Oi! Deixa eu me apresentar!

Compartilhe:

Oi! Tudo bem? Eu me chamo Yasmin, tenho 23 anos, sou casada com o Davi e doula atuante na minha amada terra da luz: Fortaleza/CE. Mas hoje eu te convido pra saber um pouquinho mais de mim e de como embarquei no propósito de contribuir para experiências de partos mais felizes e positivos.

Você? Doula?

Muitas pessoas tentam entender como essa menina de 23 anos, formada em Ciências Sociais, recém casada e que nunca teve um filho decidiu trabalhar como doula. ? Deixa eu explicar!

Mesmo com todo respeito à escolha de cada uma, pra mim, o que eu tinha certeza que queria fazer da vida era casar e ter filhos. Quanto a vida profissional eu não tinha certeza alguma! Eu pensava em muitas coisas, mas no fim eu não amava nada, e outra certeza que eu tinha é que queria amar e ser muito feliz com meu trabalho (e isso não significa ter o trabalho perfeito e não ter dificuldades). Fiz Ciências Sociais (UFC) e me formei sem nunca ter reprovado e com uma boa média, mas era isso, eu era bem mediana nunca tendo me esforçado para ser mais que isso. Meu coração não tava alí.

Ser doula pra mim foi um processo diferente de já ter interesse na área da saúde ou ter me tornado mãe. Foi um caminho de descoberta, paquera e paixão até que eu descobrisse que era um amor daqueles que você não pode mais viver sem. Foi diferente do que costuma ser, foi por acaso e ao mesmo tempo completamente certeiro como se sempre tivesse sido pra ser só que naquela hora certa.

A porta de entrada.

Fonte: Acervo pessoal

Em 2013 fiz intercâmbio como Au Pair e morava com uma família na cidade de Cincinnati, Ohio. Minha família era composta pelo pai, a mãe e mais 3 crianças incríveis (na época com 1, 2 e 4 anos).

Longe de dizer que já passei por tudo que mães passam, mas aqueles três pinguinhos de gente me deram uma noção do que é essa vivência e eu amava! Nessa época vivi imersa em assuntos de criação, educação, diversão, crescimento… estava apaixonada por tudo isso! Essa fase intensificou meu interesse e paixão por tais assuntos.

Nessa mesma época em que vivia toda essa experiência, atentava no Facebook para as postagens de uma amiga enfermeira obstetra que falavam sobre parto humanizado e todo esse universo. Estava descobrindo naquele momento que muitas mulheres que queriam parto vaginal eram levadas para a cesárea sem uma justificativa realmente verdadeira, até então não fazia ideia de que mulheres sofriam e ouviam coisas tão absurdas num dos momentos mais marcantes de suas vidas e não conseguia acreditar que isso acontecia com tantas mulheres! Foi a porta de entrada! Eu tinha aquelas amostras e cada vez eu queria consumir mais daquelas informações.

Fui me interessando, pesquisando, me apaixonando… a memória de minha mãe sempre dizer que era melhor e que queria ter tido parto normal, aflorou em mim. Assistir vídeos de parto foi se tornando equivalente a ver Netflix. Tinha decidido: não sonhava mais apenas em ser mãe um dia, queria um parto respeitoso e acolhedor, queria pensar bem nas decisões de como conduziria, cuidaria e me relacionaria com meus filhos. Mas trabalhar com isso? Não, isso ainda não tinha passado pela minha cabeça.

O bichinho me picou.

Conclusão do Curso de Doulas em 2016 ao lado de professoras e mulheres incríveis! (Fonte: Acervo pessoal)

É comum dizerem que depois que o bichinho da humanização te pica, não tem mais jeito e foi o que aconteceu! ? Em 2015 aquele interesse pessoal começou a ser também profissional. Não queria ser médica, enfermeira… era doula mesmo! Terminei as últimas disciplinas da faculdade e em 2016 chegou a hora da monografia. Naquela altura só fazia sentido estudar o movimento pelo parto humanizado! (Lembra que eu falei que meu coração não tava naquele curso? Pois é, nessa altura eu já tinha descoberto onde estava!). Eu ia pras rodas, conversava com profissionais, gestantes e mães e finalmente fiz o curso de doulas em 2016.

