O Vaginismo na Gestação

Compartilhe:
Foto Ellen Brito

O vaginismo é uma disfunção sexual e acomete de 1 a 6% da população sexualmente ativa feminina.

Definição

O vaginismo pode ser definido como um espasmo da musculatura do terço externo da vagina que impede a penetração vaginal, assim como a realização de  um exame ginecológico, ou mesmo colocar um absorvente interno.
Pode estar associado a algum trauma sexual, educação sexual rígida, relações sexuais dolorosas, abuso sexual ou simesmente não ter nenhuma associação.
Não se sabe se a mulher realmente possui um espasmo crônico da vagina e por isso não consegue a penetração ou se ela contrai a vagina e o períneo devido ao medo da penetração, somente na hora em que essa ameaça aparece.

Grávida e agora ?

Se você está lendo esse artigo pode estar se perguntando como uma mulher com vaginismo pode engravidar . A verdade é que embora essa mulher não consiga ter penetração , isso não a torna assexuada, ou seja ela pode ter diferentes formas de relação sexual que permitem ela engravidar ou mesmo uma relação com penetração parcial.

Se você tem vaginismo se descobriu grávida, saiba que você não esta sozinha, e que é possível ter uma gravidez tranquila . Seu principal medo nessa altura deve ser os inúmeros exames de toque ao longo da gestação e principalmente durante o trabalho de parto.
A verdade é que muitos profissionais desconhecem o vaginismo, e existe ainda muito tabo envolvido. Estudos mostram que uma grande parte das mulheres demoram para buscar tratamento, sentem vergonha de falar sobre o assunto e acabam indo ao ginecologista somente quando engravidam.

Então para você que está grávida ou que planeja ser mãe e tem vaginismo a primeira dica é procurar um obstetra que entenda do assunto. Ele saberá conduzir a gestação e o parto sem exames de toques desnecessários e respeitando o corpo da mulher. O exame de toque forçado pode piorar o trauma dessa mulher portanto deve ser evitado.

O segundo passo que você precisa saber é que o vaginismo tem tratamento. O tratamento deve
contemplar tanto a parte física, como a psicológica e a sexual.

Se você não buscou nenhum tratamento antes, aproveite esse momento da gestação para se conectar com seu corpo, esse corpo que agora abriga um novo ser, uma nova história.

Tratamentos

A psicoterapia cognitivo comportamental vai identificar os gatilhos que levam a dor e a contração, os medos as angústias relacionadas ao sexo.

A fisioterapia tem vários recursos que vão ajudar a relaxar a musculatura do períneo , e ajudar a melhorar percepção corporal dessa mulher:
• Técnicas de respiração
• Mobilização e alongamento da pelve
• Biofeedback
• Tens
• Massageadores perineais (peridell)
• Dilatadores

Conjunto de dilatadores vaginais

O parto

Muitos mulheres acabam optando pela cesárea, sendo o motivo principal o medo do parto e o medo das intervenções durante esse processo. Porém o parto vaginal é sim possível e deve ser incentivado e estimulado.

Nenhuma contração vaginal é capaz de impedir a passagem do bebe. A descida do bebe pelo canal vaginal deve ser lenta, o corpo está sobre uma orquestra incrível de hormônios que ajudam o alongamento progressivo do assoalho pélvico conforme o bebê passa pelo canal vaginal.

Todas as técnicas abaixo devem ser encorajadas para todas as gestantes , especialmente para as que tem  vaginismo , por terem um assoalho mais  hipertônico

  • Buscar posições para parir alternativas á posição de litotomia, pode ser de lado ou de quatro apoios.
  • Evitar os puxos dirigidos e a manobra de Valsava.
  • Técnicas de respiração, mindfulness, hipnose.
  • Realizar o mínimo de toques para tensionar o assoalho pélvico no momento do expulsivo.

Mulheres  com vaginismo devem receber orientações e  informações adequadas de todos os profissionais que lidam com a gestação e parto. Devem ser encorajadas á buscar terapia com psicólogo, sexólogo e fisioterapia pélvica antes e durante a gestação . Assim como qualquer gestantes nesse período, elas merecem  uma gestação tranquila e um parto humanizado E não  não devem ser rotuladas  vagínica !

Se você tem vaginismo e já passou por uma, gestação ou esta grávida  deixe seu relato aqui nos comentários !

Referências Bibliográficas

Comparing the effectiveness of functional electrical stimulation via sexual cognitive/behavioral therapy of pelvic floor muscles versus local injection of botulinum toxin on the sexual functioning of patients with primary vaginismus: a randomized clinical trial

https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs00192-018-3836-7

Outcome of Medical and Psychosexual Interventions for Vaginismus: A Systematic Review and Meta-Analysis.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/m/pubmed/30446469/?i=5&from=vaginismus

Vaginismus and pregnancy: epidemiological profile and management difficulties.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/m/pubmed/30881157/?i=2&from=

Vaginismus as an independent risk 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/m/pubmed/19701866/

Managing Pregnancy and Delivery in Women with Sexual Pain Disordersjsm_2811 1726..1735

://enbaum.com/sites/default/files/j.1743-6109.2012.02811.x.pdf

Doulas recomendam:

Cientista que virou Doula Olá! Me chamo Ariane e tenho 30 anos. Sou casada há 7 anos com meu primeiro namorado e estamos juntos há 15 anos. Moramos em Canoas, na região metropo...
O bebê comeu mecônio, e agora? ( foto tirada da internet) Levante a mão quem já ouviu alguma historia trágica da prima da vizinha da amiga que teve um bebê que comeu mecônio dur...
Gravidez após cirurgia bariátrica é possível? Já não é de hoje que a obesidade no Brasil demonstra estar subindo, especialmente na população de menor renda.  "Notadamente observa-se a inversão dos...
Parto na Água – 11 coisas que você precisa s... Quando você vê uma foto ou assiste um vídeo de parto na água, acha lindo, emocionante e um tanto chique, não é? Igual a diva Gisele Bündchen, em seus ...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *