Doula: muito além de segurar a mão

Compartilhe:

Sobre Mim

Olá! Eu sou a Dorise Simão, moro em Poços de Caldas, Minas Gerais, formei-me em enfermagem no ano de 2006. Desde a faculdade tinha uma paixão enorme pela ginecologia e obstetrícia, no entanto, ela ficou adormecida ao longo de 10 anos. A vida me levou para os caminhos da saúde pública e então, fiz duas especializações nessa área, uma em saúde pública e outra em saúde da família. Trabalhando ao longo desses anos como enfermeira da Estratégia Saúde da Família, realizei inúmeros atendimentos de pré-natal, puerpério, aleitamento materno e atenção à saúde da mulher. Iniciei as atividades como docente do curso superior de Enfermagem e então, iniciei o mestrado e finalizei-o no ano de 2016 pela Universidade Federal de São Carlos. Posteriormente, ainda buscando aprimoramento na área acadêmica, realizei a pós-graduação em Preceptoria no SUS pelo Hospital Sírio Libanês.

Uma paixão

No início de 2016, buscando retomar aquela paixão adormecida da época da faculdade, me aventurei a fazer um curso de doula, no intuito de aprimorar meus conhecimentos, entender um pouco desse mundo, melhorar a assistência às mulheres na Estratégia de Saúde da Família e por fim, conhecer esse universo para quando estivesse grávida, ou seja, buscando conhecimento  para dar suporte às minhas escolhas. JAMAIS imaginaria que minha vida fosse virar de cabeça para baixo após esse curso. Foi paixão à primeira vista! Conheci pessoas incríveis, me reencontrei como mulher, me questionei, questionei minha vida pessoal e abri as portas para a mudança da minha vida profissional!

Três meses após, aprofundei o conhecimento sobre pós-parto em um curso de doula pós-parto e, em seguida,  realizei um curso de consultoria em aleitamento materno.

Integrei-me ao Círculo Materno – Grupo de apoio ao parto, amamentação e maternidade ativa na cidade de Poços de Caldas.

Após alguns atendimentos como doula, percebi a dificuldade em organizar meu tempo, visto que ainda trabalhava 8 horas/dia como enfermeira.

Com dor no coração, reduzi os atendimentos e passei-me a dedicar às consultorias de aleitamento materno. Participei de congressos, cursos e aprimoro diariamente a minha prática com muito estudo.

Em 2018, frustrada com meu trabalho na saúde pública ao longo desses anos, aventurei-me ao empreendedorismo, inaugurando o Espaço Primeiros Laços, um espaço integrado para atendimento de mães, bebês e famílias, oferecendo suporte às diferentes necessidades que a maternidade trás. Idealizamos um local onde houvesse empatia e respeito pelas escolhas das mulheres, gerando protagonismo feminino e segurança para que cada uma delas pudesse viver os desafios da maternidade com leveza.

Com a inauguração do espaço, surgiu a vontade e a necessidade de aprimorar mais na área técnica relacionada ao parto, e, então iniciei o curso de pós-graduação em enfermagem obstétrica no Hospital Israelita Albert Einstein com término  previsto em fevereiro de 2018.

O que uma doula faz?

Provavelmente você já ouviu falar sobre a doula. o sentido da palavra doula vem do grego: a mulher que serve. Uma mulher que está presente na vida de outra durante a gestação, o parto, pós-parto e puerpério.  Algumas pessoas ainda confundem a doula com a antiga parteira tradicional, mas não, a doula não “faz” partos.  A doula é uma profissional treinada para desempenhar papéis referentes ao apoio informacional, emocional e físico, como fornecer e/ou indicar material para estudo, realizar escutas, acolher a mulher e sua dor física do trabalho de parto, utilizar recursos e métodos não-farmacológicos, priorizando o conforto e auxiliando a parturiente no processo de tornar-se mãe. A doula apoia emocionalmente a mulher aumentando a confiança em si própria e em seu corpo, auxilia no pós parto imediato e nos cuidados com a amamentação e com o próprio bebê. Durante toda a sua atuação, a doula oferece à mulher o seu carinho e se dedica a guiá-la pelo desconhecido caminho do gestar-parir-amamentar-maternar.  Ter uma doula pode fazer toda a diferença pois, dentro dos preceitos da humanização do nascimento, ela é parte essencial da assistência, ajudando a mulher a ser a protagonista do parto. A atualização científica é essencial, visto que em muitos casos a doula é uma ponte entre a família assistida e a equipe técnica e por isso seu papel também é o de embasar-se nas mais atualizadas evidências para transmitir informações de qualidade.

Vantagens da presença da doula

O estudo de Klaus e Kennel  (1993)  apontaram os resultados globais da presença da doula no trabalho de parto e parto:

  • Redução de 50% nos índices de cesariana
  • Redução de 25% na duração do trabalho de parto
  • Redução de 60% nos pedidos de analgesia peridural
  • Redução de 30% no uso de analgesia peridural
  • Redução de 40% no uso de ocitocina
  • Redução de 40% no uso de fórceps

Outros estudos também mostram claramente que a presença da doula no pré-parto e parto trazem benefícios de ordem emocional e psicológica para mãe e bebê, incluindo resultados positivos nas 4ª a 8ª semanas após o parto:

  •  Aumento no sucesso da amamentação
  •  Interação satisfatória entre mãe e bebê
  • Satisfação com a experiência do parto
  • Redução da incidência de depressão pós-parto
  • Diminuição nos estados de ansiedade e baixa auto-estima

“O apoio da doula, além de melhorar a vivência experimentada pelas mulheres que dão à luz, parecem ter uma influência direta e positiva sobre a saúde das mulheres e dos recém-nascidos. Devem, portanto, ser estimuladas em todas as situações possíveis.” (Ministério da Saúde)

REFERÊNCIAS

Klaus M, Kennel J. “Mothering the mother: how a doula can help you to have a shorter, easier and healthier birth.” Hardcover, 1993.

Sosa R, Kennel JH, Klaus MH, Roberteson S, Urrutia J. “The effects of a supportive companion on perinatal problems, length of labor, and mother-infant interaction.” N Engl J Med 1980 Sept.; 303:597-600.

Garcia C. “The eigth Doula study: social support during birth in Mexico.” Conference proceedings of Doula of North America, Austin, TX, June 20, 1997, 89-93.

Hofmayer J, et al. “Companionship to modify the clinical birth envoirment: effects on progress and perceptions of labor and breast-feeding.” Br J Obstet, 98:756-764, 1991.

Landry SH, et al. “Effects of Doula support during labor on mother-infant interaction at two months.” Pediatric Res, 43:13A, 1998.

Wolman WL, et al. “Postpartum depression and companionship in the clinical birth envoirment: a randomized, controlled study.” Am J Obstet Gynecol, 168: 1388-1393, 1993.

Brasil. Ministério da Saúde. Parto, Aborto e Puerpério – Assistência Humanizada à Mulher, 2001.

 

 

 

.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.