Registro da aula de posições para o trabalho de parto/parto. Olha a cara de felicidade! (Fonte: Emilly Gama Fotografia)

No início de 2017 conclui a faculdade e estava pronta pra mergulhar na vida que eu tanto ansiava: a de fazer aquilo que eu amava a missão (o fazer) e o propósito (o porquê fazer)!

Sim! Eu doula!

Fonte: Roberta Martins Fotografia

Quando uma de nós consegue, todas somos beneficiadas, é nisso que eu acredito! Me tornei doula e o meu trabalho é apoiar mulheres pra que encontrem, sabendo de suas opções, o caminho que desejam trilhar e então caminho junto sem jamais leva-las nas costas, mas de forma que saibam que quando pesar, estou aqui para lhes dar suporte e acolhimento. Vejo mulheres (re)nascerem, conquistarem sonhos, se redescobrirem, vejo a vida em seus primeiros segundos, assisto pequenas revoluções e construo um futuro melhor pra mim e pras que virão depois de mim. Pode procurar a lista de melhores trabalhos do mundo, ser doula vai estar com certeza! ?

Fonte: Roberta Martins Fotografia

Na prática eu trabalho com preparação para o parto como forma de consultoria, auxiliando a mulher/casal a tomar as decisões e realizar o planejamento para esse processo bem como a se preparar logisticamente pra isso através da escolha de profissionais, local de parto, construção de plano de parto, acesso a informações sobre determinados temas etc.

Faço acompanhamento de parto cuidando da ambiência, oferecendo suporte pra mãe através de métodos não farmacológicos de alívio da dor, lhe encorajando, auxiliando seu/sua acompanhante e esclarecendo sobre as suas opções e alternativas.

Outro serviço que presto é o de preparação e auxílio com os cuidados com o bebê, seja através de oficinas ou de visitas domiciliares esclarecendo dúvidas, auxiliando a encontrar formas de solucionar dificuldades, informando, aconselhando e as vezes só ouvindo.

Fonte: Blússia Tétis – Registrando Vidas

Embora acredite muito no que faço e os benefícios para a gestação, parto e pós-parto, sei que ainda há questionamentos. Entretanto, existem sim estudos nesse sentido, alguns dos quais deixo listados aqui na bibliografia, mas creio que uma ótima forma de pensar sobre isso é através dos relatos de mulheres que tiveram o suporte de uma doula, então a sugestão é que, na dúvida, você converse com mulheres que tiveram essa experiência, pesquise relatos e observe em grupos virtuais ou rodas presenciais pra entender prós/contras e experiências em geral.

Espero que tenha gostado de me conhecer um pouco mais como doula! ❤

REFERÊNCIAS

 

 

Doulas recomendam:

Saiba porque a AMAmentação é incrível por https://www.popsugar.com/moms/Mom-Breastfeeding-Baby-While-Pole-Dancing-39857164 Quem não ama curiosidade? Pois é, se você não adora descob...
CAMILA MEDEIROS – MULHER, MÃE E DOULA   Olá, sou a Camila, mãe do João Pedro e da Maria Luiza, tenho 32 anos e sou doula. Descobri a doulagem e o movimento de humanização do part...
Parto normal: eu quero! Amanda Greavette Desde a sua criação a mulher foi agraciada com o poder único e especial de conceber, gerar, parir e nutrir um novo ser. Trata-se ...
A Incrível Biografia da Doula (até aqui…) Aviso! Este texto contém (re)começos. Venho de uma família com muitos tios e primos espalhados pelo Brasil. Aqui no estado de SP, sou a neta mais v...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *