Meu sangue é Rh negativo! E agora? Posso ter parto normal?

Compartilhe:

No último encontro de gestantes que fiz na minha cidade, uma moça e seu companheiro compareceram com uma dúvida muito específica: Ela tem o fator Rh sanguíneo negativo e o companheiro, positivo. Ela poderia ter um parto normal?

A resposta é: SSIIIIMMM!!! COM CERTEZA!! Nenhum impedimento ao parto normal!

Você também tem essa incompatibilidade? Acompanhe esse texto comigo!

Primeiro: o que é esse tal de fator Rh? Pra que serve?

Descoberto em 1940, a experiência era o seguinte: os cientistas colocavam sangue de um macaco, Rhesus, em coelhos, e o sangue dos coelhos, aglutinava (cruel né?).

Entenderam que no sangue dos coelhos existia um antígeno (substância que produz anticorpos) contra a hemácia do macaco. Esse antígeno foi chamado de Anti Rh.

Depois, eles pegaram o soro dos coelhos e misturaram à amostras de sangue humano. Destas amostras todas, 85% aglutinaram e 15% não. Os que aglutinaram então, possuíam o antígeno Anti Rh (Rh+) e os que não aglutinaram então, não o possuíam (Rh-).

Fonte: http://cienciahiperativa.blogspot.com.br/2012/06/o-sangue-8-ano.html

Então, esse Anti Rh serve para, de uma certa forma, proteger o sangue de invasão de fatores sanguíneos diferentes.

Se uma mãe Rh+ gerar um bebê Rh+, tudo está igual, então, ok!

Se uma mãe Rh- gerar um bebê Rh-, tudo está igual também e fica ok!

Porém, se uma mãe Rh- gerar um bebê Rh+, o corpo da mãe começará a produzir anticorpos contra o fator Rh+ do bebê. Porém, por ser um processo lento, certamente o organismo materno não terá tempo de atacar o organismo fetal nessa gestação. Mas isso pode ser um problema gravíssimo a partir da segunda, pois a quantidade de anticorpos Anti Rh será suficiente para atacar o feto logo no início da gestação, resultando em anemia ou icterícia gravíssima ou mesmo em óbito fetal.

Créditos: Arlene Ferreira

Eu sou mãe Rh+… posso gerar um bebê Rh- e isso gerar problemas?

O contrário é verdade, mas esse caso, não! E vamos entender o porquê.

Para isso, precisamos entender uma coisinha que tem nas nossas células, o chamado CROMOSSOMO. O cromossomo é formada por uma longa cadeia de DNA e nesse estão os GENES. Os genes são um tipo de instrução que diz como um tipo de célula vai se comportar (se vai ser célula muscular, cardíaca, se vai formar a boca, os olhos, que cor serão, etc).

Esses cromossomos andam em pares, sempre!!

Crédito: Arlene Ferreira
Fonte: https://www.sobiologia.com.br/figuras/Corpo/cromossomos.gif

As únicas células que não tem seus devidos pares de cromossomos são as células reprodutivas (espermatozoide e óvulo). Cada uma dessas células carrega um cromossomo  sem par para, quando se encontrar com a célula contrária, aí sim formar um par e, a partir daí, originar o embrião humano.

Crédito: Arlene Ferreira

Aqui, o que determina esse fator sanguíneo, é o Gene R ou r.

O R, grande, maiúsculo, forte, chamaremos de GENE DOMINANTE e determina o Rh+ (antígeno presente).

O r, minúsculo, pequeno, tímido, chamaremos de GENE RECESSIVO e determina o Rh- (antígeno ausente).

Podemos ter 4 combinações: RR, Rr, rR e rr (sempre teremos dois, pois um gene vem da mãe e outro vem do pai).

Crédito: Arlene Ferreira

Quando aparece o “R” grandão, forte, dominante, a pessoa será Rh+, independente de ser 1 ou os 2 genes dominante. Se tiver pelo menos 1, o R será dominante sobre o r, logo, Rh+.

