Eu, que era contadora, tive uma filha e virei doula

Compartilhe:
Foto retirada do site Jornal Contábil

Sobre a Isabela contadora

Tornei-me contadora para não fazer mais um ano de cursinho, essa foi a real…..Quando estava fazendo cursinho, queria educação física, prestei odontologia e passei em contabilidade! Entrei na terceira lista de contabilidade no Mackenzie, na minha época o curso eram de 5 anos e lá fui eu! A parte positiva de ter feito contabilidade (em minha opinião) é que no primeiro semestre de faculdade já tinha conseguindo meu primeiro emprego (primeiro estágio)! Assim, levei a faculdade aos trancos e barrancos, porém a cada ano conseguia melhorar meu espaço no meu mercado de trabalho além de uma boa remuneração financeira.

Fiquei grávida e agora?

Em junho de 2014 decidi (juntamente com meu marido) largar tudo e abrir meu próprio negócio, foi uma experiência curta e muito prazerosa, no entanto não deu certo e repassamos um ano depois! Nesse mesmo ano, em meados de setembro, descobri que estava grávida! E agora, o que eu faço? Sabia de uma coisa, queria um parto normal! O que eu fiz? Comecei a me informar, estudar mesmo!
A primeira etapa do processo foi validar algumas coisas do que eu havia lido e me informado até então, e que até aquele momento da minha gestação não havia me atentado. Fui testar meu ginecologista obstetra que eu amava e que me atendia há mais de 10 anos! A decepção já começou na recepção! Meu olhar já era outro, um pouco mais crítico, já tinha alguma informação! Consultório lotado! Algumas grávidas, outras para consulta pós-cirurgia…..fui chamada para atendimento! A segunda decepção foi o momento que reparei pela primeira vez que ele tinha um ultrassom no consultório! Consulta começou e falei sobre meu interesse pelo parto normal, foi aí a terceira decepção: “se tudo estiver bem até o final da gestação, você pode tentar o parto normal sim, mas ainda tem muito tempo, podemos ver isso mais para frente”! A quarta e última decepção, pois parei de processar qualquer coisa daquela consulta, foi quando ele disse: “mas se precisar de cesárea, fica tranquila, o corte que faço nas minhas gestantes ficam perfeitos, imperceptível”! Sim, meu mundo desabou! Mas ele era tão legal!

Prosa de Mães (Roda de Gestantes). Foto de Larissa Amaral

Comecei a ler tudo que pesquisava, comprei livros, comecei a frequentar o GAMA , cheguei na minha obstetra humanizada, com quem iniciei de fato meu pré natal! Brinco que o primeiro acolhimento a gente nunca esquece, ela falava a mesma língua do que eu! Falamos de parto na primeira consulta! Sou bem emotiva, na gestação isso triplicou, e nessa primeira consulta chorei muito!
Bom, faltava a pessoa por quem sou muito grata também, por quem tenho uma admiração enorme e que fez com que eu despertasse o interesse pela profissão, a minha doula! Sim, eu escolhi minha doula quando ela começou a vir na minha direção, já sabia que era ela! Conversamos muito, chorei muito e a escolhi!
Apesar de estudar muito, saber muito bem o que eu queria, ter apoio para as minhas escolhas, ela foi essencial em todos os momentos, antes do parto, no parto e no pós parto! No pré parto ela foi bem sutil e atenta para o que realmente queria, me trazendo reflexões para que escolhesse o caminho que realmente pudesse bancar, sim pois todas nossas decisões, independente de estar grávida contem riscos, cabe a nós decidir qual podemos assumir! Não, ela não me influenciou em nenhuma decisão, ela me apoiou e nunca julgou as escolhas!

PD da minha filha. Foto de Valeria Sbrissa

Segui o jogo…..nos 48 minutos do segundo tempo de gestação, após uma roda de gestante na Casa Moara com relato de parto hospitalar com equipe, decido junto com meu marido que iríamos ter um parto domiciliar! Ligo então para a minha doula e peço ajuda!
Foi ela quem me apresentou a equipe e assim eu pari! Pari na minha casa e sou grata por toda a minha equipe, doula, GO, enfermeiras, fotografa e neonatologista!

 

 

 

Após o primeiro ano da minha filha

Manu fez 1 ano de vida, decidi voltar ao mercado de trabalho, mas a humanização do parto não saia de mim, continuava lendo e estudando muito ainda, ajudado algumas pessoas com o que eu sabia! Não consegui voltar para a minha área, porque tinha uma filha e já “não servia mais” por conta da minha disponibilidade! Marido vira para mim e planta a sementinha: “porque você não vai ser doula?”.

Universo conspirou e me tornei doula

Formatura do MD. Foto de Arquivo Pessoal

Quando digo que o universo conspira, ele conspira! Na minha time line do facebook vem a propaganda de um curso colaborativo de formação de doulas e lá fui eu!
Formei-me no Multiplicando Doulas , em novembro, e em dezembro de 2016, a primeira mulher me contratou para ser sua doula! Ela iria parir em maio de 2017! Foi uma mistura de felicidade, “o que eu faço agora?” e “vai lá Isabela, se joga”! E assim mulheres maravilhosas começaram a cruzar meu caminho…..nossa, como sou grata a todas elas, em cada uma delas eu me renovo, me fortaleço e tenho a certeza de que fiz uma das melhores e maiores escolhas da minha vida! Sim, tem muitas dificuldades, alguns obstáculos, frustrações, decepções, não tem final de semana, feriado, aniversário de filho, pouca ou nenhuma hora de sono, mas vale a pena ver mulheres enxergando sua força, driblando medos, enfrentando o desconhecido, sorrindo, chorando, superando limites que elas mesmas

PD da Patricia (doulanda). Foto de Renata Penna

não imaginavam, a gratidão de cada uma delas, o carinho, o aprendizado, o reconhecimento e a importância do meu trabalho! 2018 será de muita emoção, pois todos os bebês que acompanhei em 2017 farão 1 ano!
Hoje se me perguntam se sou realizada com o que faço, minha resposta é um sim com um sorriso delicioso de satisfação!

Para você ler mais sobre:
– GAMA, Grupo de Apoio a Maternidade Ativa (https://www.maternidadeativa.com.br/index.html)
– Casa Moara, local de apoio integral e multidisciplinar para gestação, parto e pós parto (http://www.casamoara.com.br/)
http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/indicacoes-reais-e-ficticias-de.html
– Renascimento do Parto (https://drive.google.com/file/d/0B_zio6VgthI1U3pFV3VZbmVtTVk/view)
– Nascer no Brasil: Parto, da violência obstétrica às boas práticas (https://youtu.be/Q9G5uyRKsyk)
– A hora da chegada – como nascem os bebês no Brasil? (https://youtu.be/D2T2IiexnbY)
– Na hora certa – documentário sobre parto humanizado (https://youtu.be/fkGfzptCaME)
– Parto Cesárea no Brasil – A verdade (https://youtu.be/kr1zqEbBrew)
– BALASKAS, Janet. Parto Ativo. 2.ed. São Paulo, 2012.
– BERTHERAT, Marie. BERTHERAT, Thérèse. BRUNG, Paule. Quando o corpo consente. 2.ed. São Paulo, 2013.
– BENATTI, Luciana. MIN, Marcelo. Parto com amor. 1.ed. São Paulo, 2011.
– Doula – O que é? (http://www.despertardoparto.com.br/o-que-eh-doula.html)
– O que é “Doula”? (https://www.doulas.com.br/oque.php)
– Aquela que serve – Documentário sobre doula (https://youtu.be/Ze6r1BKH8A)
– A doula (https://youtu.be/BJvzqKx8gnY)
– Multiplicando Doulas, curso colaborativo de formação de doulas (https://www.facebook.com/multiplicandodoulas/)

Doulas recomendam:

Todo mundo nasce “bebê roxo” Juro gente, todos, ou quase todos os bebês nascem roxos e é super normal, não tem nada de errado com isso. Bebês que nascem via cesárea também? ...
Circular de cordão umbilical é motivo de pânico?...   Meu bebê está com cordão umbilical enrolado no pescoço!! O que eu faço? Preciso marcar minha cesárea??   NÃO !!   Viv...
A menina que queria nascer diferente É possível que o nascimento tenha influência na vida prática, emocional e relacional de um adulto? Foto: Angel Lovera, Free Images. Alguns autore...
O Poder do olhar e do silêncio da doula O Poder do olhar e do silêncio da doula Doulando a Ana no parto da Eva 06/2018 Muitos ainda confundem o trabalho da doula com da enfermeira obsté...
Compartilhe: