Amamentação: como me preparar?

Compartilhe:

Estou na fase final da gestação: é muito tarde para me preparar?

Nunca é tarde para se preparar. E quando digo em preparação não me refiro a alguma preparação física, como o treinamento do assoalho pélvico para o parto. É bastante difundido que há meios de se preparar (principalmente) as mamas para a amamentação. Buchas vegetais, cremes, pomadas, casca de frutas, conchas, banho de sol. Mas não há comprovação científica de ajuda à amamentação. Inclusive, elas podem machucar os mamilos prejudicando o processo.

O principal preparo é a informação. E não é só para você, mas para todos que terão um contato próximo e constante com você e o bebê. Informação tem aos montes nesse mundão da internet, mas para ter informação de qualidade, devem-se filtrar muitas coisas. Por isso quanto antes começar, mais tempo para pesquisa e filtragem das boas publicações sobre o assunto.

Pesquise sobre a fisiologia da amamentação. O que pode estimular a produção de leite, o que pode inibir, os componentes do seu leite, sobre o que é livre demanda, os benefícios da amamentação para você e para o desenvolvimento do seu filho, e, finalmente, os problemas mais comuns durante o aleitamento materno.

Existem inúmeros blogs e páginas que dispõe de informações de qualidade, numa linguagem mais acessível. Compartilhe sem moderação com os avós, bisavós e tios do bebê.

É importante salientar que, mesmo informadas, estamos sujeitas a problemas durante a amamentação. Estar ciente dos mais comuns e de como contorna-los é um aliado para te deixar mais calma caso aconteça com você.

Estou com meu/minha filho(a) nos braços e não vi nada sobre: e agora?

Primeiramente, tente manter a calma! A situação fica mais delicada quando se tem um bebê chorando, pais cansados e privados de sono há alguns dias. Mas há alternativas.

Tenha profissionais de referência para pedir ajuda: seja a sua doula, professora de yoga, fisioterapeuta, enfermeira obstétrica, obstetriz, médico obstetra… Alguns podem ter mais proximidade com o tema, mas poderão te orientar o básico, ou até mesmo te indicar para profissionais especializados. Há também as Consultoras de Aleitamento Materno, pessoas treinadas a orientar as mulheres e suas famílias na prática sobre várias questões da amamentação.

Todos esses profissionais também podem te indicar ótimas leituras sobre todo esse processo complexo e multifacetado que é amamentar.

“Mas eu não posso amamentar pela mãe do bebê” – O seu apoio é fundamental!

O apoio à amamentação e no puerpério (pós-parto) é importantíssimo! A mulher ainda está se acostumando com esse novo ser. Pode ser o primeiro filho, como pode ser o terceiro, assim como a gestação e o parto, cada criança é única. Por mais lindo que seja ver as fotos e a naturalidade com que mulheres amamentam seus bebês, a realidade é outra: Amamentar não é tarefa fácil. O bebê chora, não larga o peito e não dorme a noite inteira.

Rodas de apoio presenciais com outras mulheres que estão passando por isso (ou já passaram) são ótimas alternativas para que você perceba que não estão sozinhos nessa caminhada.

Há também grupos de apoio virtual à mulheres que tem o desejo de amamentar, disponibilizando relatos reais, artigos científicos, indicações de profissionais, e rodas presenciais de mulheres/mães, onde também é permitido a presença de um acompanhante (pode ser o pai, a madrinha do bebê, os avós).

Outra rede importante é a família e/ou pessoas próximas que cercam essa mãe recém parida. O apoio e acolhimento à essa mulher deve ser prioridade. Causos que aconteceram com ‘a prima da minha vizinha…’ não são indicados para amamentação também. Cada mulher e bebê são únicos, e nem sempre o que deu certo para ela dará certo para você. Em vários casos desmotiva, desinforma e diminui a confiança da mulher para sua capacidade de amamentar e nutrir o bebê.

Como a família/parceiro e visitas podem apoiar a amamentação:

  • Deixe refeições preparadas: aquela comida caseira, com gosto de infância que aquece o coração, ou algo que ela goste;
  • Ofereça bastante água: deixe garrafas em locais estratégicos para que ela não precise se deslocar toda vez à cozinha;
  • Ajude a manter a casa limpa: se ofereça para estender as roupas, lavar a louça, varrer a casa;
  • Não apareça de surpresa: Avise com antecedência sua visita, verificando sempre há possibilidade e vontade da mulher em recebê-los naquele momento.
  • Pergunte se não precisa que compre algo: para abastecer a geladeira, os itens de higiene do bebê, ou até mesmo algum agrado à mulher;
  • Pense CINCO (ou mais) vezes no ‘conselho’ que você vai dar: ele pode mais atrapalhar do que ajudar;
  • Ofereça para olhar o bebê enquanto ela toma um banho: mesmo que tenha que entrar no banheiro com o bebê enquanto ela toma banho.

 

Leituras sugeridas:

  1. http://www.cochrane.org/pt/CD004950/amamentacao-ou-leite-materno-para-dor-causada-por-exames-medicos-em-recem-nascidos
  2. http://brazil.cochrane.org/news/pesquisas-apoiam-contato-pele-pele-com-o-beb%C3%AA
  3. ALMEIDA, João Aprigio Guerra de  and  NOVAK, Franz Reis. Amamentaçãoum híbrido natureza-cultura. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2004, vol.80, n.5, suppl., pp.s119-s125. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572004000700002.
  4. http://brazil.cochrane.org/news/copo-em-vez-de-mamadeira-ajuda-os-prematuros
  5. http://brazil.cochrane.org/news/apoio-extra-ajuda-m%C3%A3es-amamentarem-por-mais-tempo
  6. http://www.cochrane.org/CD003517/PREG_optimal-duration-of-exclusive-breastfeeding
  7. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/14651858.CD009067.pub3/abstract
  8. http://www.cochrane.org/CD001141/PREG_support-breastfeeding-mothers
  9. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/14651858.CD012003.pub2/abstract
  10. https://revistas.pucsp.br/index.php/RFCMS/article/download/21445/17612

Doulas recomendam:

Auto reflexão: sobre cuidar, ouvir, tocar e olhar Hoje eu te convido para me conhecer e refletir, sobre quem você é, seus valores e objetivos. Então quem sou eu? Eu sou a Cecília França, sou mãe, c...
Mastite Eai você está lá, com um recém nascido nos braços, aprendendo a mamar. Com mamas quase como siliconadas, aprendendo a amamentar. Quando de repente vem...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *