Meu diário “semanal” de gestação – Semana 17

Compartilhe:

Boooom dia / Boooa tarde / Booooa noite!!

No último post eu escrevi sobre as semanas 15 e 16. Esse aqui eu pretendo escrever somente sobre a semana 17 e é isso que vou fazer hehehe!!

Consulta mensal

Como preconizado pelo Ministério da saúde, a gestante brasileira deve passar por consultas mensais até as 31 semanas, quando começam as consultas quinzenais e com 35, passam a ser semanais. Então, essa semana 17, passei em consulta. E sabe de uma coisa? A médica finalmente percebeu que não tinha feito uma anotação sequer na da semana 12. Se vocês se lembram, eu tinha tentado explicar pra ela que não tinha nada anotado e, acredito que nossa barreira linguística tenha sido o responsável pelas incompreensões. Existem diversos termos que eu desconheço e são diferentes na língua dela. Mas, dessa vez, ela pegou e abriu o cartão inteiro (não sei porquê ela não fez isso na última consulta) e percebeu a falta de informação. Metade da consulta foi preenchendo o cartão! Fiquei satisfeita, pq agora sim meu cartão está correto!

A caderneta da gestante é um documento importantíssimo para o bom andamento do pré natal e parto! É dever do profissional de saúde preenchê-lo de forma adequada! Foto: Arquivo pessoal

PA ok, ganho de peso: zero 😮

Acredito que a semana que passei mal, sem conseguir me alimentar direito tenha contribuído para o não ganho de peso. Estou dentro do ideal, mas o ideal também não é ficar nesse ganho zero. Mas, a situação se agravou um pouco na semana seguinte :s

Por que acompanhar o ganho / perda de peso na gestação?

Estudos mostram que uma boa nutrição antes e durante a gestação, garantem uma melhor saúde materno e infantil e melhores desfechos no parto. A boa nutrição é marcada por um ganho de peso ideal durante a gestação (não tratarei aqui, neste texto, casos de baixo peso/sobrepeso gestacional, somente os casos de risco habitual).

A quantidade de peso que “se deve ganhar” na gestação vai depender do IMC da gestante no início da gestação / seu peso antes de engravidar. Por isso, o correto seria que cada gestante tivesse seu IMC analisado adequadamente pelo/pela obstetra para indicar quanto de peso se pode alcançar durante a gestação. Existe uma “média” estabelecida culturalmente no meio médico e popular que “o ideal é engoardar 1kg por mês”. Acontece que nem toda mulher tem metabolismo que proporcione isso. Algumas vão engordar mais, outras menos. As que tem… por isso que o ideal é que cada mulher fosse analisada de forma adequada… mas, infelizmente sabemos que nosso sistema está longe disso né? (Raros casos que eu tenho conhecimento de acompanhamento adequado, foram feitos com as equipes humanizadas particulares pelo país… e sabemos que, embora fosse o ideal, nem todas nós podemos usufruir desse enorme benefício né? Então, dos males, o menor… aqui, seguimos no ritmo de “redução de danos”: Pelo menos, estou fazendo pré natal :s )

Cada mulher tem um peso que é ideal para si, alcançar durante a gestação!! Fique atenta! Foto: Flikr

O ganho de peso tem haver também com outros fatores, como complicações com diabetes, pressão alta, excesso de peso após o parto, agravamento de complicações renais e cardíacas e demais complicações para o bebê. Porém, dentro do necessário, o ganho de peso é necessário pois, à medida que o bebê cresce, ele também ganha peso – sem contar que ainda temos a placenta e líquido amniótioco.

Semana 17, marcada por outra crise forte…

Entre o final da semana 16 e o início da 17, passei por uma outra crise super forte: Uma crise de enxaqueca, seguida de muito vômito!

Eu não tenho certeza do que desencadeou a crise, mas eu acredito que seja alimentação. Eu tenho um sério problema com ingestão de fritura e, no sábado de manhã, me dei o direito de comer um delicioso pastel (mas confesso que agora fiquei morrendo de medo dele rsrs)

Huuummmm, delicioso, mas perigoso pra mim!! Alimentos fritos ou com alto teor de gordura tendem a me fazer mal… e muito! Foto: Flikr

Pra quem tem enxaqueca, sabe que ela começa do nada, as vezes, inicia com um “tum” de dor leve na cabeça, mas imediata. Foi assim que começou no sábado a noite, seguida de um sono descomunal. Tomei a medicação que a médica me deixou prescrita em caso de dor e fui dormir. De madrugada, acordei com a dor mais intensa. A medicação sequer amenizou. Assim que amanheceu, comecei a ter vômito. Tomei um remédio pra amenizar, fui à missa e depois, à casa dos meus pais (era aniversário do meu pai). Ainda consegui me alimentar um pouco, pra logo depois começar os vômitos novamente. E assim, segui até segunda de manhã, quando meu marido resolveu que era melhor passar no PS – pq nem água parava mais no estômago.

Deixamos as crianças na casa da minha sogra e seguimos para o PS. Lá, pra variar, lotaaaaaaaaaaaaaaaado demais!! Não tinha nem sequer cadeira na sala de hidratação. Tinham vários residentes lá e me atenderam super bem e demorou pouco mais de duas horas pra finalmente me medicarem (a demanda de atendimento estava muito, muito, muito alta). Como não tinha um lugar sequer pra tomar medicação, tomei na sala de procedimentos mesmo, junto com uma outra moça que foi pra lá com febre e mastite (orientaram ela a fazer compressa de água quente nas mamas para aliviar, causando efeito rebote, o que fez aumentar ainda mais a produção e, consequentemente, febre, dor, inchaço e vermelhidão 🙁 – AMAAAADAS, experiência própria: procure uma consultora em amamentação devidamente treinada! Não se deixem levar por conselhos de pessoas bem intencionadas, mas não treinadas. O resultado pode ser uma visita bem dolorosa ao PS).

Voltei p casa bem melhor. Passei os próximos dois dias me recuperando da falta de alimentação, do corpo dolorido. Foi providência do céu meu marido estar de férias. Aproveitei pra passar um tempo a mais com as crianças, tomando sol e observando elas brincarem (pq eu nem forças p brincar não tinha, parecia uma lagartixa, sentada na banqueta e tomando sol hahaha).

Moramos num apartamento sem área de serviço ou varanda. Aí, pra tomar sol, só descendo pra garagem rsrs!! Foto: Arquivo pessoal

Os dias seguintes passei bem. Não pesei pra saber se perdi peso ou não, mas estou melhorando a alimentação, tirando frituras de todos os tipos.

Passamos a semana bem com as crianças em casa. O tempo bastante seco, exigiu atenção com hidratação e lavagem nasal constante com soro fisiológico.

E isso… semana 17 foi assim 😉

Nos vemos na semana 18!!

 

Referências

Índice de massa corporal e ganho de peso gestacional como fatores preditores de complicações e do desfecho da gravidez: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v34n7/03.pdf

Estado nutricional e ganho de peso de gestantes:  http://www.scielo.br/pdf/rlae/v20n3/pt_a06v20n3.pdf

Ganho de peso excessivo na gestação é fator de risco para o excesso de peso em mulheres: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v35n12/02.pdf

Ganho de Peso na Gestação –
Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica – ABESO: http://www.abeso.org.br/uploads/downloads/26/5521b01341a2c.pdf

Doulas recomendam:

Entendendo o Cartão da Gestante – O “RG” da gestaç... Se você chegou aqui, certamente é porque também, assim como eu, tem (ou teve) muitas dúvidas a respeito da Carteira, Caderneta ou o bem conhecido Cart...
Por que grávidas sentem enjoo? Dentre as principais queixas das mulheres grávidas durante o primeiro trimestre, estão enjoos e indisposição. Enjoos se manifestam com mais frequência...
Pressão Alta na Gravidez Apesar dos inúmeros cuidados já conhecidos durante o período da gestação, diversas mulheres acabam enfrentando o problema da hipertensão, ou pressão a...
Cáries podem causar parto prematuro? O medo do bebê nascer antes do tempo ideal, ou seja,nascer prematuro é algo que nos assombra. Lembro que na minha gestação eu comemorava cada semana, ...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *