Nasce uma doula

Compartilhe:

Eu sou uma mãe e apaixonada pela maternidade tenho dois filhos, hoje já são adolescentes.
O caminho que me levou a me formar como doula foi longo e demorei para entender que isso era o que me completaria como pessoa.

O primeiro nascimento

Tudo começou com o nascimento da filha mais velha, Amanda, em 2002, ela nasceu de uma cesárea agendada pelo médico. Quando completei 37 semanas de gravidez, o medico agendou a cesárea para a semana seguinte quando estaria com 38 semanas, a justificativa para não esperarmos é que eu não tinha nada de dilatação, e que demoraria a entrar em trabalho de parto ou nem entraria e como a pressão estava elevada, isso poderia prejudicá-la. Ao sair dessa consulta eu estava arrasada, chorando muito, como mãe de primeira viagem que confiava e acreditava no médico, aceitei apesar de inconformada, pois sempre acreditei no parto normal como opção, vinha de uma família onde meus irmãos gêmeos nasceram dum parto normal e primos mais novos também. Na madrugada do dia 09 de maio, dia que estava agendada a cesárea minha bolsa estourou. Foi um alivio saber que realmente ela estava pronta para nascer, acalmou meu coração. Eram umas 3 da manhã e fomos para o hospital, e eu continuava sem dilatar e ainda não estava trabalho de parto, o médico chegou no horário marcado e fez a cesárea. Depois do nascimento vieram mais algumas desculpas para ter realizado a cirurgia, a posição dela era diferente, era um bebê grande, nasceu com 3745 kg e 51 cm. Eu que até então não tinha conhecimento que eram apenas desculpas e ele era um médico que só realizava cesáreas. Outro fato que me deixou muito triste é que eu fui a ultima pessoa a conhecê-la já que ela foi para o quarto antes de mim, todos pegaram no colo e só depois eu cheguei.

Primeira mamada no dia seguinte ao nascimento

O segundo nascimento

Em 2003 eu estava grávida novamente, a Amanda estava com 1 ano e três meses. E eu novamente queria um parto normal. E comecei uma busca que não foi fácil, já que para a maioria dos médicos uma vez cesárea, sempre cesárea. Nessa busca eu iniciei um caminho de estudos, de informações, através de sites, livros e grupos, que me levaram ao tão sonhado parto normal. Troquei de médico as 37 semanas, meu instinto e insegurança me dizem que a outra médica me encaminharia para uma nova cesárea. Thiago nasceu as 41 sem e 3 dias num parto normal hospitalar, veio para o meu colo logo após o nascimento, mamou na primeira hora e ficou no colo comigo até irmos juntos para o quarto.

Mamando na primeira hora

O nascimento de uma doula

Após o nascimento do Thiago eu não consegui me desligar desse universo e veio a vontade de auxiliar outras mulheres a não serem enganadas e terem o parto mais respeitoso possível dentre as suas condições físicas, emocionais e econômicas.
Continuei por anos em grupos virtuais conversando, e informando as gestantes e cada vez mais apaixonada por todo esse mundo da gestação, parto, pós parto.
Em 2010 cursei psicologia por dois anos o que me deu uma grande base sobre o período da gestação e bebes.
Após informar e ajudar uma prima a ter seu parto normal, eu enfim fui atrás de me formar doula, em 2014, e colocar em pratica e mais embasada em conhecimento. Hoje doula parto, pós-parto, consultora de amamentação, consultora em elaboração de plano de parto.

Acompanhando um parto domiciliar

Referências:
Parto Normal ou Cesárea, Simone Grilo Diniz e Ana Cristina Duarte
Recomendação da OMShttps://www.unasus.gov.br/noticia/voce-conhece-recomendacoes-da-oms-para-o-parto-normal
Nascer no Brasil: Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento – Fiocruz. Sumário Executivo Temático da Pesquisa: http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/arquivos/anexos/nascerweb.pdf

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.