O único caso em que a pessoa será Rh- será quando o pai e a mãe tiverem, ambos, o gene recessivo r (rr+rr = rr), onde nenhum dos lados tem o dominante R. Nesse caso, o DNA não tem outra alternativa, a não ser “aflorar” o único gene disponível, no caso, “r”, tornando a pessoa Rh-.

Então, a mãe que é Rh+ já terá o gene dominante R, portanto, mesmo que o pai seja Rh- (rr), o gene dominante dela será passado para o bebê e ele será Rh+ e não terá problema nenhum.

Sou Rh- e pretendo passar por mais gestações. Como evitar problemas no futuro?

Assim que começa o pré natal, o exame de tipagem sanguínea é solicitado. Caso seja confirmado que a mãe é Rh-, o exame é solicitado também ao companheiro (no SUS existe o pré natal masculino e alguns consultórios particulares também já oferecem o serviço). Caso não seja possível a realização do exame pelo homem, em torno de 28 semanas a mãe toma a vacina Anti-D, que inibe a ação do antígeno e a produção dos anticorpos que atacam o sangue de Rh+. Numa gestação em sequência, as chances de proteção da mãe e do bebê serão maiores.

Fonte: https://coloursofhopefoundation.files.wordpress.com/2013/08/rhogam.jpeg

E o parto? Pode ocorrer de forma natural?

Sem problema nenhum! O parto pode ser o mais natural possível.

Não é o fator sanguíneo que determina o tipo de parto. Aliás, existem pouquíssimas indicações absolutas de cesáreas e Podemos nos aprofundar em cada uma em outros posts 😉

Não basta querer! Informação é preciso (e precioso)

Como vimos aqui, o casal participou de um círculo de informação onde pôde tirar as dúvidas. E olha, o casal recebeu orientação de um agente de saúde de UBS (a agente me conhece de palestras voluntárias que eu dou na UBS do bairro).

Buscar informações embasadas em evidências e estudos científicos publicados – e estas estão facilmente disponíveis em encontros, círculos e rodas de gestantes promovidas por doulas, obstetrizes e enfermeiras obstetras em várias cidades do país – pode garantir que se tenha uma boa experiência com o parto. As vezes mais intensa, as vezes mais tranquila, mas que pode sim, ser uma boa experiência 😀

Fonte: Arquivo pessoal de Arlene Ferreira – Círculo Feliz Parto em Jacareí

 

Referências

https://www.maemequer.pt/estou-gravida/cuidados-pre-natais/consultas-e-exames/administracao-de-imunoglobulina-anti-d-rh/

 

http://www.cochrane.org/pt/CD000020/administracao-de-soro-anti-d-na-gravidez-para-prevenir-isoimunizacao-rh

 

http://cochranelibrary-wiley.com/doi/10.1002/14651858.CD000020.pub3/abstract

 

https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/biologia/o-que-e-fator-rh.htm

 

http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/indicacoes-reais-e-ficticias-de.html

 

https://www.dropbox.com/s/p9xv0m8kbg7tsvn/cesariana_baseada_evidencias_parte_I.pdf

https://www.dropbox.com/s/3arvh5klobo63jz/cesariana_baseada_em_evidencias_parte_II.pdf

 

http://docplayer.com.br/52857158-Revisao-biologia-leis-mendelianas-genetica.html

Doulas recomendam:

Grávida à deriva: a Cesárea e o Parto Normal Sabe quando você quer um parto normal, mas parece que o mundo ao redor te acha doida? Passei por isso.  Quando me apresentei aqui no blog em 2018, fal...
5 dicas para preparar sua rede de apoio O processo da gestação, parto e dos cuidados com o bebê levam as mulheres a entender de forma plena quando Tom Jobim disse que "fundamental é mesmo o ...
Placenta, meu bem querer! “É feita de dois organismos diferentes e incompatíveis, mas funciona como um único órgão, em completa harmonia.” A PLACENTA! Fonte: wikkimedia.org ...
Meu “Diário Semanal” de gestação ̵... Oi gente, tudo bem com vocês?? Vamos à mais uma parte do meu diário. Essa semana, agora vou mesmo, falar sobre as contrações de Braxton Hicks, como...
Compartilhe:

Uma resposta para “Meu sangue é Rh negativo! E agora? Posso ter parto normal?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *