Parto ativo ou descanso?

Compartilhe:

O trabalho de parto começou mesmo

As contrações ritmaram em casa e se mantêm firmes de 3 em 3 minutos. Você aguardou um pouco, acionou sua equipe de transporte e seguiu para o hospital. Internação feita, você é avaliada e ouve que está em trabalho de parto efetivo. Uma(s)  dúvida(s)  paira(m): se eu descansar o trabalho de parto vai parar de evoluir? Devo seguir me movimentando o tempo inteiro?

E agora?

O que fazer agora que estou em trabalho de parto?

Nitidamente as contrações deram uma “esfriada”, mas você já tinha lido a respeito e sabe que tem relação com o fato de ter saído de casa e se deslocado para um ambiente que não é familiar (tudo bem, você já tinha visitado a maternidade antes). Tudo certo, segue o baile. Segue o baile como? Dançando ou parada na beira do balcão? 

Devo dançar durante o trabalho de parto?

Você leu várias vezes o capítulo daquele livro famoso e sabe que, durante as diferentes fases do trabalho de parto, a pelve não deve ter restrições para mover-se e assim @ bebê progredir ao longo do canal de parto, atravessando o estreito inferior, incluindo o assoalho pélvico e nascer. Como favorecer a liberdade de abertura da pelve? Dançando como a nova loira do tchan? Aguentando um cócoras ad mortem? 

Como saber agir e não agir durante o parto?

Em algumas maternidades, há equipes que acreditam que devem direcionar a mulher para determinadas posturas ou movimentos, em alguns casos orientando a mulher a caminhar ou fazer agachamento por horas. É certo que a deambulação (caminhar sem destino) favorece o andamento do trabalho de parto, mas mais certo ainda é que a parturiente que possui liberdade para prestar atenção ao próprio corpo saberá que posturas adotar, incluindo aquelas de descanso.

É possível ditar meu ritmo no trabalho de parto?

Num ambiente hospitalar, para ter o menor risco de intromissões acerca do que fazer, comer ou falar durante seu parto, cerque-se de pessoas capacitadas e de sua confiança. Uma equipe de assistência respeitosa, acompanhante dispost@ a se fazer presente de corpo e alma e uma doula que vai respeitar seus desejos (ainda que sugira algumas ações para benefício do bom andamento do parto) são essenciais para sua tranquilidade. Com uma doula @ acompanhante saberá como estar presente sem ser inconveniente, saberá ser o braço forte, o ombro de descanso, a mão amiga. Tenha um parto para chamar de seu, tenha uma doula para chamar de sua.

Referências:

Movimentação/deambulação no trabalho de parto: uma revisão. http://eduem.uem.br/ojs/index.php/ActaSciHealthSci/article/viewArticle/1580

Parto e nascimento: saberes e práticas humanizadas.  http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n2/a10v21n2

Doulas recomendam:

Relato de Parto da Débora, nascimento da Helena &#... Relato de parto normal Dia 04/11, pesando 3340kg medindo 48cm chegou minha pequena Helena. As 20:30 da sexta feira 03/11 com 37+2 sinto um líqui...
O meu resgate Olá!!! Sou a Fran, tenho 35 anos, minha primeira formação foi na área de engenharia, mas encontrei a minha realização pessoal como Doula, onde ofereço...
Além do parto: o que acontece depois que nasce Toda criança que chega no mundo abre uma grande porta. Várias coisas vão acontecer na vida dos pais, familiares e amigos a partir dessa chegada. A nos...
Do “meu” Interior Nasceu uma Doula Bruna Simões Carvalho Teixeira A Ancestralidade do Parto Enquanto Geraldo plantava, “apartava” vaca e tirava leite, Léa pariu 12 filhos em seu l...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *