gene recessivo r (rr+rr = rr), onde nenhum dos lados tem o dominante R. Nesse caso, o DNA não tem outra alternativa, a não ser “aflorar” o único gene disponível, no caso, “r”, tornando a pessoa Rh-.

Então, a mãe que é Rh+ já terá o gene dominante R, portanto, mesmo que o pai seja Rh- (rr), o gene dominante dela será passado para o bebê e ele será Rh+ e não terá problema nenhum.

Sou Rh- e pretendo passar por mais gestações. Como evitar problemas no futuro?

Assim que começa o pré natal, o exame de tipagem sanguínea é solicitado. Caso seja confirmado que a mãe é Rh-, o exame é solicitado também ao companheiro (no SUS existe o pré natal masculino e alguns consultórios particulares também já oferecem o serviço). Caso não seja possível a realização do exame pelo homem, em torno de 28 semanas a mãe toma a vacina Anti-D, que inibe a ação do antígeno e a produção dos anticorpos que atacam o sangue de Rh+. Numa gestação em sequência, as chances de proteção da mãe e do bebê serão maiores.

Fonte: https://coloursofhopefoundation.files.wordpress.com/2013/08/rhogam.jpeg

E o parto? Pode ocorrer de forma natural?

Sem problema nenhum! O parto pode ser o mais natural possível.

Não é o fator sanguíneo que determina o tipo de parto. Aliás, existem pouquíssimas indicações absolutas de cesáreas e Podemos nos aprofundar em cada uma em outros posts 😉

Não basta querer! Informação é preciso (e precioso)

Como vimos aqui, o casal participou de um círculo de informação onde pôde tirar as dúvidas. E olha, o casal recebeu orientação de um agente de saúde de UBS (a agente me conhece de palestras voluntárias que eu dou na UBS do bairro).

Buscar informações embasadas em evidências e estudos científicos publicados – e estas estão facilmente disponíveis em encontros, círculos e rodas de gestantes promovidas por doulas, obstetrizes e enfermeiras obstetras em várias cidades do país – pode garantir que se tenha uma boa experiência com o parto. As vezes mais intensa, as vezes mais tranquila, mas que pode sim, ser uma boa experiência 😀

Fonte: Arquivo pessoal de Arlene Ferreira – Círculo Feliz Parto em Jacareí

 

Referências

https://www.maemequer.pt/estou-gravida/cuidados-pre-natais/consultas-e-exames/administracao-de-imunoglobulina-anti-d-rh/

 

http://www.cochrane.org/pt/CD000020/administracao-de-soro-anti-d-na-gravidez-para-prevenir-isoimunizacao-rh

 

http://cochranelibrary-wiley.com/doi/10.1002/14651858.CD000020.pub3/abstract

 

https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/biologia/o-que-e-fator-rh.htm

 

http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/indicacoes-reais-e-ficticias-de.html

 

https://www.dropbox.com/s/p9xv0m8kbg7tsvn/cesariana_baseada_evidencias_parte_I.pdf

https://www.dropbox.com/s/3arvh5klobo63jz/cesariana_baseada_em_evidencias_parte_II.pdf

 

http://docplayer.com.br/52857158-Revisao-biologia-leis-mendelianas-genetica.html

Doulas recomendam:

Quando nasce uma doula (minha mãe e eu já gravida - arquivo pessoal) Eu sou a Selma, tenho 24 anos, sou mãe da Maria Eduarda (Madu) de quatro Anos e sou a filha caçula d...
Desmistificando o Parto Num mundo em que falar sobre sexo ainda deixa algumas pessoas ruborizadas, onde as telenovelas e filmes ou romantizam o nascimento ou reproduzem violê...
Meu diário “semanal” de gestação ̵... Lá vai eu juntar mais duas semanas num post só!! Porque, gente, de verdade... posso parecer uma pessoa super má, quando eu não posto sobre os sonho...
O que é uma doula? O que ela faz por você? Se você está lendo esse texto talvez já saiba o que é uma doula, ou talvez ainda queira saber do que se trata, independente do motivo que te trouxe at...
Compartilhe:

Uma resposta para “Meu sangue é Rh negativo! E agora? Posso ter parto normal?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *