O luto da mãe e perda gestacional

Compartilhe:

 

Quando a alegria vira tristeza – aborto espontâneo

Pouco se fala sobre a realidade das perdas durante a gestação. Talvez você mesma já tenha passado por alguma e não encontre acolhimento. A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica como aborto espontâneo a perda do feto por causas naturais antes da 22ª semana de gestação. Cerca de 50% das interrupções naturais da gravidez estão relacionadas a anomalias cromossômicas que o próprio organismo materno elimina. Essa informação, obviamente, não diminui a dor da perda.

https://pxhere.com/es/photo/36056

Aborto tardio

As perdas involuntárias ocorridas entre a 13ª e a 22ª semana são chamadas de aborto tardio. Cerca de dois terços acontecem por problemas com a mulher que gesta e um terço tem causa desconhecida. Algumas causas podem ser trombofilia, infecções ou problemas no colo do útero. Acontece perto de nós, pode acontecer conosco. Sentir-se sozinha e incompreendida nesse momento é muito comum. Se aconteceu com você ou com alguma conhecida, não se envergonhe em pedir ajuda especializada.

https://pxhere.com/es/photo/605670

Parto prematuro de natimorto

Uma perda gestacional entre a 22ª semana até a 36ª semana é chamada pelos médicos de parto prematuro de um natimorto. Da 36ª semana em diante, se o bebê morre no útero materno, diz-se que houve uma perda gestacional tardia.  Para a mulher que perdeu é o pior evento de sua vida, conhecido como pior dor do mundo.

https://pxhere.com/es/photo/871685

Morre um bebê, morre uma mãe?

Uma mãe que perde um filho não recebe um novo título. Ela continua sendo mãe: mãe de filho morto. Ainda que não seja possível esquecer, é possível seguir adiante. Se você é essa mãe, se você conhece mães passando por isso, busque contato com pessoas que podem compreender. Profissionais como  doulas e psicólog@s podem auxiliar no processo de acolhimento e compreensão do luto. Tanto da mulher, quanto dos familiares. Não esconda a dor, ela deve ser acolhida e respeitada

 

Referências:

Onde buscar ajuda: https://pt-br.facebook.com/ong.amadahelena/posts/cartilha-de-orienta%C3%A7%C3%A3o-ao-luto-materno-1%C2%AA-edi%C3%A7%C3%A3o-2016para-impress%C3%A3o-clique-no-li/721013554722315/

http://vamosfalarsobreoluto.com.br/quem-pode-ajudar/

https://www.emalivros.com.br/2018-08-15-luto-perinatal-saiba-mais/

Trombofilia e perda gestacional: http://www.scielo.edu.uy/scielo.php?pid=S1688-03902004000200004&script=sci_arttext&tlng=en

A maior dor do mundo: o luto materno em uma perspectiva fenomenológica: https://www.redalyc.org/html/2871/287132426010/

Prevalence of Chromosomal Abnormalities in Spontaneous Abortions or Fetal Deathshttps://actamedicaportuguesa.com/revista/index.php/amp/article/view/3952

Doulas recomendam:

E com vocês sua majestade: A Placenta Pouco se fala dela durante a gestação, a não ser em casos que observa-se qualquer falha no funcionamento ou sangramentos. Pobre placenta! Você pode...
As 10 principais justificativas para cesárea (e po... A Organização Mundial de Saúde afirma que a porcentagem de nascimentos por cesariana não deve exceder 15%. No Brasil, 55,5% de todas as mães dão à luz...
Amamentação: Meu bebê não ganhou peso! Se sempre dizem que leite fraco não existe, porque alguns bebês que são amamentados não ganham peso? A composição do leite materno O Leite Materno é...
Quem é ela?                           (Foto: Samara Barth, durante o Revelando Doulas XIV)   Ela é Samantha, aquariana com ascendente em câncer. Por a...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *