Os benefícios da convivência entre bebês e animais de estimação

Compartilhe:

Ter bebê é uma delícia! Muitas pessoas se preocupam quando estão grávidas no que vai ser feito com seu animalzinho depois que o bebê nascer…

Absolutamente nada

Sério. Bebês se acostumam fáceis com animais, principalmente os que já moram no ambiente. Desde muito pequenos, ainda dentro do ventre materno, eles reconhecem os sons ao seu redor: da voz da mãe, da voz do pai, e do que acontece a sua volta. Ele sabe que ali, naquela casa que logo será habitada por ele, também tem um gatinho ou um cachorro!

Na verdade, devemos manter os cuidados dos animais:

*Vacinação em dia;

*Banhos semanais (cachorros) e higiene (gato);

*Ração ou alimentação natural de qualidade;

*Se o cachorro for considerado “bravo”, é possível adestrar para que ele aceite o filhote de humano que está chegando.

Mas e a toxoplasmose?

Primeiro lugar: a culpa não é do gato. Verduras cruas e carnes malpassadas também podem ser fonte de toxoplasmose.

Mesmo assim, saiba que, para que alguém “pegue” toxoplasmose do gato, provavelmente foi falta de higiene, pois ela é transmitida através das fezes do gato (animal doente, contaminado e com fezes contaminadas).

Devemos sempre lavar bem as mãos e higienizar os alimentos antes das refeições, mas essas regras valem não só para quando estamos gestando, valem sempre!

Gatinhos são ótimos animais de estimação!

toxoplasmose

O latido do cachorro não vai atrapalhar o sono?

Como já foi explicado, o bebê está acostumado com o latido do cachorro – ele faz parte do ambiente.

Ouvimos diversos absurdos sobre ter cachorro e bebês pequenos em casa, tais como que os cães ficam entediados, podem ficar agressivos e sentem ciúmes. A maioria deles é mito mesmo!

Os cachorros adoram dormir com os bebês, sentem que estão cuidando deles. Só tome cuidado com isso, pois eles não tem noção que o filhote de humano é frágil, e pode querer demonstrar amor demais, entrando no berço ou deitando na cama onde o bebê está. Eles não sabem que o bebê é pequeno e podem machucá-lo sem querer…

Eles também tem tendência a cuidar do novo filhote como se fossem deles (especialmente as fêmeas). Logo, se as visitar chegarem e o cão ficar perto do berço, ou rosnar para elas, relaxe, explique o que está acontecendo, que o cão está cuidando do irmão/da irmã recém chegada 🙂

Fora que as fotos ficam lindas!

Animais no trabalho de parto

Ah, assunto controverso. Em um parto domiciliar, eles são bem vindos, desde que se tome alguns cuidados.

Gatos ficam mais ariscos e arredios durante o período latente, e na fase expulsiva tendem a ficar mais do lado das donas.

Cães (especialmente as fêmeas) ficam o tempo todo cuidando da dona. Não a deixam em momento algum, querem saber o que está acontecendo, e, no expulsivo, alguns até uivam junto com os puxos!

Benefícios:

Inúmeros!

*Menos propensão a alergias;

*Senso de responsabilidade;

*Mais brincadeiras ao ar livre;

*Alívio do estresse dos pais;

*Bebês mais tranquilos.

Logo, podemos perceber que não precisamos nos desfazer dos animaizinhos que tanto amamos! Com cuidados básicos com higiene, boa alimentação e vacinação em dia, os animais e os bebês podem conviver em harmonia!

Por Doula Aline Worm (Cascavel Paraná)

Referências bibliográficas:

Ministério da Saúde  http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/pdf7.pdf

Febrasgo https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/185-toxoplasmose

Doulas recomendam:

Qual a diferença entre EO e doula Antigamente, até meados de 1920, a maioria dos partos eram acompanhados por parteiras tradicionais. Em São Paulo, inclusive, existia o serviço de p...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *