Como eu me descobri doula

Compartilhe:

LUDOULA

 

Sou Luana Citadin, esposa do Fernando, mãe da Mariana e da Celina, administradora por formação, Gestora de RH e Doula

Quem eu era antes da maternidade

Trabalho a 20 anos com gestão de pessoas (socorro tô velha) tô não comecei novinha mesmo, com 15 J;

Servir é minha missão, mas eu não sabia disso desde os 15 não, comecei por uma oportunidade de trabalhar junto com minha irmã mais velha, fui tomando gosto pela coisa e seguindo o fluxo, só hoje depois de muita busca por auto-conhecimento é que me dou conta disso.

Desde que me entendo por gente sou fascinada por crianças, antes mesmo da Mariana eu era daquelas que onde estivesse, se tivesse uma criança no local, meus olhos seguiam, se fosse em uma festa e tivesse 10 adultos e 1 criança adivinhem de quem eu me aproximava? Sim da Criança!!

Venho de uma família que ama crianças, tenho uma mãe parideira  e que acredita que parir é natural, simples assim, e isso está no meu DNA;

Também sou apaixonada por mulheres grávidas, quando vejo uma, mesmo que desconhecida quero chegar perto, conversar, acolher.  Quando uma amiga engravida, eu grudo, cuido, mimo, presenteio, venero mesmo. Gestantes pra mim são cheias de graça pois carregam em seu ventre o bem mais precioso.

Mas até então profissionalmente falando eu me sentia realizada, feliz, meu trabalho como gestora de RH em uma grande empresa da minha cidade era meu foco número 1.

Descobrindo meu mundo

Sempre sonhei em ser mãe, mas descobri mesmo a grandiosidade da maternidade depois que me tornei uma.

Lutei 4 anos pelo positivo, e em 2014 engravidei da Mariana, conheci através da roda de gestantes da minha cidade  o mundo da humanização, e descobri rapidinho que esse era o meu mundo!

Enquanto gestei a Mariana conheci a Fabiola Souto, que foi minha doula, hoje amiga e parceira de trabalho, e ela me ensinou tanto, mais tanto que me inspirou a seguir também essa missão.

E em janeiro de 2015 Mariana nasceu, em um parto hospitalar lindo, natural, e por meses me dediquei exclusivamente a ela, amamentando dia e noite em livre demanda, e descobri outra paixão: A AMAMENTAÇÃO

Chegada da Mariana 01/2015

E a Mariana foi crescendo e minha vontade de fazer algo com essas minhas paixões (Gestantes, humanização, nascimento, amamentação) foram só aumentando, paixões essas que fizeram me tornar consultora em amamentação e Doula de Parto.

Conciliando trabalho, maternidade e doulagens, me vi em crise, sem saber se estava no caminho certo, achando que não seria possível conciliar tantos papeis, mergulhada nesse mundo, sem planejar engravidei da Celina em 2017 e em dezembro desse mesmo ano ela nasceu em um parto domiciliar MARAVILHOSO!

Chegada da Celina 12/2017

Celina veio para me ensinar tantas coisas, uma delas foi que é possível sim conciliar todos esses papeis, afinal de contas eu gosto de viver essa adrenalina mas também preciso de segurança, amo meu trabalho “formal” amo minha família, mas descobri na doulagem a minha missão de vida! Então mesmo não podendo dedicar todo o meu tempo a isso eu concilio todos os meus AMORES para poder atender e assistir mulheres que querem parir de forma respeitosa na nossa região;

Na nossa cidade as mulheres e suas famílias lutaram pela aprovação da lei da doula e ela já é uma realidade, as duas instituições hospitalares respeitam e aceitam bem nossa presença, e isso é uma vitória;

Votação lei das doulas Tubarão SC

 

O que a Organização Mundial da Saúde diz sobre as doulas?

O apoio físico e empático contínuo oferecido por uma única pessoa durante o trabalho de parto traz muitos benefícios, incluindo um trabalho de parto mais curto, um volume significativamente menor de medicações e analgesia epidural, menos escores de Apgar abaixo de 7 e menos partos operatórios.”

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. OMS. Maternidade segura. Assistência ao parto normal: um guia prático. Genebra: OMS, 1996.

Revisão da Biblioteca Cochrane, 2010, conclui que:

“Todas as mulheres devem receber o apoio de um acompanhante especialmente capacitado durante o trabalho de parto e parto”

O suporte contínuo durante o parto oferecido por acompanhante capacitada:

  • Aumenta as taxas de parto normal
  • Reduz a duração do TP e a necessidade de analgesia
  • Maior satisfação com a experiência de parto

O que o Ministério da Saúde do Brasil diz sobre as doulas?

“O apoio da doula, além de melhorar a vivência experimentada pelas mulheres que dão à luz, parecem ter uma influência direta e positiva sobre a saúde das mulheres e dos recém-nascidos. Devem, portanto, ser estimuladas em todas as situações possíveis.”

“O acompanhamento da parturiente pela doula reduz a duração do trabalho de parto, o uso de medicações para alívio da dor e o número de partos operatórios. Alguns estudos também mostram a redução do número de cesáreas. Também é observado que os grupos de parturientes acompanhadas durante o parto pela doula têm menos depressão pós-parto e amamentam seus recém-nascidos nas primeiras seis semanas de vida em maior proporção que as parturientes dos grupos de controle.”

Parto, Aborto e Puerpério – Assistência Humanizada à Mulher, 2001

Referências Bibliográficas:

Compartilhe:

3 respostas para “Como eu me descobri doula”

  1. Tive o grande prazer de parir minha filha acompanhada da doula Luana. Você realmente nasceu para servir. Em cada palavra aqui escrita eu senti a emoção do real sentido que tudo isto tem para você. Somente quem está próximo de ti sabe do que estou falando. Você é sensacional! Obrigada por ser AMOR!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *