Aquela relação que todo mundo ganha

Compartilhe:

Se esse texto chegou ate você, provavelmente você sabe que DOULAS são profissionais mulheres (em sua esmagadora maioria) preparadas e capacitadas para amparar a mulher durante todo ciclo gravídico-puerperal. Dando apoio emocional, físico e informativo à gestante e que não realizam nenhum procedimento técnico (seja ele aferir pressão ou ouvir os batimentos do bebê e muito menos realiza o toque na mulher a fim de descobrir a dilatação).

E que hoje em dia temos estudos que comprovam os benefícios, tanto pra mãe quanto para o bebê de ter acompanhamento contínuo –que se entende por, alguém que não saia do seu lado- durante todo o trabalho de parto(https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28681500) e como os desfechos são ainda melhores quando há uma doula em cena também(https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29764406)

Não obstante, alguns estudos pesquisaram o porquê que ter uma doula têm alcançado tanto resultado positivo.

O ambiente protegido
Somos iguais gatinhas que quando vão parir seus bebês escolhem um lugar quentinho, seguro e cercada de quem elas sentem confiança.

A doula é alguém que a mulher ESCOLHEU (com exceção das doulas voluntárias de hospitais), por afinidade e conexão para acompanhá-la no processo todo de gestação, parto e pós-parto, mas ao mesmo tempo e na maioria das vezes, ela não pertence ao ciclo social daquela mulher. Portanto é alguém que a gestante confia e que está ali para apoiá-la e orientá-la quando necessário sobre as escolhas dela, sem julgamentos, com uma visão de fora e conhecimento sobre o que esperar sobre cada fase do trabalho de parto, por mais que possa rolar envolvimento emocional.

E um dos cuidados da doula é ajudar a manter o ambiente escolhido pela mulher o mais “protegido” possível para que o trabalho de parto flua conforme o esperado. Tenhamos em mente que às vezes os planos não saem como esperado e aí a presença da doula se faz ainda mais importante restabelecendo esse momento que sofreu essa quebra. E assim que a mulher sentir que por mais hostil que o ambiente seja ela esta segura, a autoconfiança dela aumenta e ela se apodera do parto. (Hofmeyr, Nikodem et al. 1991)

Vamos aos resultados
Outro ponto a ser levado em consideração é a troca de conhecimento que há durante o acompanhamento de uma doula durante o pré-parto. Com isso a gestante entra no parto munida de informação sobre o que esta por vir, e ter a doula ali do lado, relembrando suas vontades, seu objetivo e sua força fazem com que os desfechos do parto sejam melhores assim como diminui as intervenções que essa mulher possa vir a pedir (no caso analgesias) ou experimentar (no caso procedimentos de rotina genericamente realizados em hospitais).

Abaixo tem um gráfico que mostra os efeitos de ter o suporte de uma doula durante o trabalho de parto.

traduzido do site https://evidencebasedbirth.com/the-evidence-for-doulas/ por Gabi Gavioli Doula

Mulher + Doula = Ocitocina
Mas vejo que o mais importante dessa relação (gestante-doula) e o que faz mais diferença em um trabalho de parto é esse elo bem estabelecido.

A Dra. Amy Gilliland que propôs essa teoria em um estudo realizado em 2010. E numa conversa pessoal com Rebecca Dekker ( autora do site: evidencebasedbirth.com) em julho de 2015 ela disse:

“Acredito que o efeito Doula está relacionado ao apego. Quando a mãe se

apoio gestante
por Josi Salgado

sente vulnerável no trabalho de parto, ela direciona os comportamentos de apego para figuras adequadas ao seu redor, que podem ou não ser suas figuras de apego (pai, companheiro). Quando a mãe dirige comportamentos de busca de apego para a doula, a doula experiente (25 nascimentos ou mais) responde de uma maneira única. Ela é capaz de responder como uma base segura, acalmando assim o sistema de fixação da mãe. A diminuição dos hormônios do estresse permite um surto de ocitocina tanto na mãe quanto na doula … teoricamente, a oxitocina é o hormônio do apego e é liberada durante o toque calmante e o contato visual prolongado, que são comportamentos habituais das doulas do parto ”.
(https://evidencebasedbirth.com/the-evidence-for-doulas/)

E eu só poderia concordar!

A base da relação

gestante e doula
por Isabel Medeiros

Tudo isso para dizer que, ter uma doula faz bastante diferença no processo de acompanhamento do pré parto-parto e pós parto. Portanto, aproveite essa parceria, manda mensagem falando dos seus medos. Desabafe com ela. Veja ela como sua melhor amiga e confidente. Se você permite que a doula te conheça, fica muito mais fácil para ela te ajudar a enfrentar seus obstáculos quando eles aparecerem durante o parto.

Doulas já viram de tudo um pouco e sabemos que as mulheres que nos escolhem têm das mais diversas dúvidas e não temos o menor problema de responder varias vezes a mesma coisa. E se não soubermos, iremos atrás da resposta.

Se entregue nessa relação porque só tende a ter resultados positivos –como mostram os estudos- e duradouros.

Essas foras as referencias que eu usei para escrever esse texto:

Doulas recomendam:

Adoção Eu sei que muitas pessoas vão se perguntar o porquê de um texto sobre adoção em um blog para grávidas, em que se fala de gestar, parir e nutrir. Muita...
Amamentação após Cesárea, é possível? Sabemos que 15% é a taxa aceitável de "parto cesariana" segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) e, de acordo com o mesmo órgão, é recomendada a a...
O papel do (a) parceiro (a) na gestação, parto e p... Então vcs sonharam, desejaram (ou não) mas o positivo veio, para a mulher que esta gestando normalmente as mudanças físicas e emocionais começam log...
Quando a hipertensão gestacional pode tornar a ges... foto de Roberta Peronico Quando pensamos em hipertensão gestacional estamos pensando na maior causa de morte materna no Brasil, e a terceira causa...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *