Primeiros laços: o contato pele a pele precoce

Compartilhe:

Após 9 longos meses de espera, felicidade, expectativas, ansiedade e receios, chegou o momento de ver o seu bebé. O nascimento é o momento em que mãe e bebé se encontram pela primeira vez face a face, num encontro emotivo, intimista e profundo.

O nascimento marca o início de uma ligação profunda e singular que iremos cuidar e manter por toda a vida. É o momento em que vemos as suas mãozinhas, o cabelo, em que o olhamos nos olhos para o acolher amorosamente e dar as boas vindas. Mas este mútuo reconhecimento exige tempo e disponibilidade.

É comum que os bebês sejam separados das suas mães logo após o parto. Normalmente, na maioria dos hospitais, os recém-nascidos são entregues para as mães vestidos ou envoltos em panos, ou são colocados em berços abertos ou em berços aquecidos.

O que é contato pele a pele (CPP)?

Giphy

Trata-se de uma maneira muito simples de se relacionar com o bebê no pós parto imediato.  Para realizar a técnica, basta colocar sob a pele. O recém nascido pode estar com uma fralda ou sem quaisquer vestimenta e ser colocado diretamente em sua pele (região do abdômen ou tórax).

Tanto a mãe ou o pai, parceiros ou cuidadores podem realizar o contato pele a pele. Um estudo realizado pela Universidade de Notre Dame mostrou que os pais também podem ter vantagens com a prática.

Qual a importância?

Pexel

“Entre os mamíferos, é considerada determinante a aproximação entre mãe e filho para a promoção do desenvolvimento do
vínculo entre ambos. Tal desenvolvimento é dinâmico e recíproco
e envolve a mãe, como provedora dos cuidados e o filho como
receptor, havendo necessidade do comprometimento de ambos
para a construção deste vínculo”

Este contato inicial tem inúmeros benefícios fisiológicos e psicossociais para a mãe e para o bebê. Assim que a mãe toca, cheira e explora o corpo do recém-nascido, a sensação de bem estar e alívio induz a produção de ocitocina, diminuindo a ansiedade e aumentando a temperatura do peito.

Ter contato precoce auxilia os bebês a se manterem aquecidos e calmos e também poderia ajudar com outros aspectos da transição do bebê para a vida fora do ventre.

Diversos estudos já demonstraram que essa proximidade promove uma série de benefícios tanto para a mãe quanto para o recém-nascido, principalmente aqueles que nasceram prematuros ou com muito baixo peso. Ao estimular, ainda na maternidade, o vínculo entre mãe e filho, a técnica garante um desenvolvimento saudável dessas crianças.

Quais são seus benefícios?

Créditos: Manu Fernandes

A sucção do bebê faz a mãe produzir e liberar a ocitocina, um hormônio que ajuda na contração do útero, promovendo à mãe uma perda menor de sangue após o parto e, consequentemente, tenha menor risco de desenvolver anemia. Se o bebê sugar antes da placenta sair, a ocitocina liberada pela amamentação pode acelerar a expulsão da placenta. A amamentação logo após o parto é importante também para o vínculo afetivo entre a mãe e o bebê, além de ajudar na “descida do leite”.

  • Promoção da vinculação e do apego binômio mãe-bebê;
  • Alívio da dor do bebê;
  • O calor produzido pelo corpo da mãe protege, naturalmente, o recém-nascido do frio;
  • Estabilização da frequência respiratória e nível de glicemia do bebê;
  • Como o recém-nascido reconhece o odor materno, o contacto pele a pele acalma-o, chorando menos;
  • Possibilita o reconhecimento e a exploração pelo bebê do corpo materno;
  • Promoção da sucção eficiente e eficaz, essencial para o sucesso da amamentação;
  • Colonização do recém-nascido com a flora bacteriana da pele materna antes de entrar em contacto com bactérias hospitalares, ajudando a prevenir infecções;
  • A ligação precoce mãe-bebê permite uma melhor compreensão das necessidades do bebé, aumentando a confiança das mães para cuidar dos seus bebês e promovendo uma melhor adaptação do recém-nascido à vida extrauterina.

E na cesariana?

Pixabay

Se mãe e bebê estiverem em boas condições, o contato pele a pele e a amamentação logo após o nascimento poderão ser realizados, independente da via de nascimento.

A questão também é que a cesárea pode fazer com que a descida do leite materno demore um pouco mais, em caso de cirurgia eletiva. Isto porque, a ocitocina liberada durante o parto normal contribui para uma descida mais acelerada do leite materno, o que não ocorre quando a mulher é submetida a uma cesárea, e este hormônio não é liberado fazendo com que a descida do leite pode seja mais demorada e lenta.

Por quanto tempo o bebê precisa ficar em contato pele a pele?

Pixabay

A recomendação atual é que o bebê fique em contato pele a pele com sua mãe por, pelo menos, uma hora. A primeira hora de vida é chamada “hora de ouro”, pois a mãe e o bebê costumam ficar acordados, alertas, sendo uma excelente oportunidade para interagirem. Após a primeira hora do parto, mãe e bebê podem ficar sonolentos e dormirem.

A importância da equipe no estabelecimento do contato
pele a pele entre recém-nascido e sua mãe.

A equipe de profissionais que assiste o nascimento deve
estar preparada para orientar a parturiente sobre os procedimentos e as vantagens do contato pele a pele minutos após o nascimento, com o RN seco e sem ter sido limpo ou banhado, antes mesmo do clampeamento/corte do cordão umbilical, como também oferecer ajuda à mãe para manter o binômio mãe-filho unido pelo tempo necessário entre eles.

O suporte profissional prestado no estabelecimento do contato pele-a-pele precoce mãe-filho, a promoção de ações de cuidado no ambiente envolvido e interação com o binômio visando à realização mínima de intervenções e auxílio no reconhecimento mãe-filho, podem ser o caminho para alcançar aquilo que se recomenda na atualidade e que possui evidente importância materna.

Desta forma, o contato pele a pele com a mãe é um procedimento simples, que traz benefícios à recuperação da mãe, ao desenvolvimento psíquico, motor e emocional do recém-nascido e proporciona a construção do vínculo afetivo. Também iniciar a amamentação dentro da primeira hora após o nascimento pode estar associada à redução dos índices de mortalidade infantil.

Gostou? Te convido a seguir minhas redes: @rafaellaiv e para maiores informações sobre meus serviços, deixo disponível esse formulário, é só clicar!

REFERÊNCIAS

Contato pele a pele entre pai e bebê traz benefícios para os homens: Entenda – https://www.minhavida.com.br/familia/noticias/33873-contato-pele-a-pele-entre-pai-e-bebe-traz-beneficios-para-os-homens-entenda

Contato pele a pele é estudado para diminuir a dor em recém-nascidos – https://prae.ufg.br/n/87124-contato-pele-a-pele-e-estudado-para-diminuir-a-dor-em-recem-nascidos

Contato pele a pele precoce entre mães e recém-nascidos saudáveis – https://www.cochrane.org/pt/CD003519/contato-pele-pele-precoce-entre-maes-e-recem-nascidos-saudaveis

6 benefícios do contato pele a pele para a mãe e o bebê – https://bebe.abril.com.br/parto-e-pos-parto/6-beneficios-do-contato-pele-a-pele-para-a-mae-e-o-bebe/

Contato pele a pele ao nascer: um desafio para a promoção do
aleitamento materno em maternidade pública no Nordeste
brasileiro com o título de Hospital Amigo da Criança – http://www.scielo.br/pdf/ress/v25n2/2237-9622-ress-25-02-00281.pdf

BENEFITS OF SKIN CONTACT SKIN FOR NEWBORN – http://www.coren-ce.org.br/wp-content/uploads/2019/03/BENEF%C3%8DCIOS-DO-CONTATO-PELE-A-PELE-PARA-O-REC%C3%89M-NASCIDO.pdf

Amamentação na primeira hora de vida – https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-parafamilias/nutricao/amamentacao-na-primeira-hora-de-vida/

Saúde atualiza diretrizes para atenção humanizada a recém-nascido http://www.brasil.gov.br/noticias/saude/2014/05/saude-atualiza-diretrizes-para-atencao-humanizada-a-recem-nascido

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.